Doutoramento em Negócios na África

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Doutoramento profissional (Doutorado) em Negócios Internacionais especialização na África (educação à distância, 180 ECTS, Português)

Os objetivos do Doutoramento profissional em Negócios Internacionais (DIB) especialização na África (3 anos, 180 ECTS, à distância, Diploma próprio da EENI) são formar ao doutorando para que seja capaz de pesquisar sobre as questões relacionadas com os negócios na África, o comércio intra-africano, a economia africana e a sua transformação socioeconómica, a integração regional, a Civilização Africana... De forma que permita-lhe aplicar soluções criativas e tomar decisões relacionadas com os negócios nos mercados africanos.

Doutoramento em Negócios África

O Doutoramento em Negócios na África faz parte da categoria dos Doutoramentos Profissionais em Negócios, os quais têm o dobro objetivo de fazer uma contribuição tanto ao conhecimento como à prática.

Idiomas do Doutorado profissional em Negócios na África.

Todas as unidades curriculares ofertadas no doutoramento estão em inglês e em francês. Aproximadamente 40% do resto das matérias estão em português Português (e em espanhol). Assim, dependendo das unidades curriculares selecionadas, o doutorando pode realizar este doutoramento integralmente em português (ou inglês, francês ou espanhol); os estudantes devem ter um nível suficiente para poder estudar as unidades curriculares nestes idiomas.

Inglês Doctorate Africa Espanhol Doctorado Africa Inglês Doctorat Afrique.

Confiamos na África

O Doutoramento profissional em negócios africanos (à distância) lhe permite melhorar a sua carreira profissional e adaptar-se ao seu horário.

Informação EENI Solicitar informação do Doutoramento África

A estrutura do Doutoramento profissional (Doutorado) em Negócios Internacionais especialização na África

O programa do Doutoramento profissional em Negócios na África estrutura-se em três partes:

Estrutura Doutoramentos Negócios

  1. Estudo das unidades curriculares (atividade formativa) do Doutorado
  2. Trabalhos de investigação e plano da tese do Doutoramento em Negócios na África
  3. Tese e defesa da tese

Estudo das unidades curriculares (atividade formativa) do Doutorado (Doutoramento): mínimo 20 ECTS, máximo 60 ECTS

O doutorando deve realizar uma atividade formativa (complemento formativo), composta por uma série de unidades curriculares definidas segundo os seus estudos precedentes e a linha de investigação eleita. A Direção do Doutoramento determina os complementos de formação que precisa em função da linha de investigação, podendo o doutorando eleger as unidades curriculares entre as ofertadas pela EENI para a linha de investigação eleita com um mínimo de 20 créditos ECTS e um máximo de 60 ECTS.

Os candidatos graduados no Mestrado profissional em Negócios na África Subsariana da EENI estarão isentos de realizar complemento de formação algum, passando diretamente à fase da investigação do Doutoramento em Negócios na África.

As unidades curriculares oferecidas pela EENI

A EENI oferece ao doutorando uma série de unidades curriculares relacionadas com a África (mais de 150 ECTS). O doutorando pode selecionar as unidades curriculares mais adequadas em função da tese a realizar. O mínimo dos ECTS a selecionar é 20 e o máximo 60. O doutorando seleciona as unidades curriculares uma vez formalizada a inscrição.

Para facilitar a seleção das unidades curriculares que deve estudar o doutorando, estruturam-se em vários blocos:

Doutoramento em Negócios África

  1. Os espaços económicos africanos
  2. As instituições africanas que lideram a transformação da África
  3. A economia africana
  4. Os negócios na África
  5. A África Austral
  6. A África do Leste
  7. A África Central
  8. A África Ocidental
  9. O Magrebe
  10. O transporte e logística na África
  11. A integração regional da África
  12. As relações internacionais da África
  13. A Civilização Africana

Mais abaixo pode encontrar mais informação detalhada sobre as unidades curriculares disponíveis.

Diretora do Doutoramento profissional em Negócios Internacionais especialização na África: Doutora Geneviève Barro KABRE

Doutora Geneviève Barro Burkina

Estudantes da EENI no Burquina Faso
Mestrado em Comércio Exterior Burkina Faso

Os mercados analisados no Doutoramento profissional (Doutorado) em Negócios Internacionais especialização na África:
Mestrado em Negócios na África

Estudantes da EENI na África
Estudantes da EENI África

As linhas de investigação do Doutoramento profissional (Doutorado) em Negócios Internacionais (DIB) especialização na África:

  1. O doutorando deve selecionar as unidades curriculares mais adequadas pela sua tese
  2. O doutorando pode utilizar qualquer combinação possível de matérias
  3. O mínimo dos ECTS a selecionar é 20 e o máximo 60
  4. NOTA: entre colchetes indicam-se os créditos ECTS

África área de livre comércio

Espaços económicos africanos.

Espaço Económico da Civilização Africana [7]
  1. O Espaço Económico da África Ocidental [2]
  2. O Espaço Económico da África Central [1]
  3. O Espaço Económico da África Austral [1]
  4. O Espaço Económico da África Oriental [2]
  5. O Espaço Económico magrebino [1]
  6. Interações da Civilização Africana com as outras civilizações

Instituições africanas que lideram a transformação da África (5 ECTS).

África transformação Instituições

  1. A União Africana [1]
  2. A NEPAD [0,7]
  3. O Banco Africano de Desenvolvimento [1,3]
  4. A Comissão Económica para a África (CEA) [1]
  5. A Agenda 2063 «A África que queremos» [0,7]

Faça o download do programa do módulo: «As instituições africanas...» (PDF)

África: negócios e economia (5 ECTS).

África negócios e economia

  1. A economia africana [0,6]
  2. A mulher africana [0,4]
  3. Empresárias africanas [0,8]
  4. Empresários africanos [2]
  5. A governança na África [0,4]
  6. Os mercados fronteiriços africanos [0,3]
    1. África: o próximo continente emergente

Faça o download do programa do módulo: «Economia e negócios na África» (PDF)

África continente emergente

Transformação Económica da África (5 ECTS).

Transformação económica da África

  1. O setor agrícola africano [1]
  2. A Visão Mineira Africana [2]
  3. O Crescimento Económico Verde Africano [0,2]
  4. O setor industrial africano. Política industrial africana [1,5]
  5. O Plano de Ação para o Desenvolvimento Industrial Acelerado da África
  6. O papel dos investimentos na transformação da África [0,3]

Faça o download do programa do módulo: «Transformação económica da África» (PDF)

Negócios na África do Sul (14 ECTS)

Fazendo negócios na África Austral

A integração económica regional na África Meridional. Existem duas comunidades económicas na África Austral:

  1. A Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) [1,1]
  2. A União Aduaneira da África Austral (SACU) [0,6]

Também há que ter presente o COMESA (Mercado Comum da África Oriental e Austral) e o acordo de comércio livre Tripartido COMESA-EAC-SADC. Todos os países da África Austral pertencem tanto à SADC como ao acordo tripartido.

Integração económica da África Austral

Os mercados da África Austral:

  1. África do Sul [3]: um país BRICS e a segunda economia africana
  2. Botsuana [1]: os diamantes = 1/3 do PIB do Botsuana
  3. Lesoto [0,5]: «A Suíça da África»
  4. Namíbia [1]: uma economia baseada na mineração e na indústria pecuária
  5. Suazilândia [0,5]: um pequeno reino africano baseado na mineração
  6. Zâmbia [1]: o maior exportador de cobre e cobalto da África e um mercado fronteiriço africano
  7. Zimbábue [1]: um país sem acesso ao mar com grandes recursos mineiros (cobre, níquel, ouro...)

Faça o download do programa do módulo: «Negócios na África Austral» (PDF)

Negócios na África do Leste (41 ECTS)

Fazendo negócios na África Oriental

A integração regional na África do Leste:

  1. O Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA) [2]. 50% das entradas do IDE na África
  2. A Comunidade da África Oriental (EAC) [0,5]: o Quénia, o Uganda, a Tanzânia, o Ruanda e o Burundi
  3. A Autoridade Intergovernamental para o desenvolvimento (IGAD) [0,1]: o Jibuti, a Eritreia, a Etiópia, o Quénia, a Somália, o Sudão e o Uganda

Integração económica na África Oriental

Outras instituições regionais do Leste Africano.

  1. A Comissão do Oceano Índico (IOC)
  2. A Iniciativa da Bacia do Nilo (NBI)
  3. A Conferência Internacional sobre a região dos Grandes Lagos [0,1]
  4. A Comunidade Económica da região dos Grandes Lagos (CEPGL)

Os principais mercados da África Oriental.

  1. A Etiópia [3]: a sede da União Africana e da Comissão Económica para a África
  2. O Quénia [3]: a principal economia do leste da África
  3. O Sudão [3]: o maior país da África
  4. O caso do Egito [3]
  5. As Seicheles [2]: o primeiro país africano em desenvolvimento humano e um dos menos corruptos

O perfil económico e fazendo negócios em...

  1. As Comores [0,5]. A baunilha: 75% das exportações comorianas
  2. Eritreia [0,5]: uma economia baseada na agricultura de subsistência
  3. Madagáscar [1]: 50% do mercado mundial de baunilha
  4. Maláui [1]: um país agrícola sem acesso ao mar
  5. Maurícia [2]: o segundo centro financeiro da África e o país africano com a maior facilidade para fazer negócios
  6. Moçambique [2]: uma das economias africanas mais dinâmicas
  7. Sudão do Sul [0,5]: um país independente desde 2011 (Sudão)
  8. Tanzânia: um dos mercados africanos fronteiriços de maior crescimento
  9. Uganda: um dos mercados fronteiriços africanos de maior crescimento e aberto à IED
  10. Jibuti: uma economia baseada no transporte e nas telecomunicações
  11. Somália [0,5]

Faça o download do programa do módulo: «Negócios na África Oriental» (PDF)

Negócios na África Central (26 ECTS)

Fazendo negócios na África Central

A integração económica na África Central.

  1. A Comunidade Económica e Monetária da África Central (CEMAC) [0,5]
  2. A Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) [0,5]

Integração económica na África Central

Os mercados mais importantes da África Central.

  1. Angola [3]: o segundo exportador de petróleo da África
  2. República Democrática do Congo [3]: 99 milhões de congoleses em 2025
  3. Guiné Equatorial: o país mais rico da África per capita
  4. Camarões [2]: 40% do PIB da CEMAC
  5. Gabão: uma posição estratégica na África Central

Outros países da África Central:

  1. Burundi [1]: um exportador de cobalto, cobre e café
  2. Ruanda [1]: o país africano mais densamente povoado
  3. República Centro-Africana: um país em transição
  4. Chade: um novo país africano exportador de petróleo
  5. República do Congo: um país emergente em 2025
  6. São Tomé e Príncipe [0,5]: um país turístico e exportador do cacau

Faça o download do programa do módulo: «Negócios na África Central» (PDF)

Negócios na África Ocidental (33 ECTS)

Fazendo negócios na África Ocidental

Na África Ocidental, existem três instituições económicas chaves.

  1. A União Económica e Monetária da África do Oeste (UEMOA) [1]
  2. A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) [1]
  3. A Área Monetária da África do Oeste (ZMAO)

Integração económica na África Ocidental

Além disso, é necessário ter em conta a existência da...

  1. A União do Rio Mano
  2. A Autoridade da Bacia do Níger [0,1]
  3. A Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos (CEN-SAD) [0,1]
  4. A Organização para o Desenvolvimento do Rio Senegal

Negócios nos países da África Ocidental.

  1. Nigéria [3]: a maior economia da África

Os mercados mais dinâmicos da região.

  1. Gana [2]: um mercado fronteiriço africano e o segundo produtor de ouro da África
  2. Senegal [2]: um dos países menos corruptos da África e que mais melhoraram o clima empresarial
  3. Costa do Marfim [2]: o primeiro produtor mundial do cacau, um mercado fronteiriço africano e a sede do Banco Africano de Desenvolvimento
  4. Cabo Verde [0,5]: crescimento do setor turístico

Os países com acesso ao mar:

  1. Benim [2]: uma economia baseada no setor informal
  2. Gâmbia [1]: um país agrícola orientado para à exportação
  3. Guiné-Bissau [0,5]: um dos dez países mais pobres do mundo
  4. Guiné [1]: jazigos de ferro e bauxite
  5. Libéria [1]: um país marítimo líder mundial
  6. Serra Leoa [1]: a economia regional de mais rápido crescimento
  7. Togo [1]: os fosfatos, o setor agrícola e o Porto de Lomé

Os países sem acesso ao mar da África Ocidental:

  1. Mali [1]: o terceiro produtor de ouro da África
  2. Níger [1]: as maiores reservas do urânio do mundo
  3. Burquina Faso [1]: uma das economias regionais que mais reformas implantaram

Faça o download do programa do módulo: «Negócios na África Ocidental» (PDF)

Abdoul Karim estudante EENI Ouandaogo Abdoul Karim (estudante EENI) ganhador do prémio regional UEMOA

Negócios no Magrebe (9 ECTS)

Fazendo negócios no Magrebe
  1. A União do Magrebe Árabe (UMA) [0,7]
  2. Argélia [1]: 50% da produção do gás da África. Mercado fronteiriço africano
  3. Líbia [0,5]: as maiores reservas provadas de petróleo da África
  4. Marrocos [2]: um mercado fronteiriço da África. A emergência dos empresários do Marrocos na África
  5. Mauritânia [0,5]: o setor da mineração e da pesca
  6. Tunísia [2]: o maior exportador do mundo de datas. Destino turístico
  7. Os Fundos árabes para o desenvolvimento [1]

Faça o download do programa do modulo: «Negócios no Magrebe» (PDF)

Transporte e Logística na África (15 ECTS).

Transporte e Logística na África

  1. Introdução ao transporte na África (1 ECTS)
  2. As infraestruturas na África (1 ECTS)
  3. O Programa para o Desenvolvimento da Infraestrutura na África (PEÇA) (0,3 ECTS)
  4. Os portos africanos. Transporte marítimo na África (3 ECTS)
  5. Os corredores de transporte transafricanos (3 ECTS)
  6. Os custos das infraestruturas das estradas na África (0,2 ECTS)
  7. O transporte e a integração regional na África (0,6 ECTS)
  8. As TIC, o comércio e a integração regional na África (0,4 ECTS)
  9. O Plano de ação de Segurança Viária da África 2011-2.020 (0,1 ECTS)
  10. As cadeias de valor africanas (0,5 ECTS)

Faça o download do programa do módulo: «O transporte e a logística na África» (PDF)

Integração regional na África (8 ECTS).

Integração económica na África

  1. As Comunidades económicas regionais [1]
  2. O Estado da integração africana [2]
  3. Comércio intra-africano [0,5]
  4. TIC e integração regional [0,5]
  5. Integração financeira [0,5]
  6. Infraestruturas [1]
  7. Cadeias de valor africanas [0,5]
  8. OHADA [1]
  9. O Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC [0,1]
  10. A Área de Livre Comércio Continental Africana [0,5]

Faça o download do programa do módulo: «Integração regional na África» (PDF)

Relações internacionais da África (8 ECTS).

Relações internacionais africanas

  1. África-Estados Unidos (AGOA) (1 ECTS)
  2. África-República Popular Chinesa (0,5 ECTS)
  3. África-Índia (0,5 ECTS)
  4. A Associação estratégica África-União Europeia
  5. África-França
  6. A Cooperação afro-árabe (0,5 ECTS)
  7. África-Turquia (0,1 ECTS)
  8. África-Países BRICS (0,3 ECTS)
  9. África-Ásia (0,1 ECTS)
  10. África-Coreia do Sul (0,1 ECTS)
  11. África-Japão (0,2 ECTS)
  12. A Associação da Bacia do Oceano Índico (IORA) (0,5 ECTS)
  13. África-países da América do Sul (0,5 ECTS)

Faça o download do programa do módulo: «Relações internacionais da África» (PDF)

Civilização Africana.

  1. Introdução à Civilização Africana
    1. África: o berço da humanidade
    2. Origem comum africana da humanidade
  2. História da África [4]
  3. Civilização Africana e o Antigo Egito
  4. Tráfico negreiro e a Escravatura
  5. Historiadores africanos [1]
  6. O desenvolvimento humano na África
  7. As tendências da população africana [0,5]
  8. As religiões na África
    1. Islão na África
    2. Cristianismo e Catolicismo na África

Luta contra a corrupção nos negócios na África

Curso: não à corrupção nos negócios

Não à corrupção

  1. Faça o download do conteúdo programático do módulo «Não à corrupção» (PDF)

Faça o download do programa do «Doutoramento Negócios na África» (PDF)

Pedro Nonell, estudantes africanos

Público-alvo: graduados e profissionais que trabalham e que desejem continuar a sua carreira no campo dos negócios internacionais com ênfase na África.

Universidade U-EENI
Projeto: Universidade U-EENI

Duração: máximo de três anos naturais a contar desde a inscrição da matrícula no programa até o depósito da tese. Se decorrido o prazo de três anos naturais não depositou-se a tese, a Direção do Doutoramento pode autorizar uma prorrogação de até dois anos.

  1. Preço do Doutoramento Negócios na África: 5.220 Euros (tudo incluído)
  2. Bolsas de estudo EENI (Escola Superior de Negócios Internacionais). Desconto de até 40 % para os de Angola, do Brasil, de Cabo Verde, da Guiné-Bissau, de Macau, de Moçambique, de São Tomé e Príncipe, de Timor-Leste e da diáspora africana. Preço do Doutoramento para estes estudantes: 3.132 Euros
  3. Consultar as bolsas de estudo para outros estudantes de Portugal, da Ásia, da América...

Educação para todos

Exemplos do Doutoramento em Negócios na África

Requisitos. Para ser admitido no Doutoramento profissional em Negócios Internacionais especialização na África os estudantes devem ter obtido um título do Mestrado ou ter um mínimo de três anos de experiência laboral em postos de relevância no âmbito dos negócios internacionais.

Os estudantes graduados no Mestrado em Negócios na África Subsariana da EENI poderão aceder ao Doutoramento profissional em Negócios Internacionais especialização na África validando todas as matérias do doutoramento já estudadas no mestrado.

Diploma de Doutoramento profissional em Negócios na África

O diploma de Doutoramento concede-se após avaliar:

  1. O grau de participação do doutorando
  2. A investigação realizada
  3. A defesa da tese.

Uma vez defendida e superada a tese do doutorado, os doutorandos obterão o Diploma (título próprio) de «Doutoramento profissional em Negócios Internacionais (DIB) especialização na África” emitido pela EENI (Escola Superior de Negócios Internacionais).

Professores da EENI
Professores EENI



Universidade U-EENIPaz, Não Terrorismo