Fazendo negócios no Jibuti

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular: o comércio exterior e os negócios no Jibuti. O Porto do Jibuti

  1. Introdução à República do Jibuti (África Oriental)
  2. A economia do Jibuti
  3. O comércio exterior jibutiano
  4. O Porto do Jibuti
  5. As telecomunicações e novas tecnologias
  6. A logística no Jibuti
  7. Os investimentos estrangeiros diretos (IDE) no Jibuti
  8. Introdução ao árabe e o francês
  9. O acesso ao mercado jibutiano
  10. Plano de negócios para o Jibuti

Os objetivos da unidade curricular «Comércio exterior e fazendo negócios no Jibuti»:

  1. Analisar a economia e o comércio exterior jibutiano
  2. Avaliar as oportunidades de negócio no Jibuti
  3. Analisar as relações comerciais do Jibuti com o país do estudante
  4. Conhecer os acordos de comércio livre do Jibuti
  5. Analisar a importância do Porto do Jibuti
  6. Desenvolver um plano de negócios para o mercado jibutiano
A unidade curricular «Fazendo negócios no Jibuti» estuda-se:
  1. Curso: África Oriental
  2. Mestrados à distância: Negócios Internacionais, África Subsariana, Países Muçulmanos
  3. Doutoramentos e-learning: África, Mercados Muçulmanos

Idioma de estudo: Português + Francês Djibuti Inglês Djibuti Espanhol Yibouti.

  1. Créditos da unidade curricular «Comércio exterior e fazendo negócios no Jibuti»: 2 ECTS
  2. Duração estimada: 2 semanas

Confiamos na África

Descrição da unidade curricular: o comércio exterior e os negócios no Jibuti:

A República do Jibuti.

O Jibuti: uma economia baseada no transporte (Porto) e nas telecomunicações.

Uma localização estratégica no Corno da África. Acesso ao mercado da Etiópia.

O Jibuti, como outras cidades-estados como Singapura e as Ilhas Maurícia, quer alavancar o seu posicionamento estratégico para converter-se em um centro de conexão (Hub) regional nas áreas comercial, financeira e das telecomunicações.

O Jibuti ocupa uma posição geoestratégica privilegiada e serve como um elo de interconexão com os outros países do Mercado Comum da África Oriental e Austral.

  1. A República do Jibuti, está localizada no Corno da África e faz fronteira com a Eritreia, a Etiópia e a Somália
  2. A capital jibutiana: Jibuti (21.200 pessoas)
  3. Os idiomas oficiais: o árabe e o francês
  4. A população jibutiana: 890.000 pessoas
  5. A área: 23.000 quilómetros quadrados
  6. Tipo de governo: República semipresidencialista
  7. A independência da França: 1977

A religião: o Islão.

  1. 94 por cento da população jibutiana são muçulmanos sunitas, aderindo-se principalmente à tradição jurídica Shafi.
  2. Após a independência, a República construiu um sistema jurídico baseado em parte na lei islâmica
  3. A Escola Fiqh (Jurisprudência islâmica): Shafi
  4. A Constituição do Jibuti nomeia ao Islão como a única religião do Estado, ao mesmo tempo em que prevê a igualdade dos cidadãos de todas as crenças (artigo 1) e a liberdade da prática religiosa (artigo 11)

O Jibuti pertence ao Espaço Económico da África Oriental da civilização africana.

A economia jibutiana:

Exemplo da unidade curricular - Fazendo negócios no Jibuti:
Comércio exterior e negócios no Jibuti

  1. A economia do Jibuti depende principalmente do setor terciário (83% do produto interno bruto)
  2. Os serviços jibutianos dominam a atividade económica
  3. Os transportes e as telecomunicações ocupam um lugar de destaque (24,1%)
  4. Em torno ao Porto do Jibuti têm desenvolvido a banca, os seguros e o comércio exterior
  5. Ao redor do porto e da linha ferroviária Jibuti-Etiópia, desenvolveram-se os setores chave: a banca, os seguros e a distribuição
  6. O crescimento do porto do Jibuti também foi permitido pelos significativos investimentos dos Emirados Árabes Unidos (Dubai Portos World)
  7. O Jibuti comprometeu-se a construção de um segundo porto
  8. O Porto de Doral (investimento de 400 milhões de dólares)
  9. O principal parceiro comercial a França, mas como o resto da África, a China é muito interessada no Jibuti

Porto do Jibuti

O Corredor Transafricano N'Djamena-Jibuti.

Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD)

Os acordos de comércio livre (ACL) do Jibuti:

O Jibuti oferece acesso à muitos mercados para as empresas que procuram expandir as suas atividades e, em particular na África Oriental e na África Central, no mundo árabe, no mercado europeu, nos Estados Unidos (AGOA)...

  1. O Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA)
  2. O Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC
  3. O Acordo de Cotonou
  4. A Lei de Crescimento e Oportunidades para a África (AGOA)
  5. A Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD)
  6. A Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos (CEN-SAD)
  7. O Acordo Marco de comércio e investimentos COMESA-Estados Unidos

Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC África

O Jibuti é um membro...

  1. A Organização Mundial do Comércio (OMC)
  2. O Banco Africano de Desenvolvimento (BAfD)
  3. O Banco Islâmico de Desenvolvimento
  4. A Liga dos Estados árabes
  5. A Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)
  6. A Comissão Económica das Nações Unidas para a África (CEA)
  7. Fundo Árabe para o Desenvolvimento Económico e Social
  8. A União Africana (UA)
  9. A Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD)
  10. A Organização Internacional da Francofonia
  11. A Cooperação Afro-Árabe
  12. ...

Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA)

Comunidade dos Estados Sahel-Saarianos (CEN-SAD)

União Aduaneira COMESA

Universidade U-EENI