Curso Negócios na China

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Curso de educação à distância (EaD) «Comércio exterior e negócios na China» (Economia, Guanxi, Xangai, Hong Kong...), 22 ECTS

Curso Negócios na China

O objetivo principal do curso de especialização e-learning Fazendo negócios na China é oferecer uma visão global sobre a economia chinesa e as oportunidades de negócio no mercado chinês, o maior mercado do mundo:

  1. Aprender a fazer negócios na China (Xangai, Grande Delta do Rio Pérola, Beijem, Guangzhou - Shénzhen, Hong Kong)
  2. Conhecer as oportunidades de negócio na China
  3. Aprender a cultura chinesa e as suas religiões (budismo, confucionismo e taoismo) bem como a sua influência na forma de fazer negócios (Guanxi, etc.)
  4. Conhecer a cultura empresarial das principais empresas chinesas (Hair, etc.)
  5. Conhecer as particularidades deste mercado a partir do ponto de vista do marketing (distribuição, etc.)
  6. Analisar as estratégias das empresas ocidentais na China
  7. Analisar o comércio exterior e os investimentos (IDE)
  8. Conhecer os acordos de comércio livre e as organizações económicas regionais da China
  9. Desenhar um plano de negócios para a China

Materiais de estudo do curso bilíngue em Português + Inglês China (ou Espanhol China ou Francês Chine). O estudante tem livre aceso aos materiais nestes idiomas.

Informação EENI Solicitar informação do curso

Mas por que estudar este curso?

  1. Porque a China (país BRICS) é hoje o maior mercado do mundo com mais de 1 bilhão e trezentos milhões de consumidores e com um crescimento do PIB entre 7% a 8% ao ano e atualmente é a segunda maior potência mundial
  2. Analisaremos os casos de várias empresas chinesas, do Hong Kong, análise da cultura chinesa e conheceremos os acordos de comércio livre e estudaremos as relações Sino-Brasileiras
  3. A China é o maior parceiro comercial do Brasil. O comércio bilateral superou os 78 bilhões de dólares e ainda a China tornou-se o maior investidor no Brasil

China Negócios Video Vídeo Negócios na China.

Exemplo do curso - Negócios na China
Zhang Ruimin, empresário confucionista

Conteúdo programático e unidades curriculares do curso Negócios na China.

1- Introdução ao Espaço Económico da Civilização Sínica (2 ECTS).

  1. O Espaço Económico da Civilização Sínica

2- As religiões da China e a sua influência nos negócios

  1. O confucionismo e taoismo (3 ECTS)
  2. O budismo e o Espaço Económico da Civilização Budista (2 ECTS)
  3. O cristianismo (67 M) na China

3- Introdução à China. O perfil económico das províncias chinesas (0,5 ECTS)

4- A economia e o comércio exterior da China (1 ECTS).

  1. O comércio exterior Brasil-China.

5- As aduanas chinesas (0,5 ECTS)

6- O transporte e a logística na China (0,5 ECTS)

7- Investir (IDE) na China (0,5 ECTS)

8- Empresas chinesas (0,5 ECTS).

  1. As empresas e os valores confucianos
  2. O Grupo GALANZ
  3. Zhang Ruimin «O empresário confucionista».

9- A negociação na China (0,5 ECTS).

10- Fazendo negócios em Pequim (1 ECTS)

11- Fazendo negócios em Guangzhou - Shénzhen (1 ECTS)

12- Fazendo negócios em Xangai (2 ECTS)

13- O Grande Delta do Rio das Pérolas (1 ECTS)

14- Fazendo negócios em Hong Kong (3 ECTS).

15- Fazendo negócios em Macau.

16- Os acordos de comércio livre (ACL) da China.

  1. China-Chile
  2. China-Peru
  3. China-Costa Rica
  4. China-ASEAN
  5. China-Paquistão
  6. China-Nova Zelândia
  7. China-Singapura

17- Os acordos comerciais regionais da China.

  1. A Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC) (2 ECTS)
  2. A Organização para a Cooperação de Xangai (SCO) (0,1 ECTS)
  3. O Acordo Comercial Ásia-Pacífico (APTA)
  4. O Programa de Cooperação económica Regional da Ásia Central (CAREC)

18- As relações económicas internacionais da China.

  1. Relações comerciais Brasil-BRICS
  2. Relações económicas África-China (0,5 ECTS)
  3. Comunidade Andina-China
  4. União Europeia-China
  5. África-Países BRICS (China: país BRICS) (0,3 ECTS)
  6. A Sub-região do Grande Mekong (0,5 ECTS)

19- As instituições regionais da China (Resumo).

  1. O Fórum de Cooperação América Latina-Ásia do Leste (FEALAC)
  2. O Fórum para a Ásia
  3. A Associação para a Cooperação Regional da Ásia do Sul (Observador)
  4. O Diálogo Ásia-Médio Oriente (AMED)
  5. A Reunião Económica Ásia-Europa (ASEM)
  6. O Banco Asiático de Desenvolvimento
  7. A Comissão Económica e Social para a Ásia e o Pacífico (ESCAP)
  8. O Diálogo de Cooperação da Ásia
  9. O Conselho de Cooperação Económica do Pacífico
  10. ...

20 - Plano de negócios para a China.

Universidade U-EENI
Projeto: Universidade U-EENI

  1. Créditos do curso e-learning «Negócios na China»: 22 ECTS
  2. Preço total do curso: 858 Euros
  3. Desconto do 20% para os africanos
  4. Duração estimada: cinco meses

Apresentação em vídeo do Curso Negócios na China.

Faça o download do programa do curso: «Negócios na China» (PDF)

O curso os Negócios na China estuda-se:

  1. Doutoramento (Doutorado) Negócios na Ásia
  2. Mestrado em Negócios na Ásia
  3. Mestrado em Negócios nos Países BRICS
  4. Mestrado em Comércio Exterior, Marketing e Internacionalização

Comércio China

O curso «Negócios na China» tem os seus exercícios de modo evolutivo, assim ao terminar os exercícios e ao ser aprovados o estudante recebe o Diploma do curso «Fazendo negócios na China». O estudante que já realizou o curso poderá validá-los e matricular-se no Mestrado / Doutoramento da EENI (Escola Superior de Negócios Internacionais).

Modalidade. O curso apresenta-se em formato de educação à distância (EaD).

Público-alvo: todas as pessoas que desejam especializar-se em todos os aspetos relacionados com os negócios na China.

Área de conhecimento: Ásia.

A China é hoje o maior mercado do mundo, com mais de 1.300 milhões de potenciais consumidores (25% deles vivem nas cidades) e com crescimento do PIB entre 7% e 8%. Em termos do PIB, é a segunda potência mundial. Segundo o Banco Mundial (BM), prevê-se que para o ano 2020 seja a primeira potência económica mundial, representando quase 40% da produção mundial.

A China produz mais da metade das câmaras fotográficas do mundo, 30% dos aparatos de ar acondicionado e televisores, 25% das lavadoras, quase 20% dos refrigeradores e 70% dos brinquedos. A «Galanz» fabrica 40% dos fornos micro-ondas vendidos hoje na Europa. A marca «Haeir» é reconhecida em todo o mundo.

Existem aspetos culturais e sociológicos muito diferentes: a influência do confucionismo, as costumes, a cultura milenária e a dificuldade do idioma. As relações pessoais (GUANXI, em chinês), serão fundamentais, já que sob a ética confucionista o negociador chinês procurará assegurar-se de que somos honrados, e que, portanto, cumpriremos com nossos compromissos. Se não somos capazes de desenvolver o «Guanxi», será difícil fazer negócios na China. Isso implica que as negociações podem ser muito lentas e, portanto, custosas.

Analisaremos o caso de várias empresas chinesas (Haier, Galanz, Cosco, etc.) que nos permitirão entender melhor o funcionamento e a cultura empresarial das empresas chinesas bem como a influência dos valores confucianos no gerenciamento destas corporações consideradas já como transnacionais.

Hong Kong tem uma posição geográfica e económica privilegiada no centro da Ásia. Esta posição é uma das principais razões pela que muitas empresas instalam os seus centros regionais operativos em Hong Kong e as suas fábricas na área do Grande Rio da Pérola (o maior investidor na China continental).

Exemplos do curso «Negócios na China»

China Marketing internacional

China Galanz

Cooperação África-BRICS (Brasil)

Wal Mart China

Alibaba China

Confucionismo Ética e Negócios

Curso Economia da China

Acordo Comercial Ásia-Pacífico (APTA)

Ética do confucionismo

Acesso aos mercados:
Acesso aos mercados

国际贸易、全球营销及国际化硕士.

Universidade U-EENI