Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular - O Banco Árabe para o desenvolvimento económico da África (BADEA).

  1. Introdução ao Banco Árabe para o desenvolvimento económico da África (BADEA)
  2. A estrutura do Banco Árabe BADEA
  3. Os projetos financiados pelo Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA). A Guiné-Bissau
  4. Plano do Sétimo Programa Quinquenal BADEA (2015 - 2019) (*)
  5. O Programa do financiamento das exportações BADEA (BEFS) (*)
  6. O Fórum de empresárias árabes e africanas (*)
  7. Os Fundos Árabes para o Desenvolvimento

(*) Só disponível em inglês.

A subunidade curricular «O Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA)» estuda-se:
  1. Curso: as relações internacionais da África
  2. Mestrados: Negócios Internacionais, Países Muçulmanos, África Subsariana
  3. Doutoramentos (educação à distância): África, Mercados Muçulmanos

Língua de estudo: Português ou Inglês BADEA Francês BADEA Espanhol BADEA.

Cooperação África-Países árabes.

Exemplo da subunidade curricular - O Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA)
Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA)

Confiamos na África

Descrição da subunidade BADEA: o Banco Árabe para o desenvolvimento económico da África:

Em 1973 criou-se o Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA), uma organização financeira dos Estados-membros da Liga Árabe, com o objetivo de facilitar os empréstimos financeiros aos projetos de desenvolvimento nos países africanos e proporcionar assistência técnica.

Um dos objetivos do Banco BADEA é promover as exportações dos países árabes para os mercados africanos através do Programa do financiamento das exportações BADEA (BEF).

  1. A sede do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA) encontra-se no Sudão (Cartum).
  2. H. E. Sr. Abdelaziz KHELEF é o diretor Geral do Banco

Hoje o Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África pode contribuir até 60% do custo total de um projeto (máx. 20 milhões de dólares).

No enquadramento do Sétimo Plano Quinquenal (2015 - 2019) do BADEA, 1.100 milhões de dólares estarão disponíveis para os projetos do setor público, 450 milhões para o setor privado e 50 milhões para assistência técnica.

Os países-membros do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA) são a Arábia Saudita, a Argélia, o Barém, o Catar, do Egito, os Emirados Árabes Unidos, o Iraque, a Jordânia, o Kuwait, o Líbano, a Líbia, a Mauritânia, o Marrocos, o Omã, a Palestina, o Sudão, a Síria e a Tunísia.

Os países beneficiários africanos do Banco Árabe para o desenvolvimento económico da África (BADEA) (membros da União Africana que não são membros da Liga árabe) são a África do Sul, a Argélia, Angola, o Benim, o Botsuana, o Burquina Faso, Burundi, os Camarões, Cabo Verde, a República Centro-Africana, o Chade, as Comores, o Congo, a Costa do Marfim, a República Democrática do Congo, Jibuti, o Egito, a Eritreia, a Etiópia, a Guiné Equatorial, o Gabão, a Gâmbia, o Gana, a Guiné, a Guiné-Bissau, o Quénia, o Lesoto, a Libéria, a Líbia, Madagáscar, o Maláui, o Mali, a Mauritânia, Maurícia, Moçambique, a Namíbia, o Níger, a Nigéria, Ruanda, São Tomé e Príncipe, o Senegal, as Seicheles, a Serra Leoa, a Somália, o Sudão, o Sudão do Sul, a Suazilândia, a Tanzânia, o Togo, a Tunísia, o Uganda, a Zâmbia e o Zimbábue.

O Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA) pertence à Civilização Islâmica e a Civilização Africana.



Universidade U-EENIPaz, Não Terrorismo