Escola de Negócios EENI Business School

Acordo de Facilitação do Comércio


Compartilhar por Twitter

Conteúdo programático da unidade curricular (UC): Acordo de Facilitação do Comércio (AFC) da OMC

  1. Introdução ao Acordo de Facilitação do Comércio (AFC) da Organização Mundial do Comércio (OMC);
  2. Princípios básicos do Acordo de facilitação do comércio exterior
    1. Obrigações substantivas;
    2. Disposições para tratamento especial e diferenciado para países em desenvolvimento e menos desenvolvidos;
    3. Disposições institucionais e disposições finais.
  3. Relatório anual sobre o Acordo de Facilitação do Comércio da OMC;
  4. Aplicação do acordo de facilitação do comércio da OMC;
  5. Estratégia do programa Mercator da Organização Mundial das Alfândegas (OMA);
  6. Texto jurídico do Acordo de Facilitação do Comércio.

Os objetivos da UC «Acordo de Facilitação do Comércio (AFC)» são os seguintes:

  1. Compreender os pilares do Acordo de Facilitação de Comércio da OMC (TFA);
  2. Conhecer os conceitos de obrigações substantivas no âmbito do Acordo de Facilitação de Comércio;
  3. Analisar as disposições sobre tratamento especial e diferenciado para países em desenvolvimento e menos desenvolvidos.

Exemplo:
Acordo de Facilitação do Comércio (AFC):
Acordo de Facilitação do Comércio (AFC) da Organização Mundial do Comércio (OMC)

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Facilitação do Comércio

Estudante Mestrado e Doutoramento Online em negócios internacionais

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento): Medidas não-tarifárias no comércio exterior

Comércio Exterior (exportações, importações) Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento)

Acordo de Facilitação do Comércio (AFC).

Com o Acordo de Facilitação do Comércio, os membros da Organização Mundial do Comércio estabeleceram um novo quadro jurídico para as reformas necessárias a serem implementadas para a facilitação do comércio. Foi criado na Rodada de Doha de 2001.

Qual é a missão da Organização Mundial do Comércio (OMC)

O objetivo do Acordo de Facilitação do Comércio da Organização Mundial do Comércio (OMC) é estabelecer um quadro jurídico que permita a reforma da facilitação do comércio em nível global, agilizando a movimentação, liberação e desembaraço aduaneiro dos produtos.

As obrigações substantivas do Acordo de Facilitação do Comércio incluem a obrigação de publicar, bem como o acesso à informação, canais de apelação, simplificação dos procedimentos de comércio exterior, processos de desembaraço aduaneiro e cooperação aduaneira transfronteiriça. E entre as instituições que operam no fronteira, redução de medidas não tarifárias, uso de tecnologias de informação...

Também estão incluídas disposições relacionadas ao tratamento especial e diferenciado da facilitação do comércio para países menos desenvolvidos (LDCs) e países em desenvolvimento, incluindo assistência técnica.

A OMC tem outros acordos relacionados com a facilitação do comércio:

  1. Acordo de Avaliação Aduaneira;
  2. Inspeção Pré-Embarque;
  3. Acordo de Inspeção Pré-embarque (PSI);
  4. Acordo sobre Normas de Origem.

Veja também:

  1. Barreiras técnicas ao comércio;
  2. Medidas sanitárias
    1. Acordo de Aplicação de Medidas Sanitárias e Fitossanitárias (MSF).
  3. Medidas anti-dumping e salvaguardas
    1. Acordo de Salvaguardas (SG).
  4. Licenças de importação;
  5. A Organização Mundial do Comércio e as alfândegas.

Exemplo:
Organização Mundial das Alfândegas (OMA) Sistema Harmonizado. Convenção de Quioto

Os países-membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) são: Afeganistão, África do Sul, Albânia, Alemanha, Angola, Antígua e Barbuda, Arábia Saudita, Argentina, Arménia, Austrália, Áustria, Barém, Bangladeche, Barbados, Bélgica, Belize, Benim, Bolívia, Botsuana, Brasil, Brunei, Bulgária, Burquina Faso, Burúndi, Cabo Verde, Camarões, Camboja, Canadá, Catar, Chade, Chile, China, Chipre, Colômbia, Coreia do Sul, Costa Rica, Costa do Marfim, Croácia, Cuba, Dinamarca, Dominica, Equador, Egito, El Salvador, Emirados Árabes Unidos, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estados Unidos, Estónia, Essuatíni (Suazilândia), Fiji, Filipinas, Finlândia, França, Gabão, Gâmbia, Gana, Geórgia, Granada, Grécia, Guatemala, Guiné-Bissau, Guiné, Guiana, Haiti, Honduras, Hong Kong (China), Hungria, Índia, Indonésia, Irlanda, Islândia, Ilhas Salomão, Israel, Itália, Jamaica, Japão, Jibuti, Jordânia, Kuwait, Lesoto, Letónia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macau (China), Macedónia, Madagáscar, Malásia, Maláui, Maldivas, Mali, Malta, Marrocos, Maurícia, Mauritânia, México, Moldávia, Mongólia, Moçambique, Mianmar, Namíbia, Nepal, Nicarágua, Níger, Nigéria, Noruega, Nova Zelândia, Omã, Países Baixos, Paquistão, Panamá, Papua-Nova Guiné, Paraguai, Peru, Polónia, Portugal, Quénia, Quirguistão, Reino Unido, República Centro-Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, República Checa, República Dominicana, Roménia, Ruanda, Rússia, São Cristóvão e Neves, São Vicente e Granadinas, Santa Lúcia, Senegal, Serra Leoa, Singapura, Sri Lanka, Suécia, Suíça, Suriname, Tailândia, Taiwan, Tanzânia, Togo, Trindade e Tobago, Tunísia, Turquia, Uganda, União Europeia, Uruguai, Venezuela, Vietname, Zâmbia, Zimbábue.

Países em processo de adesão à Organização Mundial do Comércio (OMC): Argélia, Andorra, Azerbaijão, Bahamas, Bielorrússia, Butão, Bósnia e Herzegovina, Comores, Curaçao, Etiópia, Guiné Equatorial, Irão, Iraque, Líbano, Líbia, Uzbequistão, Síria, São Tomé e Príncipe, Sérvia, Somália, Sudão, Sudão do Sul, Timor-Leste, Iémen

Governos com status de observador: Argélia, Andorra, Azerbaijão, Bahamas, Bielorrússia, Butão, Bósnia e Herzegovina, Comores, Curaçau, Etiópia, Guiné Equatorial, Irão, Iraque, Líbia, Uzbequistão, República Árabe Síria, Líbano, Santa Sede, São Tomé e Príncipe, Sérvia, Somália, Sudão, Sudão do Sul, Timor-Leste, Turquemenistão.

País não membro da OMC: Coreia do Norte.


(c) Escola de Negócios EENI Global Business School (1995-2022)
Não usamos cookies
Topo da página