Mestrado em Mercados Emergentes Fronteiriços

EENI - Escola de Negócios.

Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e Mercados Fronteiriços (educação à distância EaD)

O Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços (120 ECTS, 20 meses, à distância) é projetado para oferecer uma visão global e prática sobre os principais países emergentes e os mercados fronteiriços (MF) do mundo.

No Mestrado analisam-se trinta e dos países emergentes e mercados fronteiriços (pré-emergentes, pioneiros):

  1. África (11 países): Costa de Marfim, Gana, Nigéria, Etiópia, Quénia, Uganda, Tanzânia, Angola, Zâmbia, Marrocos e Argélia. Todos eles considerados mercados fronteiriços. Sendo a Nigéria o primeiro mercado fronteiriço mundial.
  2. Médio Oriente (2 países). Kuwait e os Emirados Árabes Unidos (MF)
  3. América (5 países). Argentina (MF), Chile, Colômbia, Equador e Peru.
  4. Ásia (12 países). Irão, Cazaquistão (MF), Paquistão (MF), Filipinas, Indonésia, Malásia, Singapura, Tailândia e Vietname (MF)
  5. Europa (2 países). Sérvia e Turquia.

Para finalizar o Mestrado o aluno deve realizar uma tese final relacionada com os mercados fronteiriços e/ou os países emergentes.

Módulos do Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços.

Máster Mercados emergentes

Nota: os países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul) bem como Nigéria, México e Arábia não são analisados neste Mestrado senão no Mestrado em Negócios nos Países BRICS.

Mercados emergentes, fronteiriços e BRICS

Solicitar informação do Mestrado em Países Emergentes - Fronteiriços

Idioma do Mestrado. O Mestrado é bilíngue Pt + En Master in Emerging Markets (também parcialmente disponível em fr Master Emergents ou em Es Master Mercados Emergentes). O aluno tem livre aceso aos materiais nestes idiomas.

Os alunos podem realizar seus exercícios, comunicar-se com os professores, etc. em português.

  1. Créditos do Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços: 120 ECTS  / 60 Créditos AC
  2. Duração estimada: 19 meses a máximo 2 anos. Dedicação média 12 horas / semana. É possível reduzir o tempo dedicando mais horas semanais
  3. Preço total do Mestrado: 3.547 euros.
    1. Bolsas de estudo EENI para os estudantes de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste: 40% (Visão Ahimsa EENI "Educação para Todos"). Preço do Mestrado para estes alunos: 2.128 Euros
    2. Consultar bolsa para outros alunos (Ásia, Europa - Portugal...)
    3. 5% desconto por pagamento ao contado.
  4. Faça o download do conteúdo programático do , Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços (PDF)

Educação para todos

Titulação obtida: Título de "Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços" emitido pela EENI.

Os alunos graduados no Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços da EENI, poderão aceder ao...

  1. Doutoramento especialização América
  2. Doutoramento especialização Ásia
  3. Doutoramento especialização África

Sendo convalidadas as unidades curriculares que já se tenham superado neste Mestrado.

Público-alvo: todas aquelas pessoas com experiência em comércio internacional que desejem se especializar e/ou reciclar-se em todas as feições relacionadas com os negócios nos países emergentes e nos mercados fronteiriços. Recomendável conhecimento de comércio exterior e marketing internacional.

Modalidade. O Mestrado em nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços se apresenta em formato de educação à distância (EaD). Aplicação do método do caso.

O sistema de estudos é totalmente à distância, o que permite que você se matricule quando quiser e estude a partir de qualquer lugar do mundo. As matrículas são feitas continuamente, o que permite que você se matricule quando quiser, sem depender da abertura de novas turmas.

O Mestrado em Mercados Emergentes (educação à distância EaD) é considerado um curso de especialização (pós-graduação) porque é voltado para a prática profissional. O Mestrado é procurado por profissionais que já estão no mercado e que querem melhorar seus conhecimentos nas áreas de negócios internacionais, para se formarem executivos.

O Mestrado tem características próprias e uma focagem muito mais prática e aplicada, ao contrário da maioria dos mestrados, que são essencialmente teóricos.

EENI (Escola de Negócios): alunos em 100 países.
EENI Alunos

Vídeo Mestrado em Mercados Emergentes Vídeo do Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços (En).

Alguns dos principais países emergentes:

mercados emergentes

Módulos e unidades curriculares do Mestrado em Negócios nos Países Emergentes e nos Mercados Fronteiriços:

NOTA: entre colchetes indicam-se os créditos ECTS

Módulo 1- Introdução aos mercados fronteiriços e a os países emergentes

  1. Os países emergentes e os mercados fronteiriços

Módulo 2- Mercados fronteiriços e emergentes africanos

  1. Mercados fronteiriços africanos [0,3]
    1. África: o próximo continente emergente
  2. África-Países BRICS [0,3]

África Ocidental

  1. Espaço económico da África Ocidental [2]
  2. Costa do Marfim [2]
  3. Gana [2]
  4. Nigéria [3]
  5. União Económica e Monetária da África do Oeste (UEMOA) [1]
  6. Área Monetária da África do Oeste (ZMAO)
  7. Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) [1]
  8. Autoridade da Bacia do Níger [0,1]
  9. Logística na África Ocidental [1,5]
  10. Faça o download do programa do módulo: "África Ocidental" (PDF)

África Oriental

  1. Espaço económico da África Oriental [2]
  2. Etiópia [3]
  3. Quénia [3]
  4. Tanzânia [2]
  5. Uganda [2]
  6. Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA) [2]
  7. Comunidade da África Oriental (EAC) [0,5]
  8. Autoridade Intergovernamental para o desenvolvimento (IGAD) [0,1]
  9. Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC [0,1]
  10. Iniciativa da Bacia do Nilo
  11. Associação da Bacia do Oceano Índico (IORA) [0,5]
  12. Logística na África Oriental
  13. Faça o download do programa do módulo: "África Oriental" (PDF)

África Central

  1. Espaço económico da África Central [1]
  2. Angola [3]
  3. Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC) [0,5]
  4. Logística na África Central
  5. Faça o download do programa do módulo: "Negócios na África Central" (PDF)

África Austral

  1. Espaço económico da África Austral [1]
  2. Zâmbia [1]
  3. Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) [1,1]
  4. Logística na África Austral
  5. Faça o download do programa do módulo: "Negócios na África Austral"

Magrebe

  1. Espaço económico magrebino [1]
  2. Marrocos [2]
  3. Argélia [1]
  4. União do Magrebe Árabe (UMA) [0,7]
  5. Logística no Magrebe
  6. Faça o download do programa do modulo: "Magrebe" (PDF)

Módulo 3- Mercados fronteiriços e emergentes no Médio Oriente

  1. Espaço económico árabe [1]
  2. Kuwait [1]
  3. Emirados Árabes Unidos [2]
  4. Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) [1,2]
  5. Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)
    1. Sistema de Comércio Preferencial da OCI (TPS-OCI)
  6. Faça o download do programa Médio Oriente (PDF)

Módulo 4- Mercados emergentes e fronteiriços da América Latina.

  1. Espaço económico latino-americano [4]
  2. Argentina [2]
  3. Chile [2]
  4. Colômbia [2]
  5. Equador [1]
  6. Peru [3]
  7. MERCOSUL [2]
  8. Comunidade Andina [3]
  9. Aliança do Pacífico [0,1]
  10. Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC) [2]
  11. Associação Latino-Americana de Integração (ALADI) [1]
  12. Sistema Económico Latino-Americano (SELA) [0,3]
  13. União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) [0,5]
  14. Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (ALBA)  [0,3]
  15. Acordo Estratégico Transpacífico (TPP)

Módulo 5- Mercados emergentes e fronteiriços asiáticos.

Espaço económico da Eurásia Central [2]

  1. Irão [2]
  2. Cazaquistão [1]
  3. Paquistão [2]
  4. Organização para a Cooperação Económica (ECO) [0,1]
  5. União de Compensação Asiática (ACU) [0,1]
  6. Organização para a Cooperação de Xangai (SCO) [0,1]
  7. Comunidade dos Estados Independentes (CEI) [0,4]
  8. Comunidade Económica Euro-Asiática (EurAsEc) [0,5]
  9. União Económica Euroasiática [0,2]
  10. Associação para a Cooperação Regional da Ásia do Sul (SAARC) [0,1]
  11. Programa de Cooperação Económica Regional da Ásia Central (CAREC)

Sudeste Asiático

  1. Filipinas [2]
  2. Indonésia [3]
  3. Malásia [2]
  4. Singapura [3]
  5. Tailândia [2]
  6. Vietname [2]
  7. Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) [3]
  8. Espaços económicos budista [2] e malaio

Outros países emergentes asiáticos

  1. Bangladeche [2]
  2. Coreia do Sul [2]
    1. África-Coreia [0,1]
  3. Taiwan [2]
  4. Iniciativa da Baía de Bengala (BIMSTEC) [0,1]
  5. Acordo Comercial Ásia-Pacífico (APTA)
  6. Cooperação Económica Sub-regional da Ásia do Sul (SASEC) [0,1]

Módulo 6 - Mercados emergentes europeus.

  1. Sérvia [1]
  2. Turquia [3]
  3. Conselho de Cooperação dos Estados de Língua Túrquica [0,1]
  4. África-Turquia [0,1]
  5. Organização Regional para a Democracia e o Desenvolvimento Económico (GUAM) [0,2]
  6. Acordo Centro Europeu de Livre Comércio (CEFTA) [0,5]
  7. Organização para a Cooperação Económica do Mar Negro (BSEC) [0,1]

Tese do Mestrado nos Países Emergentes e Mercados Fronteiriços (8 ECTS)

Trata-se do trabalho final do Mestrado. A tese é concebida como um exame que põe a prova a capacidade de síntese do estudante para desenvolver uma temática determinada (entre 30 - 50 páginas) relacionada com os países emergentes e/ou os mercados fronteiriços.

A tese tem como objeto que o aluno demonstre os seus conhecimentos teórico-práticos sobre os negócios nos países emergentes - mercados fronteiriços e/ou nos seus espaços económicos... O tema é eleito pelo estudante com a ajuda do seu professor e tem de estar relacionado com os conteúdos do Mestrado. Se o estudante trabalha, pode elaborar a tese relacionada com o seu trabalho.

Alguns exemplos de teses do Mestrado podem ser::

  1. Plano de marketing internacional para os mercados fronteiriços africanos
  2. Projeto de investimento no Nigéria (Singapura, Argélia, Indonésia...)
  3. Análise SWOT (FOFA) da empresa X nos mercados emergentes asiáticos
  4. Criação de redes de distribuição internacionais nos mercados emergentes euroasiáticos
  5. Relações comerciais entre os mercados emergentes
  6. Relações entre os países emergentes e os BRICS
  7. Estratégias de promoção internacional para Tailândia (Colômbia, Costa de Marfim, Sérvia, Turquia...)
  8. Abertura de uma filial em... (Abidjã, Jacarta, Luanda, Buenos Aires...)

O Mestrado centra-se em analisar para cada um destes países:

1- Informação do país: como fazer negócios, comércio internacional, fluxos de investimentos (IDE), transporte e logística, aduanas, tratados de livre comércio (TLC), organizações económicas regionais...

2- Espaço económico. Cada um destes países costuma ser uma das principais economias do espaço económico ao que pertence:

Espaço económico africano. O espaço económico africano tem onze mercados fronteiriços localizados em vários espaços económicos:

  1. Espaço económico da África Ocidental. Nigéria é a maior economia da África. Tanto Gana como Costa de Marfim são dois mercados fronteiriços e umas economias de rápido crescimento.
  2. Espaço económico da África Central. Angola, a maior potência económica regional e com enormes recursos petrolíferos, é considerada como um mercado fronteiriço africano.
  3. Espaço económico da África Austral. Zâmbia, o maior exportador de cobre e cobalto da África, é também um mercado fronteiriço.
  4. Espaço económico da África Oriental. No leste da África há quatro mercados fronteiriços: Etiópia (sede da União Africana), Quénia (a maior economia regional), Uganda (forte crescimento económico, designadamente das tecnologias da informação) e Tanzânia (exportador de ouro, café, algodão...)
  5. Espaço económico magrebino. Tanto Argélia (metade da produção do gás da África) como Marrocos (enclave estratégico: Europa - Magrebe - África Subsariana) são também considerados mercados fronteiriços

Espaço económico árabe. No Médio Oriente, Kuwait (importantes reservas de petróleo e fortes investimentos no exterior) é considerado como um mercado fronteiriço e os Emirados Árabes Unidos (com um PIB per capita similar aos países europeus.) como um mercado emergente.

Espaço económico latino-americano. Na América do Sul, Argentina é considerada como um mercado fronteiriço e Chile como um mercado emergente. Na região Andina, Colômbia (quarta economia latino-americana e forte crescimento do IED), Equador (oitava de América Latina, importantes recursos petrolíferos) e Peru (setor agroalimentar muito consolidado, um país aberto a cada vez mais para a região da Ásia-Pacífico) são considerados como mercados emergentes.

Espaço económico asiático. No mestrado analisam-se três mercados fronteiriços e nove emergentes da Ásia:

  1. Espaço económico euroasiático: Cazaquistão (situação estratégica entre Rússia, China e Índia, Rota da Seda; importantes recursos petrolíferos) e Paquistão (importante setor têxtil e automotivo, líder regional da Ásia Central, embora com uma alta incerteza política) são considerados mercados fronteiriços, enquanto Irão (líder político económico do islão xiita, processo de abertura a ocidente) e Bangladeche (posição estratégica Índia-China-ASEAN, importante setor têxtil) são considerados mercados emergentes.
  2. ASEAN. Na região da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) há um mercado fronteiriço: Vietname (importantes reformas económicas, 21ª economia maior do mundo em 2025) e cinco mercados emergentes: as Filipinas (uma das economias de mais rápido crescimento na Ásia e o único país asiático com maioria católica), Indonésia (o país com a população maior de muçulmanos do mundo, uma das maiores economias do Sudeste Asiático), Malásia (uma economia baseada na exportação de produtos manufaturados e um dos países mais competitivos do mundo), Singapura (a segunda economia mais competitiva do mundo, um dos países menos corruptos, grande implantação de multinacionais) e Tailândia (importante setor automotivo, eletrónica, eletrodomésticos, saúde... Localização estratégica para aceder à região do Grande Mekong e do sudeste asiático)
  3. Espaço económico budista. Além disso, dois países com maiorias budistas: Coreia do Sul (décima terceira economia mundial e quarta da Ásia; líder mundial na indústria naval, semicondutores, construção, eletrónica, automotivo...) e Taiwan (décima sétima maior economia mundial, terceira reservas de divisas do mundo, o 69% do PIB taiwanês é gerado pelos serviços, estabilização das relações com a República Popular da China) são considerados como países emergentes.

Espaço económico europeu.  Sérvia (espaço económico ortodoxo, situação privilegiada entre Europa e Ásia,) e Turquia (União aduaneira com a União Europeia, forte produção industrial, em 2023 o setor agrícola turco será um dos cinco principais produtores mundiais, acesso aos mercados da Ásia Central) são considerados como mercados emergentes. Os dos países solicitaram o acesso à União Europeia.

Para cada uma destas áreas económicas serão analisadas as características de cada um dos países que a compõem, as suas relações económicas com outros países do seu espaço económico, bem como os principais tratados de integração e as organizações económicas.


Adaptação dos conteúdos do Mestrado. Conteúdos adaptados a todos os países da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A adaptação à cada país baseia-se na inclusão no Mestrado dos tratados de livre comércio que os países CPLP têm com os países emergentes.

O mestrado incluiu a ferramenta de acesso a mercados:

Acesso a Mercado

Exemplos do Mestrado em Mercados Emergentes Países BRICS (educação à distância EaD).

Isabel dos Santos (Angola)

Alhaji Dangote

Área Monetária África Ocidental

Área de livre comércio Tripartida

H.E. Dr. Nkosazana Dlamini-Zuma

Comércio África BRICS

União do Magrebe Árabe

Mohamed Hassan Bensalah

Xeque Mohamed Al Amoudi

Argentina Cerveja Quilmes

União de Nações Sul-Americanas UNASUL

Porto Antofogasta Chile

Peru Brasil Bolivia

Bogotá Colômbia Negócios

Comunidade Económica da ASEAN

Tailândia-Indonésia-Malásia

Mercados fronteiriços africanos

União Aduaneira da SADC


EENI Escola de Negócios