Taoismo (Lao Zi): Ética e negócios

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo Conteúdo programático da unidade curricular. Taoismo (Não Atuar) - Tao Te Ching (China)

«Quantas mais leis e regulações, mais ladrões» Tao Te Ching.

Taoismo Ética e Negócios

  1. Introdução ao taoismo
  2. Lao Zi
  3. Princípios taoistas: o Tao Te Ching
  4. O Tao (Sentido) e o Te (Virtude). Yin - Yang
  5. Princípio de Não Atuar (Wu Wei)
  6. Princípios éticos taoistas
  7. O Taoismo hoje em dia. Taoistas famosos
  8. Governo e Taoismo
  9. Casos das empresas com influência taoista

Objetivos da unidade «Taoismo»:

  1. Conhecer os fundamentos do taoismo
  2. Entender os princípios «éticos» dos taoistas
  3. Analisar casos das empresas taoistas

Créditos

A unidade curricular «Taoismo: ética e negócios» estuda-se:
  1. Curso: China
  2. Mestrados profissionais: Ásia, Países BRICS, Negócios Internacionais
  3. Doutoramentos à distancia: Ética Global, Religiões e Negócios, Ásia

Idioma de estudo: Espanhol Taoismo Inglês Taoism Francês Taoisme.

  1. Créditos da unidade curricular «Religiões da China (Taoismo) »: 3 ECTS
  2. Duração estimada: 3 semanas

Harmonia das Religiões Negócios Ahimsa

Descrição Descrição da unidade curricular - Princípios Taoistas - Tao Te King:

Apesar da dificuldade de obter dados fiáveis sobre o Taoismo na China, estima-se que ao redor de 50 milhões de pessoas, a maioria chineses, praticam o taoismo, uma religião (ou filosofia) criada por Lao Zi (O Velho Maestro), nascido talvez o 604 a.C e ao que se lhe atribui a obra fundamental Taoista: o «Tao Te Ching», um dos livros mais breves de todas as religiões com só 5000 palavras.

O Tao Te Ching é um livro de muito difícil interpretação. De todas as religiões asiáticas, esta seja quiçá a mais difícil de explicar e de entender para um ocidental:

«O Tao Te Ching pode ser lido em uma tarde ou em toda uma vida.» Houston Smith

Exemplo da unidade curricular - Taoismo
Taoismo Wu Wei

Ao igual que Jesus, Buda ou Confúcio, Lao Zi não quis fundar nenhuma religião, apesar de que com o tempo foi reverenciado como um Deus ou surja uma igreja Taoista.

Para os taoistas, a ordem e a harmonia do universo são manifestações do Tao. Para Lao Zi não existem palavras que o ser humano conheça capazes de definir o Tao.

O Tao é a causa de tudo, sua origem e seu fim. Se as pessoas seguem o Tao, a harmonia reina; se não o seguem vem o caos. Para Lao Zi nada é fruto da casualidade. Se Confúcio assimilou o Céu a Deus, Lao Zi deu um passo mais. A diferença do conceito cristão de Deus como criador do Universo, o Tao nunca foi criado, sempre existiu. O Tao fala da «total ausência do desejo» como caminho a seguir.

O homem não deve tentar modificar o Tao, deve o deixar fluir.

O conceito de «Não fazer / Não atuar» (Wu Wei) é um princípio fundamental Taoista, é um conceito muito difícil de entender para um Ocidental. Wu Wei diz-nos que a forma mais correta de atuar é precisamente não atuar, não forçando a situação; justo o contrário que o confucionismo. Às vezes tem-se-lhe chamado «a quietude criativa».

«O sábio obra sem atuar, ensina sem falar.
Todos os seres apresentam-se ante ele, e a nenhum diz não.
Cria, mas não possui. Realiza mas não retém.
Quando termina a obra, não se aferra a ela.
E precisamente por não aferrasse, nada nem ninguém a abandona.» Tao II

O Yin e o Yang, um dos princípios taoistas, se manifesta em qualquer ser ou objeto, inclusive no pensamento. No Tao encontraremos contínuas referências ao conceito dual do Yin e o Yang.

Confucionismo e o taoismo, Yin e Yang, classicismo e romantismo, a responsabilidade e a liberdade, os dois polos da sociedade chinesa, sem um quiçá seria impossível a existência do outro. Estas duas tradições de sabedoria, junto do budismo e o Xamanismo fazem parte do acervo espiritual da civilização sínica de toda sua área da influência: a China, a Coreia do Sul (e da Coreia do Norte historicamente), o Japão, o Vietname, Singapura, Hong Kong, Taiwan...

Princípios éticos taoistas
Ética Taoista

Religiões e negócios: Pársis, Jainismo, Siquismo, hinduísmo, Budismo, Confucionismo.



Universidade U-EENI