Escola Negócios EENI Business School
Negócios no Jibuti

Conteúdo programático da unidade curricular: Comércio exterior e negócios no Jibuti. O Porto do Jibuti

  1. Introdução à República do Jibuti (África Oriental)
  2. A economia do Jibuti
  3. O comércio exterior (exportações, importações) jibutiano
  4. As telecomunicações e as novas tecnologias
  5. Os investimentos estrangeiros diretos (IED) no Jibuti
  6. Acesso ao mercado jibutiano
  7. Plano de negócios para o Jibuti
Transporte e logística no Jibuti
  1. Porto do Jibuti
  2. Corredor Transafricano Jamena-Jibuti.

Os objetivos da unidade curricular «Comércio exterior e negócios no Jibuti» são os seguintes:

  1. Analisar a economia e o comércio exterior (exportações, importações, investimentos IED) jibutiano
  2. Avaliar as oportunidades de negócio no Jibuti
  3. Analisar as relações comerciais do Jibuti com o país do estudante
  4. Conhecer os acordos de livre-comércio do Jibuti
  5. Analisar a importância do Porto do Jibuti
  6. Desenvolver um plano de negócios para o mercado jibutiano
A unidade curricular «Negócios no Jibuti» estuda-se nos seguintes programas de ensino superior online ministrados pela EENI Global Business School (Escola de Negócios):
  1. Curso Superior: Negócios na África Oriental
  2. Mestrados: Negócios em África, Negócios Internacionais, Comércio Exterior, Países Muçulmanos
  3. Doutoramentos (Doutorados): Negócios Africanos, Negócios Islâmicos, Comércio Mundial

Estudante Doutoramento à distância em Negócios Internacionais

Línguas de estudo: Ensino superior à distância (Cursos, Mestrados, Doutoramentos) em Português + Estudar mestrado negócios internacionais em Francês Djibuti Estudar mestrado comércio exterior online em Inglês Djibuti Mestrado negócios comércio EAD em Espanhol Yibouti.

  1. Créditos da unidade curricular «Comércio exterior e negócios no Jibuti»: 2 ECTS
  2. Duração estimada: 2 semanas




Tweter.png Tweet 
Envie para um amigo:

/ / Envie-nos um WhatsApp / Contactar Skype / Contato por telefone / Print /
Info EENI Voltar

Descrição da unidade curricular: o comércio exterior e os negócios no Jibuti:

A República do Jibuti: uma economia baseada no transporte (Porto) e nas telecomunicações.  Acesso ao mercado da Etiópia.

Acesso preferencial e acordos de livre-comércio do Jibuti:

  1. O Jibuti e o Espaço Económico da África Oriental
  2. Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA)
    1. Acordo-quadro de comércio e investimentos COMESA-Estados Unidos
  3. Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC
  4. Área de livre-comércio Continental Africana (CFTA)
  5. Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD)
  6. Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos (CEN-SAD)
  7. Sistema de Comércio Preferencial (TPS-OCI)
  8. Parceria estratégica União Europeia-África (Cotonou)
  9. Lei de Crescimento e Oportunidades para a África (AGOA)

Facilitação do comércio exterior

  1. Organização Mundial do Comércio (OMC)
    1. Acordo Geral sobre o Comércio de Serviços (AGCS)
    2. Acordo de Facilitação do Comércio (AFC)
    3. Acordo de Aplicação de Medidas Sanitárias e Fitossanitárias (MSF)
    4. Acordo de Inspeção Pré-embarque
    5. Acordo de Barreiras Técnicas ao Comércio (OTC)
    6. Acordo de Salvaguardas (SG)
  2. Organização Mundial das Alfândegas (OMA)
    1. Convenção de Quioto Revisada
  3. Organização Marítima Internacional (IMO)
    1. Convenção Internacional relativa à Seguridade dos contentores
    2. Convenção relativa à Admissão Temporária (Convenção de Istambul) - Não membro

Porto do Jibuti, Tadjourah, Goubet. Acesso à Etiópia. Curso Transporte Marítimo

Organizações islâmicas

  1. Banco Islâmico de Desenvolvimento (BIsD)
  2. Liga dos Estados Árabes
  3. Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)
  4. Fundo Árabe para o Desenvolvimento Económico e Social
  5. Cooperação África-Países árabes (ASA)
  6. Banco Árabe para o desenvolvimento económico de África (BADEA)

Organizações económicas e comerciais africanas

  1. União Africana (UA)
    1. Convenção sobre a Prevenção e Luta contra a corrupção (UA)
  2. Nova Parceria para o Desenvolvimento de África (NEPAD)
  3. Comissão Económica das Nações Unidas para a África (CEA)
  4. Banco Africano de Desenvolvimento (BAfD)
  5. África-Países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul)
  6. Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África do Sul
  7. Cúpula América do Sul (Brasil)-África (ASA)
  8. Associação África-Turquia
  9. Nova Parceria Estratégica África-Ásia (NAASP)
  10. Associação África-Coreia do Sul
  11. Relações África-Japão (TICAD)
  12. Fórum de Cooperação China-África (FOCAC)
  13. Acordo para a cooperação África-Índia

Organizações económicas globais

  1. Organização Internacional da Francofonia
  2. Nações Unidas (NU)
  3. Banco Mundial (BM)
  4. Organização Mundial do Comércio (OMC)
  5. Fundo Monetário Internacional (FMI)

Jibuti: uma localização estratégica no Corno de África

República do Jibuti

  1. A República do Jibuti, está localizada no Corno de África e faz fronteira com a Eritreia, a Etiópia e a Somália
  2. A capital jibutiana: Jibuti (21.200 pessoas)
  3. As línguas oficiais do Jibuti: o árabe, o francês e o somali
  4. A sede da Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD) está na cidade de Djibouti.
  5. A população jibutiana: 890.000 pessoas
  6. A área do Jibuti: 23.000 quilómetros quadrados
  7. Tipo de governo do Jibuti: República semipresidencialista
  8. A independência do Jibuti da França: 1977

Mais informação: Jibuti (Portal Africano da EENI Global Business School)

Portal África (Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe), Escola de Negócios EENI

Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD)

A religião no Jibuti: o Islão.

  1. 94 por cento da população jibutiana são muçulmanos sunitas, aderindo-se principalmente à tradição jurídica Shafi.
  2. Após a independência, a República construiu um sistema jurídico baseado em parte na lei islâmica
  3. A Escola Fiqh (Jurisprudência islâmica): Shafi
  4. A Constituição do Jibuti nomeia ao Islão como a única religião do Estado, ao mesmo tempo em que prevê a igualdade dos cidadãos de todas as crenças (artigo 1) e a liberdade da prática religiosa (artigo 11)

O Jibuti pertence ao Espaço Económico da África Oriental da Civilização Africana.

A economia jibutiana:

O Jibuti, como outras cidades-estados como Singapura e as Ilhas Maurícia, quer alavancar o seu posicionamento estratégico para converter-se em um centro de conexão (Hub) regional nas áreas comercial, financeira e das telecomunicações.

O Jibuti ocupa uma posição geoestratégica privilegiada e serve como um elo de interconexão com os outros países do Mercado Comum da África Oriental e Austral.

  1. A economia do Jibuti depende principalmente do setor terciário (83% do produto interno bruto)
  2. A sede da Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD) está na cidade de Djibouti.
  3. Os serviços jibutianos dominam a atividade económica
  4. Os transportes e as telecomunicações ocupam um lugar de destaque (24,1%)
  5. Em torno ao Porto do Jibuti têm desenvolvido a banca, os seguros e o comércio exterior (exportações, importações)
  6. Ao redor do porto e da linha ferroviária Jibuti-Etiópia, desenvolveram-se os setores-chave: a banca, os seguros e a distribuição
  7. O crescimento do porto do Jibuti também foi permitido pelos significativos investimentos dos Emirados Árabes Unidos (Dubai Portos World)
  8. O Jibuti comprometeu-se a construção de um segundo porto
  9. O Porto de Doral (investimento de 400 milhões de dólares)
  10. O principal parceiro comercial é a França, mas como o resto de África, a China é muito interessada no Jibuti

Exemplo da unidade curricular - Comércio exterior e negócios no Jibuti:

Curso Mestrado: Comércio exterior e negócios no Jibuti

O Jibuti oferece acesso à muitos mercados para as empresas que procuram expandir as suas atividades e, em particular na África Oriental e na África Central, no mundo árabe, no mercado europeu, nos Estados Unidos (AGOA)...

Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC África, facilitação do comércio, do transporte (corredores...), da eliminação de barreiras técnicas ao comércio não-tarifárias

    Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA) Burúndi, as Comores, a República Democrática do Congo, Jibuti, a Eritreia, a Etiópia, o Quénia, a Líbia, Madagáscar...

    Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos (CENSAD) o Benim, o Burquina Faso, a República Centro-Africana, o Chade, as Comores, a Costa do Marfim, Jibuti, do Egito, a Eritreia, a Gâmbia o Gana, a Guiné-Bissau...

    União Aduaneira COMESA (Mercado Comum da África Oriental e Austral)

    (c) EENI Global Business School (Escola de Negócios, 1995-2021)
    Devido à pandemia COVID, a EENI implementou o teletrabalho. Favor entrar em contato somente por e-mail, WhatsApp ou pelo formulário de solicitação de informações.
    Não usamos cookies.
    Voltar ao topo da página