Sermão da Montanha (Cristianismo)

EENI - Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular - Ensinos do Sermão da Montanha. Regra do Ouro cristão

  1. O Sermão da Montanha como fundamento da ética cristã
  2. A regra de ouro cristã
  3. Influência do Sermão da Montanha em Tolstoi, Martin Luther King e o Mahatma Gandhi.
A subunidade curricular "Sermão da Montanha. Regra do Ouro cristão" estuda-se:
  1. Doutoramento profissional Ética, Religiões e Negócios Internacionais

Materiais do estudo em Es Sermón Montaña En Sermon Mount Fr Christianisme.

Descrição da subunidade curricular - Sermão da Montanha.

O Sermão da Montanha, ao igual que os Dez Mandamentos, é crucial para entender o cristianismo, é no Evangelho segundo São Mateus. Neste sermão encontramos o Pai Nosso ou a regra de ouro de Jesus.

É interessante assinalar a enorme similitude com os ensinos de Buda ("A luz do corpo são os olhos").

Como podemos ver Jesus fala de paz, de misericórdia, de justiça...

"Abençoados os pacíficos, os que têm fome e sejam de justiça, os misericordiosos, os Abençoados, os pacificadores..."

Ahimsa

Estas palavras iniciais são comoventes: pacificadores, justiça, misericordiosos, mansos, os que choram... A todos eles se dirige Jesus. A seguir, Jesus explica que veio a fazer cumprir a lei e que não invalida as leis anteriores. Jesus pede que todos busquem a justiça:

"Não pensem que vim para derrogar a lei ou os profetas; não vim para invalidar, senão para cumprir"

Jesus explica-nos um dos princípios fundamentais do cristianismo: Não matar, o quinto mandamento, um conceito de Não-Violência (Ahimsa). Ademais, diz-nos que o que viole este mandamento, deverá ser julgado.

"Ouviram que foi dito aos antigos: Não matará; e qualquer que matar será culpado de julgamento".

A seguir, Jesus explica-nos um de suas mensagens mais belas e pacifistas. A lei do "olho por olho", é mudada pelo amor ao inimigo. Realmente para muitíssimas pessoas é difícil de aceitar e pôr em prática este princípio fundamental cristão.

"Não resistam ao que é mau; antes, a qualquer que te fira na bochecha direita, lhe volta também a outra

Amem a vossos inimigos, façam bem aos que vos aborrecem... Para que sejam filhos de vosso Pai, que faz sair seu sol sobre maus e bons, e que faz chover sobre justos e injustos".

Nos dez mandamentos há nenhum que nos fale sobre a caridade. No Islão (o Zakat é um dos cinco pilares), no hinduísmo, no Siquismo ou no Jainismo encontramos a caridade como um eixo central de suas doutrinas. Mas neste belo sermão, Jesus nos fala da esmola e ademais nos diz que o façamos de forma anónima e desinteressada, senão seríamos hipócritas.

"Guardem-vos de fazer vossa justiça adiante dos homens... Quando dê esmola, não faça tocar trombeta adiante de ti"

A necessidade do desapego ao material, tão desenvolvida nas religiões asiáticas, também não faz parte de dez mandamentos, mas Jesus diz-nos claramente, que devemos evitar as posses, que são fontes de problemas. O que realmente nos deve preocupar é nosso interior, não as cosas que possuamos.

"Não vos faça tesouros na terra... Onde ladrões minam e furtam; senão façam-vos tesouros no céu.".".

Há uma reflexão de Jesus sobre as aves ("Não valem vocês bem mais que elas? ") que pode dar lugar a mal-entendidos e junto do famoso bilhete do Génesis, podem dar lugar a interpretações erróneas, sobre a necessidade de que o homem submeta a todas as espécies da Terra. Há cristãos que o interpretam de forma literal, e há outros que não. Este princípio vai radicalmente na contramão do princípio da Não-Violência cuja máxima expressão o encontramos no Ahimsa Jainista.

Jesus fala-nos também de que a natureza por se mesma se desenvolve, não precisa da intervenção humana, um princípio totalmente de acordo com os Taoistas (Princípio Wu Wei).

Jesus diz-nos que não devemos julgar aos demais, se o fazemos nos poderão julgar a nós, primeiro devemos ser capazes de nos julgar a nós mesmos. Este princípio coincide também com o taoismo e o Confucionismo.

"Que teu próprio mundo seja teu critério para julgar ao dos demais" Tao XLIV

No Sermão da montanha encontramos a regra de ouro universal aplicada ao cristianismo explicada em versão positiva:

"... Todas as coisas que queiram que os homens façam convosco, assim também façam vocês com eles; porque isto é a lei e os profetas."

Como se analisou no capítulo sobre o confucionismo, seguramente Confúcio foi o primeiro em formular a regra de ouro, um dos princípios da ética global.

O Sermão da Montanha influiu em numerosas personagens do mundo como Lev Tolstói (no livro "O reino de Deus está em Vós"), Martin Luther King ou o Mahatma Gandhi.

"Quando li o Sermão da Montanha, comecei a entender os ensinos do cristianismo... Apaixonei-me de Jesus, compreendi que o Cristianismo ainda está nascendo, só há Cristianismo onde um aceita um ilimitado amor para a humanidade... Enquanto tenha uma só pessoa que passe fome no mundo, Cristo ainda não nasceu."

Os Mandamentos relacionados principalmente com ou Cristianismo, o Judaísmo, o islão, o zoroastrismo e o siquismo.

  1. Amarás a Deus sobre todas as coisas
  2. Não dirás o nome do Deus em vão
  3. Santificarás os feriados

Os Sete Mandamentos cristãos compartilhados com todas as religiões (Budismo, hinduísmo, o taoismo, o confucionismo, Jainismo...):

  1. Honra a teu pai e a tua mãe
  2. Não matar (Ahimsa)
  3. Não cometerás atos impuros
  4. Não roubarás
  5. Não dirás falsos testemunhos
  6. Não consentirás pensamentos ou desejos impuros
  7. Não cobiçarás as propriedades de terceiros

Exemplo da subunidade curricular - Sermão da Montanha (Cristianismo)
Cristianismo Regra de Ouro

Religiões e negócios.



EENI Escola de Negócios