Confucionismo e negócios

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular - Confucionismo: ética e negócios (China, Japão...)

Confucionismo Ética e Negócios

  1. Introdução ao confucionismo
  2. Confúcio
  3. Os livros do confucionismo. Os Analectos
  4. Os fundamentos do confucionismo
  5. Os princípios da ética do confucionismo
  6. A Regra de Ouro do confucionismo
  7. Os cinco princípios fundamentais do confucionismo:
    1. Educação - Ritual (Li)
    2. Humanidade (Ren)
    3. Homem superior (Jun zi)
    4. Poder (Te)
    5. Artes da paz (Wen)
  8. O Justo Médio do confucionismo
  9. «Palavras corretas»
  10. A hierarquia do confucionismo
  11. O Confucionismo hoje em dia
  12. Casos de estudo: empresas e confucionismo
    1. Empresa GALANZ (China)
    2. Zhang Ruimin «O empresário confucionista» (China)
    3. Chang Yung-fa. Diretor do Evergreen (Taiwan)

Os objetivos da unidade «Confucionismo: ética e negócios» são os seguintes

  1. Conhecer os fundamentos do confucionismo
  2. Entender os princípios éticos do confucionismo
  3. Analisar as figuras dos empresários confucionistas
  4. Estudar a influência do confucionismo nos negócios e na área econômica da Civilização Sínica
A unidade curricular «Confucionismo: ética e negócios» estuda-se:
  1. Doutoramentos: Ética, Religiões e Negócios, Ásia
  2. Mestrados à distância: Ásia, Países BRICS, Negócios Internacionais
  3. Curso: China

Língua de estudo: Português + Espanhol Confucionismo Inglês Confucianism Francês Confucianisme.

  1. Créditos da unidade curricular «Religiões da China (Confucionismo) »: 3 ECTS
  2. Duração estimada: 3 semanas

Faça o download do conteúdo programático do módulo «Religiões da China» (PDF)

«A benevolência... Consiste em não fazer a outros o que não quer que te façam a ti». Confúcio

Zhang Ruimin, empresário confucionista

Descrição da unidade curricular - Confucionismo: ética e negócios:

Kongzi (Mestre Kong), também chamado Kung-tse (os jesuítas latinizaram com o nome de Confúcio), nasceu em 551 EC em Kufow, no estado de Lu e morreu em 479 EC aos 73 anos. Também foi conhecido como Kung o Sábio ou o Maestro Kung (Kung-Fu-Tsu). Confúcio foi contemporâneo de Lao Zi, Buda, Deuteroisaias, Pitágoras ou Mahavira.

A época de Confúcio foi a época chamada dos Estados Combatentes (Século V EC até o III EC) da dinastia Chou (1122 - 256 EC) uma sociedade arruinada, encasulada em um sistema de castas feudal e fragmentada em pequenos estados em contínua guerra entre se, a sociedade precisava um novo modelo.

Nesta época surgiram as chamadas «cem escolas» que preconizavam diferentes filosofias, mas só duas têm perdurado até nossos dias: o confucionismo e o taoismo.

É importante assinalar que Confúcio não queria criar uma nova religião, foi um reformador, ele admitia ser um homem qualquer. Confúcio quis renovar politicamente a sociedade para que os homens conseguissem a máxima felicidade. Confúcio cria no Céu (Tsien) como algo misterioso e impessoal que atua sobre o mundo. Ao longo da história, ao igual que em outras religiões, surgirá uma religião: o confucionismo.

Os Analectos (Lun Yu) ou «Ditos de Confúcio» ou «Comentários filosóficos», são a principal fonte do pensamento do confucionismo, resume em forma de diálogos o essencial da doutrina de Confúcio.

Confúcio foi sobretudo um criador de um sistema social baseado na tradição que influiu em toda a área da Civilização Sínica: a China, a Coreia, o Vietname, Taiwan, Hong Kong, Singapura e o Japão durante mais de 2.500 anos.

Influiu de forma significativa na sociedade em diferentes áreas: a política, a económica, a social e a cultural, bem como na mentalidade e o modo de ser de todos os chineses, alguns estudiosos estrangeiros a consideram a religião mais importante da China.

O Confucionismo tem o objetivo de ajudar ao aperfeiçoamento do ser humano, não procura uma salvação como em outras religiões, senão que procura a ordem, a sabedoria e o conhecimento.

Pese a anos de comunismo e a consequente proibição da religião na China, esta volta a emergir com força na sociedade chinesa. Especialmente hostil, foi a época de Mao Tse Tung, e designadamente na fase da revolução cultural (Campanha Anti- Confúcio de Mao)

As religiões tradicionais (Xamanismo), o taoismo, o budismo e sobretudo o confucionismo estão a cada dia mais presentes na sociedade chinesa.

É muito difícil conhecer as estatísticas da religião para a China em onde uma pessoa pode ser ao mesmo tempo confucionista, taoista e budista.

Harmonia das Religiões Negócios Ahimsa

O Confucionismo teve grande influência no Ocidente, como por exemplo, em Lev Tolstói.

Exemplo da unidade curricular - Confucionismo
Ética do confucionismo

Chang Yung-fa Empresário Taiwan

Religiões do mundo: Zoroastrismo, Siquismo, Jainismo, hinduísmo, taoismo, Budismo.

Universidade U-EENICatalunña es España