Negócios e governança económica na África

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Unidade curricular: Fazendo negócios e governança económica na África. Programa:

  1. Introdução a governança política e económica na África
  2. O papel da União Africana (UA), do Banco Africano de Desenvolvimento e da Comissão económica para a África (CEA)
  3. Mecanismo Africano de Revisão de Pares (MARP) - NEPAD
  4. Índices Fazendo negócios na África
  5. Governança democrática na África
  6. Tensões civis no continente africano
  7. Conflitos armados na África
  8. Governança económica no espaço económico da civilização africana
  9. Clima de negócios na África
  10. Corrupção na África
  11. Fluxos financeiros Ilícitos na África
  12. Grupo de ação Intergovernamental contra ou branqueamento de dinheiro na África Ocidental
  13. Grupo do Leste e do Sul da África contra a Lavagem de dinheiro
  14. Fórum Africano de Administração Tributaria
  15. Índice Ibrahim da Governança africana (IIAG)
A unidade curricular "Fazendo negócios e governança económica na África" estuda-se:
  1. Mestrados profissionais à distancia (EaD): Negócios Internacionais, África Subsariana
  2. Doutoramento profissional Negócios na África (EaD)
  3. Curso: Economia e negócios na África

Idioma de estudo: Pt ou En African Business Fr Afrique Gouvernance Es África Negocios.

Exemplo da unidade curricular - Negócios e a governança económica na África:
Ambiente Negócios na África

Confiamos na África

Descrição da unidade curricular - Fazendo negócios na África.

A África melhorou nos últimos quinze anos da governança política e económica:

  1. Eleições pacíficas
  2. Governos democráticos
  3. Aumento do papel das mulheres nas atividades políticas.
  4. Maiores ingressos fiscais.
  5. Luta contra a corrupção
  6. Redução dos conflitos armados (visão "Silenciar as armas" da União Africana)

Ameaças.

  1. Países africanos em transição democrática
  2. Protestas da população
  3. Baixos salários
  4. Violência - Terrorismo
  5. Primavera árabe
  6. Inquietação social
  7. Conflitos transfronteiriços

Índice Ibrahim Governação africana

Melhor país em melhorias na transparência orçamentária: o Burquina Faso

Os dez países menos corruptos da África (Transparência Internacional): Cabo Verde, as Seicheles, Ruanda, Maurícia, Lesoto, Namíbia, Gana, Santo Tomé e Príncipe, África do Sul, Senegal.

Os países com a melhora do ambiente empresarial mais alta da África (desde 2000): a Libéria, Ruanda, Serra Leoa, Maurícia e o Senegal (Fonte: Banco Africano de Desenvolvimento)

Os maiores países africanos exportadores de fluxos ilícitos: a Nigéria e a África do Sul

O Índice Mo Ibrahim da Governança na África analisa a situação da governança política e económica em trinta países africanos.

Os principais dez países no Índice Ibrahim da governança na África:
1- Maurícia
2- Cabo Verde
3- Botsuana
4- África do Sul
5- As Seicheles
6- Namíbia
7- Gana
8- Tunísia
9- Senegal
10- Lesoto

Ranking de Facilidade de fazer negócios (Banco Mundial)

Maurícia é o país africano com o mais alto ranking na facilidade de fazer negócios do Banco Mundial (BM), seguido pela África do Sul, Ruanda, Gana, Botsuana, as Seicheles, Namíbia, Suazilândia, Zâmbia, Cabo Verde...

Os dez países com o ranking mais baixo são: a Libéria, Mauritânia, Congo, Guiné-Bissau, Angola, Congo, República Democrática do Congo, Chade, Sudão do Sul, República Centro-Africana e a Eritreia.

  1. Maurícia
  2. África do Sul
  3. Ruanda
  4. Gana
  5. Botsuana
  6. Seicheles
  7. Namíbia
  8. Suazilândia
  9. Zâmbia
  10. Cabo Verde
  11. Moçambique
  12. Lesoto
  13. Tanzânia
  14. Etiópia
  15. Quénia
  16. Gâmbia
  17. Serra Leoa
  18. Gabão
  19. Mali
  20. Costa do Marfim
  21. Togo
  22. Uganda
  23. Benim
  24. Burundi
  25. Santo Tomé e Príncipe
  26. Camarões
  27. Comores
  28. Sudão
  29. Senegal
  30. Madagáscar
  31. Maláui
  32. Guiné Equatorial
  33. Burquina Faso
  34. Níger
  35. Guiné
  36. Nigéria
  37. Zimbábue
  38. Libéria
  39. Mauritânia
  40. Congo, Rep
  41. Guiné-Bissau
  42. Angola
  43. República Democrática do Congo
  44. Chade
  45. Sudão do Sul
  46. República Centro-Africana
  47. Eritreia

Mecanismo Africano Revisão



EENI Escola de Negócios