Haifa Al Mansour. Diretora de Cinema (Arábia Saudita)

Escola de Negócios EENI & Universidade HA

Conteúdo programático da unidade curricular - Haifa Al Mansour (a segunda mulher árabe mais poderosa do mundo):

  1. A Cineasta saudita Haifa Al Mansour: a segunda mulher árabe mais poderosa
  2. O impacto na sociedade árabe do documentário «Mulheres Sem Sombras»

A unidade curricular «Haifa al-Mansour (a segunda mulher árabe mais poderosa do mundo)» estuda-se nos seguintes programas de ensino superior à distância (EAD) da Escola de Negócios EENI & Universidade HA:
  1. Mestrados: Negócios Internacionais, Comércio Exterior, Países Muçulmanos, Religiões e Negócios
  2. Doutoramentos: Ética, Religiões e Negócios, Mercados Muçulmanos, Comércio Global
  3. Curso: Islão, Ética e Negócios, negócios no Médio Oriente

Língua de estudo: Ensino superior à distância em Português ou Mestrado negócios comércio EAD em Espanhol Haifa Al Mansour Estudar mestrado comércio exterior em Inglês Haifa Al Mansour Estudar mestrado negócios internacionais em Francês Haifa Al Mansour.

هيفاء المنصور.

Exemplo da unidade curricular online - Haifa Al Mansour (a segunda mulher árabe mais poderosa do mundo):
Haifa Al Mansour (Cineasta saudita, curso)





Tweter.png Tweet 
Envie para um amigo:

/ / Envie-nos um WhatsApp / Contactar Skype / Contato por telefone / Print /
Info EENI Voltar

Descrição da unidade curricular (EAD): a diretora de Cinema saudita muçulmana Haifa Al Mansour...

A cineasta saudita Haifa al-Mansour nasceu em agosto de 1974. É considerada como a segunda mulher árabe mais poderosa do mundo segundo a revista «Negócios da Arábia».

Haifa Al Mansour é muçulmana.

Até hoje Haifa Al Mansour produziu três curtas-metragens, e o seu documental «Mulheres sem sombras», que influiu em toda uma nova onda de cineastas Sauditas. Dentro da Arábia Saudita, o trabalho de Haifa al-Mansour é ao mesmo tempo elogiado e criticado, por encorajar o debate sobre as questões que geralmente consideram-se demasiado tabu, como a tolerância, os perigos dá ortodoxia islâmica, e a necessidade de que os sauditas adotem uma posição crítica ante a sua cultura tradicional.

O seu filme «Wadjda» foi selecionado ao Óscar pela Arábia Saudita como o Melhor Filme Estrangeiro nos 86 Prémios da Academia, sendo a primeira vez que a Arábia Saudita apresentou um filme para o Óscar ao melhor filme estrangeiro.

Haifa Al Mansour tinha que dirigir as cenas exteriores em Riad desde o interior da uma van, olhando aos atores nos monitores e se comunicando através de um walkie-talkie como na Arábia Saudita aplica-se a segregação entre homens e mulheres, por isso não considera-se lícito que as mulheres trabalhem em público com os homens.

Haifa Al Mansour recebeu o apoio da empresa Rotana, a companhia de produção de cinema do príncipe HRH Alwaleed bin Talal.

  1. Rotana é longamente conhecido como o maior produtor do mundo de música árabe e um revendedor e produtor de filmes árabes chaves, com um catálogo a mais de 2.000 filmes
  2. Rotana participa também ativamente no campo da edição de revistas e emissões de rádio na Arábia Saudita, no Líbano, na Jordânia e no Egito
  3. Além disso, a companhia atua uma cadeia de cafés, conhecidas como «Rotana Cafés», em vários países da região

Haifa Al Mansour pertence ao Espaço Económico árabe da Civilização Islâmica.

Religiões e negócios.



(c) Escola de Negócios EENI & Universidade HA (1995-2019). Não usamos cookies.