Fazendo negócios no Senegal

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular - Comércio exterior e negócios no Senegal. Dakar

  1. Introdução a República do Senegal (África Ocidental)
  2. Fazendo negócios em Dakar
  3. Economia senegalesa
  4. Comércio exterior senegalês
  5. Porto de Dakar
  6. Desembaraço aduaneiro de mercadorias importadas no Senegal
  7. Negócios e oportunidades de investimento no Senegal
    1. Aquicultura
    2. Telesserviços e tecnologias da informação
    3. Pecuária
  8. Agricultura e Agronegócios
  9. Infraestruturas no Senegal
  10. APIX - Promoção de Investimentos e Grandes Projetos (Investir no Senegal)
  11. Introdução ao francês
  12. Acesso ao mercado senegalês
  13. Plano de negócios para o Senegal

Objetivos da unidade curricular "Fazendo negócios na República do Senegal":

  1. Analisar a economia e o comércio exterior senegalês
  2. Avaliar as oportunidades de negócio no Senegal
  3. Analisar as relações comerciais do Senegal com o país do aluno
  4. Conhecer os tratados de livre comércio (TLC) do Senegal
  5. Analisar o perfil de empresas senegalesas
  6. Entender o papel do Senegal como porta primeiramente à África Ocidental
  7. Desenvolver um plano de negócios para o mercado senegalês
A unidade curricular "Negócios no Senegal" estuda-se:
  1. Mestrados profissionais: Negócios Internacionais, África Subsariana, Países Muçulmanos
  2. Curso: África Ocidental
  3. Doutoramentos à distancia: África, Mercados Muçulmanos

Idioma de estudo: Português + En Senegal Fr Sénégal Es Senegal.

  1. Créditos da unidade curricular "Fazendo negócios no Senegal": 2 ECTS
  2. Duração estimada: 2 semanas

Mamadou Camara Senegal Mamadou Camara Representante da EENI para o Senegal.

Exemplo da unidade curricular (Fazendo negócios no Senegal):
Negócios no Senegal

Dr. Aliou Niang, professor da EENI do Senegal.

Confiamos na África

Descrição da unidade curricular: comércio e negócios no Senegal:

Rio Senegal

A República do Senegal:

Senegal: um dos países menos corruptos da África e que mais melhoraram o clima empresarial.

Senegal: a porta da entrada para a região do oeste Africano.

O Senegal está localizado na encruzilhada da Europa, da África e da América.

  1. Área: 192.000 quilómetros quadrados
  2. População senegalesa: 13,5 milhões de pessoas (48 pessoas por quilómetros quadrados), com uma densidade média de 48 pessoas por quilómetros quadrados
  3. 25% desta população senegalesa é concentrada na área de Dakar.
  4. 55% dos senegaleses têm menos de vinte anos
  5. Capital do Senegal: Dakar (2,45 milhões de pessoas)
  6. Nome oficial: República do Senegal
  7. Língua oficial senegalesa: francês.
  8. Outros idiomas: wólof, Diola, Mandingo...
  9. Independência do Senegal: 1960 (França)
  10. Sistema legal: baseado no direito civil francês
  11. O Senegal faz fronteira com Mauritânia, Mali, Guiné, Guiné-Bissau, Gâmbia

Religião do Senegal: Islão

O Senegal pertence ao espaço económico da África Ocidental da civilização africana.

  1. Leopoldo Sédar Senghor, Cheikh Anta Diop e Pathé Diagne

Economia senegalesa:

O Senegal lançou nos últimos anos um extenso programa de privatização das empresas públicas que afetam a grandes setores da economia. Alguns investidores estão presentes nos setores estratégicos, como a água, as telecomunicações, a energia, o turismo, o transporte...

  1. A economia do Senegal continua a ser dominada pelo setor terciário (60% do produto interno bruto)
  2. O setor primário e secundário contribuir 20% para o PIB senegalês
  3. O Banco Central dos Estados do Oeste Africano está localizado em Dakar
  4. Crescimento do PIB senegalês: 4,8%
  5. Inflação: 1,3%

Área de livre comércio CEDEAO

Corredores transafricanos:

  1. Corredor Dakar-Lagos
  2. Rodovia Transaheliana

Porto de Dakar

O Senegal tem acesso preferencial...

  1. Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos (CEN-SAD)
  2. Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO)
  3. União Económica e Monetária da África do Oeste (UEMOA)
  4. Lei de Crescimento e Oportunidades para a África (AGOA)
  5. Acordo de Cotonou
  6. Sistema de Preferências Generalizadas (SPG)

Comunidade Económica África Ocidental

O Senegal é membro...

  1. Organização para o Desenvolvimento do Rio Senegal
  2. União Africana (UA)
  3. Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD)
  4. Comissão Económica das Nações Unidas para a África (CEA)
  5. Banco Africano de Desenvolvimento
  6. Banco Islâmico de Desenvolvimento
  7. Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)
  8. Organização Mundial do comércio
  9. Organização para a Harmonização em África do Direito dos Negócios (OHADA)

CEN-SAD Comunidade Estados Sahelo-Saarianos

Porto Dakar

A SODEFITEX (Sociedade de Desenvolvimento de fibras têxteis) foi criada em 1974. Em 2003, foi privatizada, aumentou o seu capital de 750 milhões a três bilhões de francos CFA, e se tornou a SOCIEDADE e DESENVOLVIMENTO DE FIBRAS TÊXTEIS.

O Grupo SONATEL (Senegal) é o operador global de Telecomunicações de referência no Senegal. Sonatel trabalha tanto com clientes finais como institucionais. No seio da União Económica e Monetária da África do Oeste, Sonatel há feito do Senegal um Centro de conexão (Hub) regional convertendo-se em um dos atores principais das telecomunicações na África.

O Grupo SUNEOR. SUNEOR é a primeira empresa de alimentos no Senegal. As atividades da empresa são baseadas em duas divisões operacionais:
1. Fabricação e comercialização de produtos alimentares.
2. Setor de amendoim no Senegal.

Corredor Dakar-Lagos

Rodovia Transaheliana

SONACOS (Senegal) é uma empresa pública criada pelo governo para equilibrar as exportações e importações Senegalesas. O Senegal é um dos maiores exportadores de amendoins, e a empresa participa da produção e distribuição deste produto, muito importante para a economia senegalesa. Atualmente SONACOS é em etapa de privatização, a licitação internacional foi lançada pelo Ministère dê Finances procurando um investidor estratégico internacional, com ampla experiência técnica e suficientes recursos financeiros para potenciar o amendoim nos mercados internacionais.


EENI Escola de Negócios