Mulheres de negócios africanas (Mestrado)

Escola de Negócios EENI & Universidade HA

Conteúdo programático da unidade curricular: as mulheres de negócios africanas.

As mulheres são um dos pilares do desenvolvimento económico da África. Segundo as estimativas recentes, fornecem aproximadamente 70 por cento da mão-de-obra agrícola e produzem ao redor 90 por cento de todos os alimentos na África (OCDE).

Este curso (unidade curricular) é composto por quatro temas:

1- A mulher na África.

  1. O Centro Africano de Género (ACG) da Comissão Económica para a África (CEPA)
  2. O Relatório sobre as mulheres africanas (CEPA)
  3. O Índice de Desenvolvimento e de género Africano (AGDI)
  4. Caso de estudo: a Excelentíssima Doutora Nkosazana Dlamini-Zuma - ex- presidenta da Comissão da União Africana

2- Os direitos das mulheres na África.

  1. O Observatório dos direitos da mulher na África
  2. O Protocolo à Carta africana dos direitos humanos e dos Povos relativos aos direitos da mulher na África
  3. O Programa da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral sobre Género e Desenvolvimento
  4. A Nova Aliança para o Desenvolvimento da África
  5. A Declaração solene dos Chefes de Estado da África sobre a Igualdade de género

3- As Principais mulheres de negócios africanas.

  1. Isabel dos Santos (Angola): a mulher mais rica da África
  2. Folorunsho Alakija (Nigéria)
  3. Hajia Bola Shagaya (Nigéria)
  4. Tara Fela-Durotoye (Nigéria)
  5. Adenike Ogunlesi (Nigéria)
  6. Doutora Amina Odidi (Nigéria - Canadá)
  7. Folake Folarin-Coker (Nigéria)
  8. Cheryl Carolus (África do Sul)
  9. Bridgette Radebe (África do Sul)
  10. Wendy Appelbaum (África do Sul)
  11. Rapelang Rabana (África do Sul)
  12. Irene Charnley (África do Sul)
  13. Divine Ndhlukula (Zimbábue)
  14. Mimi Alemayehou (Etiópia / Estados Unidos)
  15. Minoush Abdel-Meguid (Egito)
  16. Sibongile Sambo (África do Sul)
  17. Iman (Somália)
  18. Monica Katebe Musonda (Zâmbia)
  19. Amini Kajunju (República Democrática do Congo)
  20. Outras mulheres de negócios africanas importantes

4- Mulheres africanas galardoadas com o Prémio Nobel, Chefes de Estado ou Presidentas.

  1. Wangari Maathai (Quénia)
  2. Ellen Johnson-Sirleaf (ex-presidenta da Libéria, Prémio Nobel da Paz)
  3. Leymah Gbowee (Libéria)
  4. Excelência Doutora Joyce Banda (Ex Presidenta do Maláui)
  5. Catherine Samba-Panza (Presidenta interina da República Centro-Africana)

A unidade curricular «As mulheres de negócios africanas» estuda-se nos seguintes programas de ensino superior à distância (EAD) da Escola de Negócios EENI & Universidade HA:
  1. Mestrados: África Subsariana, Negócios Internacionais, Comércio Exterior
  2. Doutoramentos: Negócios na África, Comércio Global
  3. Curso: Economia da África

Estudante mestrado em comércio exterior EAD

Língua de estudo: Ensino superior à distância em Português ou Estudar mestrado comércio exterior em Inglês African Businesswomen Estudar mestrado negócios internacionais em Francês Afrique Femmes d'Affaires Mestrado negócios comércio EAD em Espanhol África Empresárias.

Exemplo da unidade curricular «Mulheres de negócios africanas»
Isabel dos Santos (mulher mais rica da África)





Tweter.png Tweet 
Envie para um amigo:

/ / Envie-nos um WhatsApp / Contactar Skype / Contato por telefone / Print /
Info EENI Voltar

Portal Africano da Escola de Negócios EENI & Universidade HA
Portal África, Escola de Negócios EENI & Universidade HA

Descrição da unidade curricular (EAD) - Mulheres de negócios africanas.

A população total africana: 1.037.694.509 habitantes.

  1. Homens: 518.636.010
  2. Mulheres: 519.058.499

O Centro Africano de género (ACG) da Comissão Económica para a África (CEPA) oferece apoio técnico aos Estados-membros para fazer frente à desigualdade de género e ao empoderamento das mulheres através do desenvolvimento de ferramentas contribuindo à informação para a formulação e a aplicação de políticas eficazes.

A estratégia do Centro Africano de Género inclui a realização de trabalhos da análises e da identificação de boas práticas para que os Estados-membros possam adaptar suas focagens para abordar a desigualdade de género - por exemplo, através do relatório das mulheres Africanas do Espaço Económico da Civilização Africana.

O Observatório dos Direitos das mulheres Africanas (AWRO) aspira a ser a fonte mais completa de informação sobre os direitos das mulheres africanas. O seu objetivo é criar uma base de conhecimentos que permita às diversas partes interessadas controlar o progresso e os desafios da promoção dos direitos das mulheres na África.

O Índice de Desenvolvimento e de Género Africano (AGDI) compreende duas partes, o Índice de Estado de género (GSI) e o Quadro de Indicadores de Progresso da mulher africana (POA). O GSI cobre aqueles aspetos das relações de género que podem ser medidos quantitativamente, enquanto os POA centram-se em questões qualitativas em relação com o desempenho das políticas de género dos governos africanos.

Homens de negócios africanos.

Exemplos - Mulheres de negócios africanas

Relatório mulheres africanas

Nkosazana Dlamini-Zuma (Presidenta da Comissão da União Africana)

Folorunsho Alakija mulher de negócios da Nigéria (Curso EAD)

Bridgette Radebe mulher de negócios da África do Sul (Mestrado EAD, Negócios)

Cheryl Carolus empresária da África do Sul (Mestrado EAD, Negócios)

Hajia Bola Shagaya empresária da Nigéria (Curso EAD)

Tara Fela-Durotoye, empresária nigeriana, curso

Minoush Abdel-Meguid (empresária, Egito)

Bridgette Radebe mulher de negócios da África do Sul (Mestrado EAD, Negócios)

Divine Ndhlukula (mulher de negócios zimbabuana)

Mimi Alemayehou empresária da Etiópia



(c) Escola de Negócios EENI & Universidade HA (1995-2019). Não usamos cookies.