Por que estudar Religiões e Negócios?

Escola de Negócios EENI & Universidade HA

Por que estudar Religiões, Negócios e Relações Económicas Internacionais? (Mestrado / Doutoramento)

Doutoramentos, mestrados e cursos:

  1. Doutoramento em Ética Global, Religiões e Negócios Internacionais
  2. Mestrado em Religiões, Negócios e Relações Económicas Internacionais
  3. Cursos Religiões e Negócios: Cristianismo, Ortodoxia, Islão, Religiões da Índia, Religiões da China, Budismo

Religiões e Negócios Internacionais

Apesar do fenómeno da globalização, a tendência à regionalização é cada vez mais importante. As diferentes religiões do mundo (84% da humanidade pertencem a alguma religião) definem uma série de espaços económicos que influenciam significativamente o modo de fazer negócios, da política, da cultura, das relações económicas dentro de cada espaço económico, bem como delinear as interações com outros espaços económicos.

Qualquer profissional relacionado aos negócios internacionais deve conhecer, além dos fundamentos do comércio exterior e do marketing global, os pilares dessas religiões para entender como elas influenciam os negócios e os seus respetivos espaços económicos. Este conhecimento será essencial para evitar confrontos interculturais e adaptar as estratégias de internacionalização e de marketing internacional a cada espaço económico.

O Mestrado / Doutorado em Religiões, Negócios e Relações Económicas Internacionais tem como foco analisar os pilares dessas religiões, as características dos espaços económicos globais, as principais organizações económicas e os acordos comerciais relacionados a cada espaço económico.

Civilizações, religiões e integração (mestrado)

Muitos dos grandes empresários e filantropos do mundo declaram abertamente sua adesão a alguma religião. Assim, analisam-se os perfis de vários homens e mulheres de negócios de cada uma das religiões estudadas, onde observa-se a importante influência de suas crenças em seus negócios. A seguir estão alguns dos empresários analisados.

Homens de negócios cristãos (católicos e protestantes)

Dois dos empresários mais ricos do mundo são cristãos: Amâncio Ortega (fundador de Inditex, Catolicismo, Espanha) e Carlos Slim (Cristiano Maronita, México).

Isabel dos Santos (a mulher mais rica da África, Angola) ou Folorunsho Alakija (a mulher mais rica da Nigéria) são cristãs.

Isabel dos Santos (mulher mais rica da África)

O empresário norte-americano Tomé Monaghan (fundador de Domino Pizza, assumiu os votos de pobreza) é católico. O homem mais rico da Colômbia, Luís Sarmiento, também é católico.

Outros empresários(as) cristãos analisados:

Mulheres de negócios e políticas africanas cristãs

  1. Cheryl Carolus (África do Sul)
  2. Divine Ndhlukula (Zimbábue)
  3. Amini Kajunju (RD Congo)
  4. Excelentíssima senhora Nkosazana Dlamini-Zuma (África do Sul)
  5. Ellen Johnson-Sirleaf (Libéria) 

Empresários africanos cristãos.

  1. Patrice Motsepe (África do Sul)
  2. Cyril Ramaphosa (África do Sul)
  3. Mike Adenuga (Nigéria)
  4. Teófilo Yakubu Danjuma (Nigéria)
  5. Orji Uzor Kalu (Nigéria)
  6. Strive Masiyiwa (Zimbábue)
  7. Sifiso Dabengwa (Zimbábue)

Empresários americanos cristãos

  1. António de Moraes (Brasil)
  2. João Marinho (Brasil)
  3. Felipe Anschutz: empresário e filantropo norte-americano (Estados Unidos, presbiteriano)
  4. S. Truett Cathy (Estados Unidos, batista)
  5. Ray Hunt (Estados Unidos, metodista)
  6. Howard Ahmanson (Estados Unidos, pentecostal)
  7. Steve Strang (Estados Unidos, pentecostal)

Folorunsho Alakija mulher de negócios da Nigéria

Homens de negócios ortodoxos

Vladimir Potanin, um dos maiores empresários russos ou o empresário egípcio Onsi Sawiris (fundador do Grupo Orascom) são cristãos ortodoxos

Onsi Sawiris empresário egípcio ortodoxo

Outros empresários(as) ortodoxos analisados:

  1. Helena Baturina (Rússia)
  2. Alexandre Lebedev (Rússia)
  3. Nayla Hayek (Líbano)
  4. Mimi Alemayehou (Etiópia)

Homens de negócios muçulmanos analisados

Sua Alteza Real o Príncipe Saudita Al Waleed Bin Talal (um dos maiores investidores do mundo), Alhaji Aliko Dangote (o homem mais rico da África, Nigéria), Mohamed Ibrahim (um dos africanos mais influentes do mundo, Sudão), Yusuf Hamied (fundador de um dos maiores laboratórios farmacêuticos do mundo, Índia) ou a saudita Lubna Olayan (uma das empresárias mais influentes do mundo) são muçulmanos.

Sulaiman Al-Rajhi (Empresário, Arábia, curso)

Outros empresários(as) muçulmanos analisados:

  1. Empresários (as) muçulmanos da África: Minoush Abdel-Meguid, Iman, Hajia Bola Shagaya, Amina Odidi, Maomé Hussein Ali Al Amoudi, Tarek Talaat Moustafa, Maomé Mansour, Osama Abdul Latif, Maomé Ali Harrath, Othman Benjelloun, Tunde Folawiyo, Maomé Dewji, Hassan Abdalla, Adewale Tinubu, Said Salim Bakhresa, Ahmed Mekky, Maomé Hassan Bensalah, Naushad Merali, Olufemi Otedola, Aziz Akhannouch, Abdulsamad Rabiu, Reginald Mengi, Miloud Chaabi, Anas Sefrioui, Alhaji Muhammadu Indimi, Ali Haddad
  2. Empresárias árabes: Lubna Bint Khalid Al Qasimi, Reem Ebrahim Al Hashimi, Amina Al Rustamani, Shaikha Al Maskari, Hayat Sindi, Shaikha Al Bahar, Maha Al Ghunaim, Hanan Al Kuwari, Randa Ayoubi, Ayah Bdeir
  3. Empresários árabes: Maomé Bin Issa Al Jaber, Jawad Ahmed Bukhamseen, Nasser Al Kharafi, Yusuf Bin Ahmed Kanoo, Abdul Aziz Ghurair, Majid Al Futtaim, Maomé Al Barwani, Sulaiman Al-Rajhi
  4. Empresários muçulmanos da Ásia: Muhammad Yunus, Mian Muhammad Mansha, Salman Rahman, Dewan Farooqui, Sandiaga Salahuddin Uno, Azim Premj, Guarda Revolucionária islâmica, Bonyads, Muhammad Mannan

Alhaji Dangote Homem mais rico da África (curso)

Homens de negócios hinduístas analisados

Importantes empresários índios são hinduistas: Shri Mukesh Ambani (diretor da Reliance Industries, 3% do PIB índio), Senapathy Gopalakrishnan (co-presidente da Infosys, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo) ou Kiran Mazumdar (fundadora da BIOCOM, a maior empresa de biotecnologia da Índia)

Srichand Hinduja empresário hinduista (curso)

Outros empresários(as) hinduístas analisados:

  1. Kumar Birla
  2. S P Hinduja

Homens de negócios budistas analisados

Kazuo Inamori (fundador de Kyocera e monge budista, Japão) ou Lee Kun-hee (presidente de Samsung, Coreia do Sul) são budistas.

Kazuo Inamori empresário budista

Outros empresários budistas analisados:

  1. Kith Meng (Camboja)
  2. Thaksin Shinawatra (Tailândia)
  3. Grupo Jyoti (Nepal)

Homens de negócios de outras religiões

O cristianismo, o islamismo, o hinduísmo (1.210 milhões de hindus) e o budismo são considerados as maiores religiões do mundo (por número de fiéis), mas também é necessário conhecer o perfil dos empresários de outras religiões minoritárias.

Homens de negócios zoroastrianos analisados

O grupo TATA (tem marcas ocidentais como Jaguar ou Land Rover, 3,2% do PIB da Índia) pertence a uma família zoroastriana

Grupo TATA (Índia, Zoroastrismo)

  1. Ardeshir Godrej
  2. Cyrus S. Poonawalla
  3. Família Wadia

Homens de negócios jainistas analisados

A família Sahu Jain, que controla o maior grupo indiano de comunicação, é jainista

Indu Jain Índia

  1. Gautam Adani
  2. Bhavarlal Hiralal Jain
  3. Ajit Gulabchand

Homens de negócios siques analisados

Empresas como o Grupo Rotchild ou Mastercard contrataram gerentes siques (sikhs) devido à sua retidão moral.

Empresários sikhs, doutoramento

  1. Manmohan Singh (Ex-primeiro-ministro da Índia)
  2. Ajaypal Singh Banga
  3. Hardeep Singh
  4. Jogishwar Singh

Homens de negócios judeus analisados

Embora o judaísmo represente apenas 0,2% da população mundial, sua influência nos negócios internacionais é muito importante. A mulher de negócios sul-africana (Wendy Appelbaum), um dos maiores empreendedores da Argélia (Issad Rebrab) ou um dos banqueiros mais ricos do mundo (Joseph Safra, Brasil) são judeus.

Wendy Appelbaum (Empresária, África do Sul)

Homens de negócios confucionistas e taoístas  analisados

O empresário chinês Zhang Ruimin (presidente do Grupo Haier) é confucionista.

O empresário taiwanês Chang Yung-fa (fundador do grupo de logística Evergreen) professa a religião I-Kuan Tao (baseada no taoismo, no confucionismo e no budismo).

Zhang Ruimin, empresário confucionista (Mestrado)

Homens de negócios agnósticos analisados

O Compromisso de dar, a maior iniciativa filantrópica do mundo, foi criado pelos americanos: Bill Gates (fundador de Microsoft) e Warren Buffett (um dos maiores investidores do mundo), ambos agnósticos.

Warren Buffett homem de negócios norte-americano

Civilizações, religiões e integração económica

Os espaços económicos analisados são os seguintes:

  1. Espaço Económico da Civilização Africana
    1. Espaço Económico da África Ocidental
    2. Espaço Económico da África Central
    3. Espaço Económico da África Austral
    4. Espaço Económico da África Oriental
    5. Espaço Económico magrebino
    6. Interações da Civilização Africana com as outras civilizações
  2. Espaço Económico da civilização hindu
  3. Espaço Económico da civilização sínica
  4. Espaço Económico da civilização budista
  5. Espaço Económico da civilização islâmica
    1. Espaço económico árabe
    2. Espaço económico da Eurásia Central
    3. Espaço económico malaio
    4. Espaço magrebino
    5. Espaço africano
    6. Integração económica da Civilização Islâmica
    7. Interações da Civilização Islâmica com as outras civilizações
  6. Espaço Económico da civilização Cristã-Ocidental
    1. Espaço Económico europeu (Alemanha)
    2. Espaço Económico americano
      1. Espaço Económico norte-americano (Estados Unidos)
      2. Espaço Económico latino-americano (Brasil)
      3. Espaço Económico caribenho
    3. Espaço Económico da Oceânia
  7. Espaço Económico da civilização ortodoxa (Rússia)

Para cada um desses espaços económicos, as principais organizações económicas e os principais acordos comerciais são analisados de forma resumida.

Por exemplo, para o Espaço Económico da África Oriental da civilização africana, as seguintes organizações económicas regionais são resumidas:

Curso Mestrado: Integração económica na África Oriental

  1. Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA)
  2. Comunidade da África Oriental (EAC)
  3. Autoridade Intergovernamental para o desenvolvimento (IGAD)
  4. Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC)
  5. Conferência Internacional sobre a região dos Grandes Lagos
  6. Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos (CEN-SAD)
  7. Associação da Bacia do Oceano Índico (IORA)
  8. Iniciativa da Bacia do Nilo (NBI)
  9. Comissão do Oceano Índico (IOC)
  10. Comunidade Económica da região dos Grandes Lagos (CEPGL)
  11. Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC)

Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA)

Acordos de Livre-Comércio relacionados à África Oriental.

  1. Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC
  2. Os acordos comerciais do Egito com o MERCOSUL, Turquia, a União Europeia (EUROMED) e a Associação Europeia de Livre-Comércio
  3. Acordo de Agadir
  4. Acordo Marco de comércio e investimentos COMESA-Estados Unidos
  5. Acordo Comercial Comunidade da África Oriental-Estados Unidos
  6. Acordos Índia-Maurícia e Maurícia-Paquistão
  7. Parceria estratégica União Europeia-África (Cotonou)
  8. Sistema de preferências generalizadas (SPG) da UE
  9. Lei de Crescimento e Oportunidades para a África (AGOA)
  10. Sistema de Comércio Preferencial da Organização da Cooperação Islâmica

Curso: Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC África

Além das interações económicas com o resto dos espaços económicos mundiais.

Mestrado Curso: Cooperação África-BRICS (Brasil)

Do ponto de vista religioso, a abordagem de treinamento é neutra, isto é, não se baseia na superioridade de qualquer religião ou de qualquer tipo de proselitismo, e que somente através do conhecimento dos pilares dessas religiões podem ser respeitadas e, portanto, ser capaz de se adaptar regionalmente de acordo com as características de cada espaço económico.





Tweter.png Tweet 
Envie para um amigo:

/ / Envie-nos um WhatsApp / Contactar Skype / Contato por telefone / Print /
Info EENI Voltar

Estudar mestrado comércio exterior em Inglês Doctorate Global Ethics Estudar mestrado negócios internacionais em Francês Doctorat Éthique mondiale Mestrado negócios comércio EAD em Espanhol Doctorado Ética y Religión

Mestrado negócios comércio EAD em Espanhol Maestría en Religiones y Negocios Estudar mestrado comércio exterior em Inglês Master in Religions and Business Estudar mestrado negócios internacionais em Francês Master en religions et affaires



(c) Escola de Negócios EENI & Universidade HA (1995-2019). Não usamos cookies.