Escola de Negócios EENI Business School

Sermão da Montanha (Cristianismo)


Compartilhar por Twitter

Conteúdo programático da unidade curricular (UC) - Ensinos do Sermão da Montanha. Regra do Ouro cristão.

  1. O Sermão da Montanha como fundamento da ética cristã;
  2. A regra de ouro cristã;
  3. A influência do Sermão da Montanha em Tolstoi, Martin Luther King e o Mahatma Gandhi..

Formação online (Curso, Mestrado, Doutoramento: Cristianismo e Negócios (catolicismo, protestantismo)

Estudantes, Curso Mestrado Doutoramento, Negócios Internacionais, Comércio Exterior

A UC «Sermão da Montanha. Regra do Ouro cristão» é estudada nos seguintes programas de ensino superior online ministrados pela EENI Global Business School (Escola de Negócios):

Curso: Cristianismo e Negócios.

Doutoramento (Doutorado DIB): Ética, Religiões e Negócios, Negócios Europeus, Negócios Africanos, Negócios Americanos.

Doutorados (Doutoramentos) Profissionais em Negócios Internacionais - Formação online

Mestrados (MIB): Negócios Internacionais, Europa, África, América, Religiões e Negócios.

Mestrados em Comércio Exterior e Negócios Internacionais - Formação online

Línguas: Mestrado negócios internacionais comércio exterior EAD em Espanhol Sermón de la Montaña Estudar em Inglês online, curso mestrado doutoramento, comércio exterior, negócios internacionais Sermon on Mount Estudar mestrado negócios internacionais e comércio exterior em Francês Sermon sur la montagne.

Exemplo:
Sermão da Montanha (Cristianismo)
Doutoramento Mestrado: Cristianismo Regra de Ouro

«Abençoados os pacíficos, os que têm fome e sejam da justiça, os misericordiosos, os abençoados, os pacificadores...»

Negócios Ahimsa (Não-Violência) Jainismo

Sermão da Montanha.

O Sermão da Montanha, ao igual que os Dez Mandamentos, é crucial para compreender o cristianismo, é no Evangelho segundo São Mateus. Neste sermão encontramos o Pai Nosso ou a regra de ouro de Jesus.

É interessante assinalar a enorme similitude com os ensinos de Buda («A luz do corpo são os olhos»).

Como podemos ver Jesus fala da paz, da misericórdia, da justiça...

Estas palavras iniciais são comoventes: pacificadores, justiça, misericordiosos, mansos, os que choram... A todos eles dirige-se Jesus. A seguir, Jesus explica que veio a fazer cumprir a lei e que não invalida as leis anteriores. Jesus pede que todos procurem a justiça:

«Não pensem que vim para derogar a lei ou os profetas; não vim para invalidar, senão para cumprir»

Jesus explica-nos um dos princípios fundamentais do cristianismo: Não matar, o quinto mandamento, um conceito de Não-Violência (Ahimsa). Ademais, diz-nos que o que viole este mandamento, deverá ser julgado.

«Ouviram que foi dito aos antigos: Não matará; e qualquer que matar será culpado de julgamento».

A seguir, Jesus explica-nos uma das suas mensagens mais belas e pacifistas. A lei do «olho por olho», é mudada pelo amor ao inimigo. Realmente para muitíssimas pessoas é difícil de aceitar e pôr em prática este princípio fundamental cristão.

«Não resistam ao que é mau; antes, a qualquer que te fira na bochecha direita, lhe volta também a outra

Amem a vossos inimigos, façam bem aos que vos aborrecem... Para que sejam filhos de vosso Pai, que faz sair seu sol sobre maus e bons, e que faz chover sobre justos e injustos».

Nos dez mandamentos há nenhum que nos fale sobre a caridade. No Islão (o Zakat é um dos cinco pilares), no hinduísmo, no Siquismo ou no Jainismo encontramos a caridade como um eixo central das suas doutrinas. Mas neste belo sermão, Jesus nos fala da esmola e ademais nos diz que o façamos de forma anónima e desinteressada, senão seríamos hipócritas.

«Guardem-vos de fazer vossa justiça adiante dos homens... Quando dê a esmola, não faça tocar trombeta adiante de ti»

A necessidade do desapego ao material, tão desenvolvida nas religiões asiáticas, também não faz parte de dez mandamentos, mas Jesus diz-nos claramente, que devemos evitar as posses, que são fontes de problemas. O que realmente nos deve preocupar é nosso interior, não as cosas que possuamos.

«Não ajunteis para vós tesouros na terra... Onde ladrões minam e furtam; senão façam-vos tesouros no céu.»

Há uma reflexão de Jesus sobre as aves («Não valem vocês bem mais que elas?») que pode dar lugar a mal-entendidos e junto do famoso bilhete do Génesis, podem dar lugar a interpretações erróneas, sobre a necessidade de que o homem submeta a todas as espécies da Terra. Há cristãos que o interpretam de forma literal, e há outros que não.

Este princípio vai radicalmente na contramão do princípio da Não-Violência cuja máxima expressão o encontramos no Ahimsa Jainista.

Jesus fala-nos também de que a natureza por se mesma se desenvolve, não precisa da intervenção humana, um princípio totalmente de acordo com os Taoistas (Princípio Wu Wei).

Jesus diz-nos que não devemos julgar aos demais, se o fazemos nos poderão julgar a nós, primeiro devemos ser capazes de nos julgar a nós mesmos. Este princípio coincide também com o taoismo e o Confucionismo.

«Que teu próprio mundo seja o teu critério para julgar ao dos demais» Tao XLIV

No Sermão da montanha encontramos a regra de ouro universal aplicada ao cristianismo explicada em versão positiva:

»... Todas as coisas que queiram que os homens façam convosco, assim também façam vocês com eles; porque isto é a lei e os profetas.»

Como se analisou no capítulo sobre o confucionismo, seguramente Confúcio foi o primeiro em formular a regra de ouro, um dos princípios da ética global.

O Sermão da Montanha influiu em numerosas personagens do mundo como Liev Tolstói (no livro «O reino de Deus está em Vós»), Martin Luther King ou o Mahatma Gandhi.

«Quando li o Sermão da Montanha, comecei a compreender os ensinos do cristianismo... Apaixonei-me de Jesus, compreendi que o Cristianismo ainda está nascendo, só há Cristianismo onde um aceita um ilimitado amor para a humanidade... Enquanto tenha uma só pessoa que passe fome no mundo, Cristo ainda não nasceu

Os mandamentos relacionados principalmente com ou Cristianismo, o Judaísmo, o Islão, o zoroastrismo e o siquismo.

  1. Amarás a Deus sobre todas as coisas;
  2. Não dirás o nome do Deus em vão;
  3. Santificarás os feriados.

Os Sete Mandamentos cristãos compartilhados com todas as religiões (Budismo, hinduísmo, o taoismo, o confucionismo, Jainismo...):

  1. Honra a teu pai e a tua mãe;
  2. Não matar (Ahimsa);
  3. Não cometerás atos impuros;
  4. Não roubarás;
  5. Não dirás falsos testemunhos;
  6. Não consentirás pensamentos ou desejos impuros;
  7. Não cobiçarás as propriedades de terceiros.

Religiões e negócios.


(c) Escola de Negócios EENI Global Business School (1995-2022)
Não usamos cookies
Topo da página