Budismo no mundo

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular - Budismo no mundo: China, Japão, Coreia, Vietname, Tailândia...

  1. Estimativas sobre o budismo no mundo
  2. Budismo na Índia, na Birmânia, no Butão, na Camboja, na China, na Coreia do Sul, no Japão, na Mongólia, no Laos, no Vietname, Sri Lanka e na Tailândia
A subunidade curricular "Budismo no mundo" estuda-se:
  1. Doutoramentos (EaD): Ética, Religiões e Negócios, Ásia
  2. Mestrados profissionais à distancia: Negócios Internacionais, Ásia

Idioma de estudo: Es Budismo mundo En Buddhism World Fr Bouddhisme.

Aung San Suu Kyi

Descrição da subunidade curricular: budismo no mundo.

Ao igual que em outras religiões, as cifras sobre o número de budistas podem variar muitíssimo. Estas cifras oscilam entre 170 e 230 milhões de budistas. O principal problema é saber o número de budistas na China.

Falar de Budismo, é falar da Ásia.

O budismo conviveu com outras religiões sem problemas, como o Taoismo e o Confucionismo (China) ou o Shinto (Japão). Em muitos países asiáticos o budismo é intimamente relacionado com a política existindo vários partidos políticos budistas.

Harmonia Religiões

O budismo na Índia

Apesar de ter nascido na Índia, o budismo praticamente desapareceu no século XII, mas desde finais do século XIX começou a ressurgir. Hoje em dia, estima-se que ao redor de 8 milhões de budistas vivem na Índia (0,8% da população). Na Índia é também a sede do Governo tibetano no exílio liderado pelo Dalai Lama. Os budistas são maioria no estado de Arunachal Pradesh, e na região de Ladakh no estado de Jammu e Caxemira, no estado de Sikkim representam um 40% da população (Lamaísmo).

Dalai Lama

Uma das causas do crescimento de Budismo na Índia é devida a Bhimrao Ramji Ambedkar, que converteu-se do hinduísmo ao budismo. Babasaheb pertencia à casta "Dalit" (intocável).

Apesar de ser minoria na Índia, os budistas faz parte ativa na vida política e cultural. O ex-Ministro de Ferrovias da República da Índia, Mapanna Mallikarjun Kharge, é budista.

O budismo na Birmânia (Myanmar)

Estima-se que o 89% da população birmane (60 milhões de pessoas) pratica o budismo Teravada. O Cristianismo é a segunda religião (3% de baptistas birmanes, 1% de católicos romanos). A Birmânia é governada por um duro regime militar. Mianmar (Birmânia) é um país multirreligioso. Não há religião oficial do Estado, mas o governo apoia o budismo Teravada. A nova Constituição estabelece a liberdade de religião.

O lema de Mianmar é "A felicidade encontra-se em uma vida harmoniosamente disciplinada", provem do versículo 194 do Buddhavagga no Dhammapada Pali.

O terceiro Secretário-geral das Nações Unidas Maha Thray Sithu Ou Thant (1909 - 1974) foi budista.

A famosa ativista birmane e Prémio Nobel da paz Aung San Suu Kyi nasceu em Rangum, Birmânia.

O budismo no Butão

Em pleno Himalaia, entre a Índia e o Tibete, encontra-se o Reino de Butão. A influência do budismo tibetano na política é muito elevada: a shanga (monges budistas) pode eleger aos parlamentares. O Hinduísmo é a segunda religião (25%).

O budismo no Reino do Camboja.

No Camboja (14 milhões de pessoas), o budismo Teravada é majoritário. É importante assinalar a forte influência do Hinduísmo no budismo praticado no Camboja, de fato foi hinduísta entre os séculos I e XIV, quando por decreto real tornou-se ao budismo. Ao longo da história desenvolveu-se um sincretismo entre o budismo e o hinduísmo. Também não há que descartar as raízes animistas.

O budismo Teravada é a religião oficial do Camboja (95 por cento da população). A grande maioria da etnia jemer é budista.

Durante a ditadura de Pol Pot, entre 1975 -79 o budismo foi duramente reprimido. Hoje em dia existe um partido político budista: o Partido budista Liberal.

O empresário Kith Meng é Cambojano.

O budismo na China

Conquanto na China é o berço do Confucionismo e do taoismo, estima-se que o budismo é a religião mais importante na China. Apesar de que a China declara-se como um país ateu, pelo que praticamente é impossível conhecer as estatísticas reais sobre o budismo na China.

O budismo penetrou na China faz uns 2.100 anos, e com o tempo tornou-se na religião mais importante. O sincretismo com elementos taoistas, animistas e confucionistas impregna o budismo chinês.

O autor budista Daisaku Ikeda escreveu o livro "O budismo chinês", é também o fundador da Soka Gakkai Internacional.

O budismo na Coreia do Sul

Desde o ponto de vista religioso, Coreia do Sul é um país mais "Ocidental" que Asiático. 50% dos coreanos não têm nenhuma preferência religiosa, um 30% são cristãos e um 23% são budistas (10 milhões de pessoas) - o 90% dos budistas sul coreanos pertencem a Ordem de Jogye-. Outras religiões minoritárias são: o Islão ou chondogyo (mistura de Budismo e do cristianismo)

A liberdade de culto é garantida pela Constituição e não existe nenhuma religião oficial de estado. O budismo penetrou na Coreia no ano 372.

Lee Kun-hee (Coreia do Sul) é o Presidente do Samsung Eletrónica.

O budismo no Japão

O budismo é a principal religião no Japão, seguida pelo Xintoísmo (religião oficial até o século VII). O sincretismo, sobretudo com elementos Confucionistas e Taoistas é importante no budismo japonês. O budismo chegou ao Japão desde a Coreia ao redor do ano 552. Uns 90 milhões de japoneses afirmam ser praticantes budistas (70% da população)
Durante o período militarista Kamakura (1192-1333) introduziram-se duas escolas:
- A escola ametista Terra Pura (salvação através da crença no Buda Amitabha), é a escola budista maior do Japão;
- A escola do budismo Zen.

O Doutor Kazuo Inamori de fundador de Kyocera e ex-Diretor de Japão Companhias Aéreas, a monge budista ZEN.

Dr. Kazuo Inamori budista

A associação Soka Gakkai Internacional foi fundada em 1930 por Tsunesaburo Makiguchi (1872-1944) agrupa a adeptos do budismo Nichiren. Literalmente quer dizer "A Sociedade para a criação de valor". Seu principal objetivo é promover a paz e o respeito pela vida.

O budismo na Mongólia.

Apesar dos anos de comunismo, estima-se que hoje em dia um 94% dos mongóis são budistas lamaístas (budismo tibetano), cujo máximo líder espiritual é o Jebtsundamba Khutuktu (Santo e Venerável Senhor). Ao igual que o Dalai Lama é considerado como a reencarnação de Buda. O Kubilai Khan (1215-1294) proclamou o budismo tibetano como a religião oficial do império mongol.

O budismo no Laos

Apesar de ser um país comunista, o budismo também é majoritário. Estima-se que o 67% dos laosianos são budistas Teravada, o 1,5% são cristãos, e o 31,5% são não definidos. O budismo foi durante muito tempo, uma das forças sociais mais importantes no Laos. O budismo Teravada coexiste pacificamente com o culto aos espíritos e o animismo praticado entre as tribos das montanhas.

Muitos laosianos passam uma parte de sua vida como monges nos templos, embora só seja por uns poucos dias.

A Igreja budista é baixo a direção de um patriarca supremo que reside em Vientiane e supervisiona as atividades do escritório central da igreja, o Ho Thammasaphat

O budismo no Vietname

Estima-se que dos 86 milhões dos Vietnamitas, o 80% praticam o budismo Mahayana e um 2% o Teravada. É de destacar o sincretismo com o Confucionismo e o taoismo. O budismo chegou no Vietname no século II ou no III EC.

O budismo Cao Dai foi fundado em 1926 incorporando elementos cristãos, muçulmanos, hinduístas, budistas, Taoistas e confucionistas. Estima-se que 8 milhões de vietnamitas são adeptos do Cao Dai.

O budismo Do hoa hao, é uma tradição religiosa, baseada no budismo, fundada em 1939 por Hunh Phú, estima-se que tem 2 milhões de adeptos.

O budismo no Sri Lanka.

70% dos habitantes do Sri Lanka seguem a escola Budista Teravada, seguida principalmente pela etnia cingalesa. É importante destacar também a minoria hindu tâmil e a muçulmana. O budismo foi introduzido no século III a.C. Por Arahat Mahinda Thera, filho do grande Ashoka. O Cânon Pali (Thripitakaya), foi compilado no Sri Lanka ao redor do ano 30 EC.

O budismo na Tailândia.

A principal religião da Tailândia é o budismo Teravada (95% da população). Existem minorias de muçulmanos, cristãos e hinduístas. Na Tailândia não há religião oficial mas o Rei da Tailândia deve ser obrigatoriamente budista para poder reinar. O Rei, Bhumibol Adulyadej, é considerado como o líder espiritual do povo.

Na Tailândia é a sede da Associação Mundial de budistas e da Universidade Mundial Budista.

O empresário Thaksin Shinawatra é tailandês.

Civilização budista Mahayana e Teravada, Ética budista, Economia budista.

Religiões e negócios.



EENI Escola de Negócios