Corredores africanos de transporte

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular - Corredores africanos de transporte multimodal:

  1. Introdução aos corredores africanos de transporte
  2. Programa de ação de Almaty (Nações Unidas)
  3. Rede de rodovias transafricanas / Corredores transafricanos
  4. Cairo-Dakar
  5. Argel-Lagos (Transariano)
  6. Trípoli-Windhoek
  7. Cairo-Gaborone
  8. Rodovia Transaheliana (Corredor Dakar-N'Djamena)
  9. N’Djamena-Jibuti
  10. Dakar-Lagos
  11. Lagos-Mombaça
  12. Beira-Lobito
  13. Corredor Norte
  14. Corredor Lobito
  15. Corredor Central
  16. Corredor Norte-Sul
  17. Corredores na região SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral)
  18. Corredores logísticos na Namíbia
A unidade curricular "A rede de rodovias transafricanas" estuda-se:
  1. Curso Transporte e logística na África
  2. Doutoramento profissional Negócios na África (EaD)
  3. Mestrados profissionais à distancia (EaD): Negócios Internacionais, África Subsariana

Idioma de estudo: Pt + En African Corridors Fr Afrique corridors Es África Corredores.

Exemplo da unidade curricular "Corredores africanos de transporte":
Corredor Africano do norte

Confiamos na África Civilização africana.

Transporte Marítimo na África.

Descrição da unidade curricular: Corredores africanos de transporte.

Quinze países da África não têm saída ao mar: Botsuana, Burquina Faso, Burundi, Chade, República Centro-Africana, Etiópia, Lesoto, Maláui, Mali, Níger, Ruanda, Suazilândia, Uganda, Zâmbia e o Zimbábue. As implicações para estes países:

  1. Elevados custos logísticos (até um 77%)
  2. Demasiado longe dos importantes mercados da África e do mundo
  3. Não pode ter suficientes vantagens do modelo de globalização

Vantagens dos corredores africanos para os países sem litoral:

  1. Passarela de importação e exportação de mercadorias
  2. Desenvolvimento económico regional: o conceito do corredor como motor de desenvolvimento socioeconómico
  3. Nova indústria e novos serviços relacionados
  4. Criação de emprego

De acordo com o "Departamento de Integração Regional e Comércio" da NEPAD há quatro tipos de corredores africanos:

  1. Transporte (um só modo)
  2. Multimodal (mais de um modo, por exemplo: estrada e ferrovia)
  3. Logístico (o enquadramento institucional harmonizou-se, os serviços de alto valor relacionados)
  4. Económico (além disso: atração de investimentos, novas atividades económicas públicas e privadas na região do corredor)

A rede transafricana de estradas é composta por nove corredores.

Rodovia Do - A quilómetros
1 Cairo-Dakar 8,640
2 Argel-Lagos 4,500
3 Trípoli-Windhoek 9,610
4 Cairo-Gaborone 8,860
5 Dakar-N’Djamena 4,500
6 N’Djamena-Jibuti 4,220
7 Dakar-Lagos 4,010
8 Lagos-Mombaça 6,260
9 Beira-Lobito 3,520
TOTAL 54,120

Estes corredores africanos devem ligar com rotas diretas todas as capitais da África, melhorar as instalações de transporte por estrada e, finalmente, contribuir à integração económica do continente africano.

  1. Longitude total: 54.000 quilómetros
  2. 25% dos corredores africanos são trechos que faltam por finalizar
  3. Custo estimado para completar a rede de estradas transafricanas: 4,2 bilhões de dólares
  4. Principais promotores: a União Africana (UA), a NEPAD e todas as comunidades económicas regionais (CER)

Exemplos

Corredores africanos

Corredor Lobito

Corredor Cairo-Dakar

Rodovia Transaheliana

Corredores Logísticos na Namíbia

Argel-Lagos Corredor

Trípoli-Windhoek Corredor

Corredor Dakar-Lagos

N'Djamena-Djibouti Rodovia Transafricana



EENI Escola de Negócios