Associação Euro-Mediterrânica (EUROMED)

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular: A Associação Euro-Mediterrânica (EUROMED) - União Europeia.

  1. Introdução a Associação Euro-Mediterrânica (EUROMED)
  2. Processo de Barcelona e a União para o Mediterrâneo (UPM)
  3. Comércio exterior União Europeia - Países do Mediterrâneo
  4. Área de livre comércio Euro-Mediterrânica
A subunidade curricular "Associação Euro-Mediterrânica" estuda-se:
  1. Doutoramento profissional Negócios na África
  2. Mestrados à distancia (EaD): Negócios Internacionais, Europa, África Subsariana
  3. Cursos: Magrebe, Relações internacionais da África

Idioma de estudo: En EUROMED Es EUROMED Fr EUROMED.

Descrição da subunidade curricular - Associação Euro-Mediterrânica:

O objetivo da Declaração de Barcelona foi a criação de uma Associação Euro-Mediterrânica procurando transformar ao Mediterrâneo em um espaço comum de paz, estabilidade e prosperidade, procurando o diálogo político entre os países. Também buscava-se Associação Económica e financeira, além disso de potenciar aspetos de tipo social, cultural e humano.

Comércio exterior de produtos:
- Exportações da União Europeia para a região do sul do Mediterrâneo: Euros 119 bilhões
- Importações comunitárias da região do sul do Mediterrâneo: Euros 105 bilhões
- O comércio internacional total da União Europeia com os países do sul do Mediterrâneo foi de euros 224 bilhões - o 10% do total do comércio exterior da União Europeia (UE).

Terceiros países mediterrâneos (TPM): a Argélia, a Autoridade Palestina, Chipre, Egito, Israel, Jordânia, Líbano, Malta, Marrocos, Síria, a Tunísia e a Turquia.

Convidou-se à Liga dos Estados Árabes e a União do Magrebe árabe (UMA), assim como a Mauritânia (em qualidade de membro da UMA).

A União Europeia e seus parceiros mediterrâneos acordaram desenvolver uma Associação Económica e financeira baseada em:
- A formação progressiva de uma área de livre comércio;
- A elaboração de uma cooperação e um acordo económico;
- O aumento significativo da assistência financeira da União Europeia a seus parceiros.

a área de livre comércio Euro-Mediterrânica deve conseguisse através dos acordos Euro mediterrâneos e dos tratados de livre comércio (TLC) entre os terceiros países mediterrâneos. Fixou-se o 2010 como prazo para instaurar progressivamente a área de livre comércio Euro-Mediterrânica, que deve incluir a parte essencial do comércio exterior, respeitando as obrigações derivadas da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Os obstáculos tarifários e não tarifários ao comércio exterior de produtos vão ser removidos conforme a uns calendários. Prevê-se também a liberalização progressiva do comércio exterior de produtos agroalimentares e de serviços.

Para facilitar a formação da área de livre comércio Euro-Mediterrânica, a União Europeia e os terceiros países mediterrâneos definiram:
- A adoção de disposições idóneas nas normas de origem (conceito de Acumulação de origem), o certificado de origem, a proteção dos direitos da propriedade intelectual (DPI), o setor industrial e a concorrência;
- A pesquisa e o desenvolvimento de políticas baseadas nos princípios da economia de mercado e a integração das suas economias;
- O ajuste e a modernização das estruturas económicas e sociais.

Os países membros africanos da União pelo Mediterrâneo: a Argélia, a República árabe do Egito, Mauritânia, o Marrocos e a Tunísia.

A União pelo Mediterrâneo pertence ao espaço económico europeu da civilização ocidental.

Exemplo da subunidade curricular - Associação Euro-Mediterrânica (EUROMED)
Associação Euro-Mediterrânica (EUROMED)

Política Europeia de Vizinhança.



EENI Escola de Negócios