Escola de Negócios EENI Business School

Comércio e Negócios na Tunísia, Tunes


Compartilhar por Twitter

Conteúdo programático da unidade curricular (UC): Comércio exterior e negócios na Tunísia. A economia tunisiana.

  1. Introdução à República Tunisina (Magrebe)
    1. Tunes, Sfax, Sousse;
    2. Hichem Djaït (historiador tunisiano).
  2. A economia tunisiana;
  3. O comércio exterior tunisiano
    1. A Direção Geral de Alfândegas (aduanas) Tunisianas;
    2. Os acordos multilaterais da Tunísia.
  4. O setor industrial da Tunísia
    1. A Agência para a promoção da Indústria.
  5. O investimento estrangeiro direto (IED) na Tunísia;
  6. Casos de estudo: as empresas da Tunísia
    1. Maomé Ali Harrath;
    2. BENETTON Tunísia;
    3. Unilever;
    4. Danone;
    5. Stial;
    6. Tunísia Telecomunicações;
    7. Best Brands;
    8. A fabricação Ideal Sul.
  7. Acesso ao mercado tunisiano;
  8. Plano de negócios para a Tunísia.

Os objetivos da UC «Comércio exterior e negócios na República Tunisina» são os seguintes:

  1. Analisar a economia e o comércio exterior (exportações, importações, investimentos IED) tunisiano;
  2. Avaliar as oportunidades de negócio na Tunísia;
  3. Analisar as relações comerciais da Tunísia com o país do estudante;
  4. Conhecer os acordos de livre-comércio (ALC) da Tunísia;
  5. Analisar o perfil de empresas tunisianas;
  6. Desenvolver um plano de negócios para o mercado tunisiano.

Exemplo:
Comércio exterior e negócios na Tunísia.

Exemplo:
Acordo de Associação União Europeia (Portugal)-Tunísia

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Negócios no Magrebe

Estudante Mestrado e Doutoramento Online em negócios internacionais

A UC «Comércio Exterior e Negócios na Tunísia» é estudada nos seguintes programas de ensino superior online ministrados pela EENI Global Business School (Escola de Negócios):

Curso: Negócios no Magrebe.

Mestrados (MIB): Negócios Internacionais, Comércio Exterior.

Mestrados em Comércio Exterior e Negócios Internacionais - Formação online

Doutoramento (Doutorado DIB): Negócios Africanos, Negócios Islâmicos, Comércio Mundial.

Doutorados (Doutoramentos) Profissionais em Negócios Internacionais - Formação online

Línguas: Ensino superior à distância (Cursos, Mestrados, Doutoramento) em Português, comércio exterior + Estudar em Inglês online, curso mestrado doutoramento, comércio exterior, negócios internacionais Tunisia ou Estudar mestrado negócios internacionais e comércio exterior em Francês Tunisie Mestrado negócios internacionais comércio exterior EAD em Espanhol Túnez.

  1. Créditos da UC «Comércio exterior e negócios na Tunísia»: 2 ECTS;
  2. Duração: 2 semanas.

Confiamos em áfrica. Ensino superior a preços acessíveis para os africanos. Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé

Comércio exterior e negócios na Tunísia.

A Tunísia: o primeiro exportador mundial de datas. Importante destino turístico no Mediterrâneo.

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Transporte e logística em África

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Integração regional africana

Exemplo:
União do Magrebe Árabe (UMA): a Argélia, a Líbia, o Marrocos, a Mauritânia e a Tunísia

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Facilitação do Comércio

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Organizações islâmicas

Organizações islâmicas.

  1. Liga dos Estados Árabes (LEA);
  2. Comissão Económica e Social para a Ásia Ocidental (CESPAO);
  3. Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)
    1. Centro de Investigação Económica - Social e de Ensino para os Países Islâmicos;
    2. Centro Islâmico para o Desenvolvimento do Comércio Exterior;
    3. Câmara de Comércio e Indústria Islâmica;
    4. Comité para a Cooperação Económica e Comercial da OCI.
  4. Banco Islâmico de Desenvolvimento (BIsD);
  5. Cooperação África-Países árabes (ASA);
  6. Banco Árabe para o desenvolvimento económico de África (BADEA);
  7. Fundos Árabes para o Desenvolvimento.

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Instituições africanas (UA, AFDB, AUDA-NEPAD, UNECA)

Organizações económicas e comerciais africanas.

  1. União Africana (UA)
    1. Agência de Desenvolvimento da União Africana (AUDA-NEPAD);
    2. Convenção sobre a Prevenção e Luta contra a corrupção (UA).
  2. Comissão Económica das Nações Unidas para a África (CEA);
  3. Banco Africano de Desenvolvimento (BAfD);
  4. África-Países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul);
  5. Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África do Sul;
  6. Cúpula América do Sul (Brasil)-África (ASA);
  7. Relações África-Japão (TICAD);
  8. Fórum de Cooperação China-África (FOCAC);
  9. Associação África-Turquia;
  10. Nova Parceria Estratégica África-Ásia (NAASP);
  11. Associação África-Coreia do Sul;
  12. Acordo para a cooperação África-Índia.

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Globalização e organizações

Organizações económicas globais.

  1. Nações Unidas (NU)
    1. Conferência sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD);
    2. Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI);
    3. Centro de Comércio Internacional (INTRACEN).
  2. Banco Mundial (BM);
  3. Organização Mundial do Comércio (OMC);
  4. Fundo Monetário Internacional (FMI).

Exemplo:
Comunidade dos Estados do Sahel-Saara (CENSAD) o Benim, o Burquina Faso, a República Centro-Africana, o Chade, as Comores, a Costa do Marfim, Jibuti, do Egito, a Eritreia, a Gâmbia o Gana, a Guiné-Bissau...

República Tunisina.

  1. A capital da Tunísia: Tunes;
  2. As principais cidades da Tunísia são Tunes, Sfax, Sousse, Kairouan, Bizerte e Gabes;
  3. A área tunisiana: 163.610 quilómetros quadrados;
  4. A população da Tunísia: 11 milhões de habitantes;
  5. A população urbana da Tunísia: 65%;
  6. As fronteiras da Tunísia: a Argélia e Líbia;
  7. As línguas principais da Tunísia: árabe, francês e berbere;
  8. Tipo de governo: República parlamentar unicameral unitária;
  9. A moeda da Tunísia: o Dinar tunisiano (TND);
  10. A independência tunisiana: 1956 (da França);
  11. A abolição da escravatura na Tunísia: 1846.

Mais informação: Tunísia (Portal Negócios em África da EENI).

A religião na Tunísia: o Islão.

  1. A maioria da população da Tunísia é muçulmana, a religião oficial da Tunísia é o Islão;
  2. A Escola Fiqh (Jurisprudência islâmica): Maliquismo.

A Tunísia pertence ao Espaço Económico magrebino da Civilização Islâmica e da Civilização Africana.

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Islão, Ética e Negócios. Espaços Económicos Islâmicos

Exemplo:
Portos tunisianos: Goulette, Rades, Bizerte, Sousse, Sfax. Curso Transporte Marítimo

A economia tunisiana.

À República Tunisina está localizada na encruzilhada entre a Europa, o Médio Oriente e a África. Pela sua posição central no Mediterrâneo, o seu vigor e o seu crescimento do comércio exterior e os seus tratados preferenciais com numerosos países é um mercado ideal para fazer negócios internacionais no Magrebe e na região MENA (Médio Oriente e Norte de África).

A Tunísia é:

  1. O primeiro destino turístico do sul do Mediterrâneo;
  2. O primeiro exportador mundial de datas;
  3. O segundo maior exportador mundial de ácido fosfórico e super fosfato;
  4. O segundo maior exportador de azeite, depois da União Europeia (UE);
  5. O quinto fornecedor de produtos de vestuário da União Europeia (UE);
  6. O quinto produtor de fosfato do mundo.

Tunes (capital) é o primeiro centro económico do país, produz um terço do produto interno bruto nacional.

O mercado tunisiano.

  1. Em uma década, a renda per capita dobrou, demonstrando o desenvolvimento exemplar da economia tunisiana;
  2. O PIB tunisiano: 47.130 milhões de dólares
    1. A agricultura tunisiana: 11%;
    2. A indústria: 35,3%;
    3. Os serviços: 53,7%.
  3. O PIB per capita: 4.329 dólares;
  4. O crescimento do PIB da Tunísia: 2,81%;
  5. Dívida pública: 44,32% do PIB tunisiano;
  6. A inflação da Tunísia: 6,04%.

Exemplo:
Maomé Ali Harrath, empresário tunisino muçulmano (Tunisia, Negócios) Canal Islão (TV)

Comércio Exterior (exportações, importações) Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento)

  1. Os principais parceiros de exportação da Tunísia: a União Europeia (a França, a Itália, a Alemanha), a Líbia, os Estados Unidos...;
  2. Os principais parceiros de importação da Tunísia: a União Europeia (França, a Itália, a Alemanha, a Espanha), a China, a Argélia.

A Tunísia é também o primeiro país na costa sul do Mediterrâneo a chegar a um acordo de parceria e de cooperação com a União Europeia, cujo principal componente é o estabelecimento de uma área de livre-comércio.

A produção nacional é sujeita à concorrência internacional e os preços da produção são regulados por um mecanismo de mercado, com a exceção de alguns produtos sensíveis. O investimento é livre para os nacionais e os estrangeiros na maioria dos setores. Qualquer investidor estrangeiro pode ter até 100% do capital do projeto, sem autorização, na maioria dos setores.

Quase 80% das exportações para à União Europeia são produtos industriais. A Tunísia é o quarto maior exportador de vestuário para à União Europeia (UE).

Uma economia aberta para o exterior.

De acordo com a publicação do «Índice de Liberdade Económica», publicado pela «Fundação Heritage» e «The Wall Street Journal», a Tunísia é agora à frente de alguns países. O relatório analisou a liberdade económica dos 179 países de acordo com critérios que vão desde a liberdade do comércio exterior e o investimento ate a flexibilidade do emprego.

Classificação (índice de liberdade económica):
- Estados Unidos da América 6
- Canadá 7
- Alemanha 25
- Espanha 29
- Portugal 53
- França 64
- Itália 76
- Grécia 81
- Tunísia 98
- Marrocos 101
- China 132

Competitividade Global.

O último relatório sobre a Competitividade Global desenvolvido pelo Fórum Económico Mundial em Davos, a Tunísia foi classificada no 40 º lugar entre 133 países desenvolvidos e emergentes em matéria de competitividade global.
- Suíça 1
- Alemanha 7
- França 16
- Bélgica 18
- China 29
- Espanha 33
- Tunísia 40
- Portugal 43
- África do Sul 45
- Polónia 46
- Itália 48
- Hungria 58
- Turquia 61
- Roménia 64
- Egito 70
- Grécia 71
- Marrocos 73

Área de livre-comércio Árabe:

  1. Efetiva: 1 de Janeiro de 1998;
  2. Os Estados-membros são: a Tunísia, o Reino do Marrocos, a Líbia, o Egito, a Jordânia, a Síria, o Líbano, o Iraque, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos (EAU), o Kuwait, o Catar, o Barém, o Omã, a Palestina, o Sudão, o Iémen, a Argélia.

Exemplo:
Cooperação África-Países Árabes. Área de comércio preferencial afro-árabe. Angola, Moçambique, Cabo Verde...


(c) Escola de Negócios EENI Global Business School (1995-2022)
Não usamos cookies
Topo da página