Escola de Negócios EENI Business School

Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África


Compartilhar por Twitter

Conteúdo programático da unidade curricular (UC) - O Banco Árabe para o desenvolvimento económico de África (BADEA).

  1. Introdução ao Banco Árabe para o desenvolvimento económico de África (BADEA)
  2. A estrutura do Banco Árabe BADEA
  3. Os projetos financiados pelo Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA). A Guiné-Bissau
  4. O Plano do Sétimo Programa Qüinqüenal BADEA (*)
  5. O Programa de financiamento das exportações BADEA (BEFS) (*)
  6. O Fórum de empresárias árabes e africanas (*)
  7. Os Fundos Árabes para o Desenvolvimento

(*) Só disponível em inglês.

Exemplo - O Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA)
Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA) Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe

Portal África (Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe), Escola de Negócios EENI

Descrição BADEA: o Banco Árabe para o desenvolvimento económico de África

Em 1973 criou-se o Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA), uma organização financeira dos Estados-membros da Liga Árabe, com o objetivo de facilitar os empréstimos financeiros aos projetos de desenvolvimento nos países africanos e fornecer assistência técnica.

Um dos objetivos do Banco BADEA é promover as exportações dos países árabes para os mercados africanos através do Programa de financiamento das exportações BADEA (BEF).

  1. A sede do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA) encontra-se no Sudão (Cartum).
  2. H. E. Sr. Abdelaziz KHELEF é o diretor Geral do Banco

Hoje o Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África pode contribuir até 60% do custo total de um projeto (máx. 20 milhões de dólares).

No enquadramento do Sétimo Plano Quinquenal do BADEA, 1.100 milhões de dólares estarão disponíveis para os projetos do setor público, 450 milhões para o setor privado e 50 milhões para assistência técnica.

Os países-membros do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA) são a Arábia Saudita, a Argélia, o Barém, o Catar, do Egito, os Emirados Árabes Unidos, o Iraque, a Jordânia, o Kuwait, o Líbano, a Líbia, a Mauritânia, o Marrocos, o Omã, a Palestina, o Sudão, a Síria e a Tunísia.

Os países beneficiários africanos do Banco Árabe para o desenvolvimento económico de África (BADEA) (membros da União Africana que não são membros da Liga árabe) são a África do Sul, a Argélia, Angola, o Benim, o Botsuana, o Burquina Faso, Burúndi, os Camarões, Cabo Verde, a República Centro-Africana, o Chade, as Comores, o Congo, a Costa do Marfim, a República Democrática do Congo, Jibuti, o Egito, a Eritreia, a Etiópia, a Guiné Equatorial, o Gabão, a Gâmbia, o Gana, a Guiné, a Guiné-Bissau, o Quénia, o Lesoto, a Libéria, a Líbia, Madagáscar, o Maláui, o Mali, a Mauritânia, Maurícia, Moçambique, a Namíbia, o Níger, a Nigéria, Ruanda, São Tomé e Príncipe, o Senegal, as Seicheles, a Serra Leoa, a Somália, o Sudão, o Sudão do Sul, o Essuatíni (Suazilândia), a Tanzânia, o Togo, a Tunísia, o Uganda, a Zâmbia e o Zimbábue.

O Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA) pertence à Civilização Islâmica e à Civilização Africana.

Portal Africano da EENI

Mestrados e Doutoramentos em Negócios Internacionais adaptados para os estudantes de Angola, de Cabo Verde, da Guiné-Bissau, de Moçambique e de São Tomé e Príncipe.



(c) Escola de Negócios EENI Global Business School (1995-2021)
Não usamos cookies
Topo da página