Negócios no Burquina Faso

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular: o comércio exterior e os negócios no Burquina Faso - Ouagadougou

  1. Introdução à República do Burquina Faso (África Ocidental)
    1. Joseph Ki-Zerbo
  2. Fazendo negócios em Ouagadougou
  3. A economia burquinense
  4. Caso de estudo: a Feira Internacional de Artesanato (Ouagadougou)
  5. O comércio exterior do Burquina Faso
  6. As oportunidades de negócios no Burquina Faso
    1. Agricultura
    2. Mineração
    3. Indústria
    4. Turismo
    5. Setor serviços
    6. Construção e infraestruturas
  7. Introdução ao francês
  8. O acesso ao mercado burquinense
  9. Plano de negócios para o Burquina Faso

Os objetivos da unidade curricular «Comércio exterior e fazendo negócios no Burquina Faso»:

  1. Analisar a economia e o comércio exterior burquinense
  2. Avaliar as oportunidades de negócio no Burquina Faso
  3. Analisar as relações comerciais de Burquina Faso com o país do estudante
  4. Conhecer os acordos de comércio livre do Burquina Faso
  5. Desenvolver um plano de negócios para o mercado burquinense
A unidade curricular «Fazendo negócios no Burquina Faso» estuda-se:
  1. Curso: África Ocidental
  2. Doutoramento Negócios na África (EaD)
  3. Mestrados profissionais à distância: Negócios Internacionais, África Subsariana, Países Muçulmanos

Idioma de estudo: Português + Inglês Burquina Faso ou Francês Burquina Faso Espanhol Burquina Faso.

  1. Créditos da unidade curricular «Comércio exterior e fazendo negócios no Burquina Faso»: 1 ECTS
  2. Duração estimada: 1 semana

Mestrado em Comércio, Marketing e internacionalização, Universidade Ouaga II e a EENI
Mestrado em Comércio Exterior Burkina Faso

Exemplo da unidade curricular - Comércio exterior e fazendo negócios no Burquina Faso
Fazendo negócios no Burquina Faso

Abdoul Karim estudante EENI
Ouandaogo Abdoul Karim ganhador do prémio regional UEMOA

Confiamos na África

Descrição da unidade curricular: o comércio internacional e os negócios no Burquina Faso.

A República do Burquina Faso:

O Burquina Faso (África Ocidental) baseou a sua estratégia de desenvolvimento para os próximos anos com vistas à abertura aos mercados regionais e mundiais. O Governo do Burquina procura «converter-se em um centro de desenvolvimento na África ocidental.».

O Burquina Faso: uma das economias regionais que mais reformas implantaram.

  1. Um país sem litoral da África
  2. O Burquina Faso compartilha fronteiras com o Mali, o Níger, o Benim, o Togo, o Gana e a Costa do Marfim
  3. A área do Burquina Faso é de 274.200 quilómetros quadrados
  4. A população burquinense: 16 milhões de pessoas
  5. A independência: 1960 (da França)
  6. O Burquina Faso é um dos países mais pobres do mundo
  7. A capital burquinense: Ouagadougou (1,5 milhões de pessoas)
  8. O idioma oficial burquinense: o francês
  9. Os idiomas locais: o moore, o fulfulde, o dioula

A religião do Burquina Faso: o Islão (65% da população, 8 milhões de pessoas) e o cristianismo.

O Burquina Faso pertence ao Espaço Económico da África Ocidental da civilização africana.

O perfil económico do Burquina Faso.

  1. A moeda burquinense: o Franco CFA da África Ocidental
  2. A agricultura: 90% da população burquinense
  3. Principal cultivo comercial: o algodão
  4. Principais exportações: o algodão e o ouro (68%)
  5. Os principais produtos básicos exportados pelo Burquina Faso: algodão, nozes, ouro, vacas, cabras, ovelhas, sementes de sésamo, frutas e verduras
  6. Os portos mais próximos: a Costa do Marfim, o Togo e o Gana (1000 quilómetros)
  7. O crescimento do PIB burquinense: 7%
  8. A composição do PIB: a agricultura 35%, a indústria 23%, os serviços 42%
  9. Os principais setores: a agricultura, o comércio e a mineração
  10. A inflação: 3%
  11. O comércio exterior com os outros países da ECOWAS e da WAEMU (UEMOA) é muito pequeno, limitado a produtos agrícolas
  12. O Índice Fazendo negócios (Banco Mundial): 154
  13. Uma positiva liberalização da economia
  14. Aberto aos investidores estrangeiros
  15. Eventos:
    - Feira de Artesanato Internacional (SIAO)
    - Festival Pan-africano de Cinema e Televisão de Ouagadougou

Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO)

Os estudantes Clément Lonfo e Christelle Yameogo do Burkina Faso recebendo o diploma de Mestrado em Negócios Internacionais
Clément Lonfo e Christelle Yameogo EENI

ONAC (Escritório Nacional Comercial). Uma das principais tarefas da ONAC é promover o comércio internacional entre o Burquina Faso e o resto do mundo.

Os acordos comerciais e o  acesso preferencial do Burquina Faso

  1. A Comunidade dos Estados Sahel-Saarianos (CEN-SAD)
  2. A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO)
  3. A União Económica e Monetária da África do Oeste (UEMOA)
  4. O Acordo Comercial com os EUA
  5. O Acordo de Cotonou
  6. O Sistema de preferências generalizadas (SGP)
  7. A Lei de Crescimento e Oportunidades para a África

Corredor Transafricano:

  1. A Rodovia Transaheliana

Os portos mais próximos.

  1. O Porto de Lomé (Togo) - Terminal do Sahel
  2. O Porto de Takoradi (Gana)
  3. O Porto de Abidjã (Costa do Marfim)
  4. O Porto de Cotonou (Benim) (Rodovia)

O Burquina é membro...

  1. A NEPAD África
  2. O Banco Africano de Desenvolvimento
  3. A Comissão Económica para a África (CEA)
  4. A Câmara de Comércio e Indústria Islâmica (ICCI)
  5. A União Africana (UA) - Convenção sobre a Prevenção e Luta contra a corrupção
  6. A Cúpula África-América do Sul (ASA)
  7. A Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)
  8. A Organização para a Harmonização em África do Direito dos Negócios (OHADA)
  9. O Banco Islâmico de Desenvolvimento
  10. O Fórum Sino-Africano
  11. África-Índia
  12. A Autoridade da Bacia do Níger

Professores EENI no Burkina Fasso:

  1. Doutora Geneviève Barro
  2. Dr. Ousséni SO
  3. Jean Thierry Somda

Autoridade da Bacia do Níger

União Económica e Monetária da África do Oeste (UEMOA)

Grupo Soyaf (Burquina Faso). Criado em 1982 por M. Salif Yameogo Président-Directeur Général, o Grupo Soyaf tornou-se hoje em dia em um dos maiores conglomerados na África do Oeste, e especialmente no Burquina Faso. Multinacionais como o Grupo Telecel Internacional (telecomunicações) ou o Grupo Framlington (investidores), contrataram a esta empresa para implantar se na África. Administram investimentos no valor de 14 milhões de dólares.

TELECEL (Burquina). Criada em 1987 por Miko Rwayitaré e pertencendo em 80% a Orascom Telecom (Egito) desde 2000, Telecel internacional é um grupo multinacional baseado na África do Sul e Genebra. Com ampla experiência na África, Telecel desenvolveu uma experiência muito importante no estudo de projetos e explorações de redes celulares no continente africano. Em todas as suas operações, Telecel Internacional procura parceiros investidores para o desenvolvimento de novos negócios.

Comunidade dos Estados Sahel-Saarianos (CEN-SAD)

Mercado Comum da União Económica e Monetária da África do Oeste

Rodovia Transaheliana (Corredor Dakar-N'Djamena)



Universidade U-EENI