Princípios da ética budista

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular: princípios da ética budista. Quatro nobres verdades:

  1. Princípios da ética budista.
  2. Quatro nobres verdades
  3. Nobre caminho óctuplo do budismo
  4. Regra de ouro budista
A subunidade curricular "Princípios da ética budista" estuda-se:
  1. Doutoramentos: Ética, religiões e negócios, Ásia
  2. Mestrados profissionais à distancia (EaD): Negócios Internacionais, Ásia
  3. Cursos: Sudeste Asiático, China

Idioma de estudo: Es Ética budista En Buddhism Fr Bouddhisme.

Descrição da subunidade curricular: ética budista.

Depois de sua iluminação, Buda foi a Benarés (Vanarasi), a cidade Santa da Índia, e no chamado Parque dos cervos os arredores da cidade deu seu primeiro sermão: as quatro nobres verdades, que serão o fundamento do Budismo e da civilização budista.

Estas quatro nobres verdades são:

  1. A vida é sofrimento ("dukha")
  2. A causa da dor é o desejo ("tanha")
  3. Se superamos o desejo egoísta, eliminaremos o sofrimento
  4. O Nobre Caminho Óctuplo

Sofrimento deve ser entendido como "a dor, que em algum grau, anima toda existência finita" (Huston Smith). "Duhkha é a grande doença do mundo cuja cure obtém-se com a doutrina (Dharma) de Buda". Alan Watts.

"Esta é, oh monges, a nobre verdade sobre a origem do sofrimento. A ignorância, o desejo-apego e os cinco venenos são os que produzem novas renascenças, os que inclinam ao prazer e buscam a satisfação aqui e lá, desencorajar-nos ao não conseguir o que queríamos. É o desejo pela existência, o desejo pela não-existência." Buda.

Quanto mais nos apegamos às coisas, mais problemas podem-nos surgir, é um conceito similar ao que podemos encontrar no hinduísmo ou no Taoismo.

A ignorância, o ódio, o anseio, o apego também são causas da dor.

A quarta verdade, o Nobre Caminho Óctuplo, indica-nos o caminho para superar o desejo, eliminar o sofrimento e finalmente atingir o nirvana.

Harmonia Religiões Ahimsa

Buda oferece-nos umas diretrizes para desenvolver uma conduta adequada, são os chamados Cinco Preceitos que conformam os pilares da ética budista.

  1. Não matará " Tomo o preceito de respeitar a vida". Derivado do princípio da Não-Violência (Ahimsa)
  2. Não roubará. "Tomo o preceito de não tomar o que não me é dado." Não tomar o que não me é dado, implica além de não roubar, não defraudar, não defraudar, não fazer um desfalco...
  3. Não mentirá "Tomo o preceito de não falar de maneira daninha"
  4. Não fornicarás inapropriadamente. "Abster-se de condutas sexuais inapropriadas ou daninhas."
  5. Não beberá bebidas embriagadoras

Exemplo da subunidade curricular - princípios da ética budista
Quatro nobres verdades

Ética budista

Os cinco preceitos anteriores, são a base da ética budista para os laicos, e ademais estes princípios são partilhados por todas as religiões superiores de alguma forma ou outra. São janelas abertas ao entendimento.

Os monges budistas (homens ou mulheres) devem de cumprir ademais outras duzentas normas (vinaya).

Uma versão da regra de ouro budista.

Na Udana V ("O venerável Sona), no capítulo 1 "O que um mais quer" está a regra de ouro aplicada ao budismo:

"Percorrendo todas as regiões com a mente não encontrou em nenhum lugar nada mais querido para um que um mesmo. Os outros querem-se a si mesmos do mesmo modo.
Por tal razão, não faça um dano a outro por amor a si mesmo."

Religiões e negócios - Budismo: Mahayana e Teravada, Budismo no mundo, Economia budista.



EENI Escola de Negócios