Negócios Internacionais e Ética Global

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular: os princípios da ética global e os negócios

  1. Introdução à ética global
  2. As fontes da uma ética global
  3. As religiões como «Tradições da sabedoria» da humanidade
  4. Procurando um modelo para a ética global
  5. Os dos princípios claves da ética global
    1. Harmonia das religiões
    2. Ahimsa (Não-Violência)
  6. Por que precisamos uma ética global?

Ética global

Harmonia das Religiões Negócios Ahimsa

«... O princípio da Não-Violência de Mahatma Gandhi e o testemunho de Sri Ramakrishna sobre a harmonia das religiões: aqui temos a atitude e o espírito que pode fazer possível que a raça humana possa crescer juntos em uma só família - e na Era Atómica, esta é a única alternativa à destruição entre nós mesmos.» Arnold Toynbee

A unidade curricular «Ética global» estuda-se:
  1. Mestrado em Comércio Exterior
  2. Doutorado à distância em Ética Global, Religiões e Negócios Internacionais
  3. Corrupção e negócios internacionais

Materiais do estudo: Português + Espanhol Ética global Inglês Global Ethics.

Ética e negócios - Compromisso com a sociedade da EENI.

Descrição da unidade curricular - Ética global e negócios internacionais:

Podemos definir a ética global como: «Aqueles valores comuns compartilhados pela humanidade».

«Uma visão fundamental comum do que é legítimo, justo e equitativo...

Uma ética económica global baseia-se nos princípios morais e nos valores que desde tempos imemoriais foram compartilhados por todas as culturas e foram apoiados pela experiência prática comum.» Manifesto por uma ética económica global - Hans Kung.

«Para mim a ética consiste em mostrar a todos a vontade de viver com a mesma reverência para os demais» Alberto Schweitzer.

Onde podemos encontrar as fontes da ética global?

As religiões ou «tradições de sabedoria da humanidade» são uma das principais fontes da ética global. Talvez muitas pessoas, sobretudo aqui no Ocidente, prefiram falar de «tradições de sabedoria» em lugar de religiões. O grande historiador britânico Arnold Toynbee disse:

«Quem são os maiores benfeitores da humanidade da nossa geração? Devo dizer que são Confúcio e Lao Zi, Buda, os profetas de Israel e Judá, Zoroastro, Jesus, Maomé e Sócrates.»

Em lugar de pesquisar diferencias (conceito de Negociação intercultural), vamos a pesquisar pontos da convergência que nos ajudará a facilitar:

  1. O diálogo
  2. A diplomacia cultural
  3. As relações internacionais e
  4. Os negócios internacionais

«Podem pecar as empresas?» Monsenhor Justin Welby

A ética gerada pelas religiões influí de forma muito importante na forma de fazer negócios em cada mercado, sobretudo nos países que poderíamos considerar «não ocidentais». A grande parte da humanidade - a África, a América Latina, os países árabes, a Índia, o Sudeste Asiático - é bem mais espiritual que ocidente, um fator que não devemos esquecer quando façamos negócios nestes países.

Todos os atores envolvidos no comércio internacional podem ser suscetíveis de aplicar os princípios da ética global: empresários, fornecedores, revendedores, investidores, credores, trabalhadores, consumidores e membros dos diferentes grupos de interesse em todos os países.

EENI: Condenamos qualquer tipo de violência

Um líder espiritual hinduísta inspira a um homem de negócios muçulmano (Dr Hamied)
Hinduísmo Islão

Temos que romper o tabu: Negócios - religião. Em muitos países, misturar religião e negócios considera-se tabu. Mas é possível, se faz-se desde o respeito e o conhecimento.

O Ocidente tem que mudar a sua visão do mundo, e entender que este é diferente, e só com o conhecimento e o respeito aos demais, pode representar o papel que lhe corresponde na nova ordem mundial.

A ciência pode salvar vidas, mas também pode destruir. As religiões também têm aspetos positivos e negativos. Há muitos ensaios sobre os aspetos negativos das religiões, uma realidade que a história nos ensinou. Mas as religiões também têm o seu lado positivo, como fontes de sabedoria milenária, que emanam princípios éticos partilhados por quase todas as religiões superiores e civilizações. Vamos centrar-nos só neste lado positivo.

«O movimento dos harijans (os Intocáveis) é demasiado grande para tão só esforço intelectual. No mundo não há nada pior. E no entanto, não posso abandonar a religião, e portanto o Hinduísmo. A vida me seria uma carga sem minha religião. Amo o Cristianismo, o Islão e muitas outras religiões através o hinduísmo. Mas ao mesmo tempo não posso tolerar com a intocabilidade Mahatma Gandhi

Ética Islão

As fontes da uma ética global.

  1. A Declaração Universal dos direitos humanos - Nações Unidas (NU)
  2. A Declaração do Cairo sobre direitos humanos no Islão
  3. A Declaração sobre os princípios e os direitos Fundamentais no Trabalho (OIT)
  4. A Declaração do Rio sobre o Médio ambiente e o Desenvolvimento
  5. A Declaração para uma ética global

A Declaração para uma ética global.

O Parlamento das religiões do mundo foi fundado em 1893 em Chicago, o discurso de Swami Vivekananda, discípulo de Sri Ramakrishna, ainda recorda-se.

Swami Vivekananda

Em 1993 voltou-se a celebrar o Parlamento, os representantes de todas as religiões do mundo, liderados por Hans Kung, estiveram de acordo nos elementos básicos da uma ética comum (*):

  1. O princípio da Humanidade
  2. A regra de ouro da reciprocidade
  3. Um compromisso com a Não-Violência, a justiça, a veracidade e a colaboração entre homens e mulheres

(*) A palavra «religião» só aparece dez vezes (nas oito páginas da declaração).

Observações sobre a ética global.

  1. Não é proselitismo
  2. Não baseia-se na superioridade da uma religião
    «Hoje não há ser vivo que saiba o suficiente como para dizer com segurança se uma religião foi mais importante que todas as demais.» Arnold Toynbee
  3. Não é uma religião global (como o Bahaismo)
  4. Deve estar aberta tanto aos agnósticos como aos ateus
  5. A «ética global para os negócios» - encontra-se ainda na sua fase de desenvolvimento
  6. Debilidade da ética global: os fundamentalistas (de todas as religiões e não -religiões)

A procura de um modelo de ética global

Cenário ideal para nossa investigação: a Índia:

  1. A Índia é o berço de quatro religiões superiores: o hinduísmo, o Jainismo, o Budismo e o Siquismo
  2. A Índia, especialmente o hinduísmo, é um dos países mais tolerantes com as outras religiões
    «Assim vos expus o mais secreto de todos os conhecimentos, medita sobre ele plenamente, e depois faça o que queira» Bagavadguitá XVIII-63
  3. A Índia é a terça maior economia do mundo (por trás dos Estados Unidos e da China) e um dos países BRICS
  4. A Índia é a maior democracia do mundo

Índia tolerância

Diretor de negócios internacionais e a ética global.

Diretor do comércio exterior (Ética global)

William Wilberforce e a abolição da escravatura.

Conferencia ética Berlin
Conferencia dada por Pedro Nonell em Berlim sobre «Diplomacia Cultural, Negócios Internacionais e Ética global».



Universidade U-EENIPaz, Não Terrorismo