EENI-Escola de Negócios

Cooperação Afro-Árabe

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular - A Cooperação Afro-Árabe (África-Países Árabes).

  1. Introdução à Cooperação Afro-Árabe
  2. O Fórum de Desenvolvimento África-Países árabes
  3. A Terceira Cúpula Afro-Árabe
  4. Os organismos da Cooperação Afro-Árabe
  5. A área de comércio preferencial Afro-Árabe
  6. O Instituto Afro-Árabe de Cultura e Estudos Estratégicos
  7. O Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA)

Os objetivos da unidade curricular «A Cooperação África-Países Árabes» são os seguintes:

  1. Compreender os objetivos da Associação África-Países Árabes
  2. Analisar as áreas da cooperação entre a África e os países árabes
  3. Analisar as relações económicas entre os países africanos e os países árabes
  4. Compreender o papel do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA)
  5. Conhecer o programa BADEA do financiamento das exportações
  6. Entender o conceito de «Zona de Comércio Preferencial Afro-Árabe»
A unidade curricular «A Cooperação Afro-Árabe» estuda-se:
  1. Curso: as relações internacionais da África
  2. Mestrados à distância: Negócios Internacionais, Países Muçulmanos, África Subsariana
  3. Doutoramentos: África, Mercados Muçulmanos

Língua de estudo: Português ou Inglês Afro-Arab Francês Afrique Arabe Espanhol Afro-árabe.

Créditos da unidade curricular «A Cooperação África-Países Árabes»: 0,5 ECTS

Exemplo da unidade curricular - A Cooperação Afro-Árabe
Cooperação Afro-Árabe

Descrição da unidade - A Cooperação África-Países Árabes:

A região árabe e a africana representam 24% do PIB mundial.

A cooperação afro-árabe é considerada como uma das iniciativas mais antigas da cooperação regional; é mais que uma relação geográfica já que cobre aspetos mais profundos como as relações económicas, as culturais e as humanas.

Esta cooperação estabeleceu-se através dos séculos graças à mobilidade social e à interação cultural entre o mundo árabe e o africano.

Nove dos vinte e dois membros da Liga Árabe são também membros da União Africana (UA).

O Comité de Coordenação da Associação Afro-Árabe também acordou agregar a área de comércio preferencial afro-árabe, um projeto conjunto afro-árabe para o desenvolvimento do transporte e para a melhoria do desenvolvimento da mulher.

A reunião do Comité de Coordenação aprovou as seguintes seis áreas de trabalho:

  1. A paz e a segurança (revisão da situação política na África e no mundo árabe)
  2. A promoção do comércio e dos Investimentos (estabelecimento de facilidades para os investimentos e os mecanismos de garantia)
  3. O desenvolvimento agrícola e a segurança alimentária (Fortalecimento da Unidade de facilitação e o financiamento do Plano de Ação Conjunto)
  4. O estabelecimento de um Fundo afro-árabe de resposta aos desastres
  5. O estabelecimento de um Comité Técnico e de Coordenação afro-árabe sobre migração
  6. A melhoria do papel do setor privado na Associação Afro-árabe.

O ensino do árabe nos países africanos também é uma das áreas-chave. O Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico na África (BADEA) confirmou a disponibilidade dos recursos para este projeto.

A sua Alteza o Emir Xeique Sabah Al-Ahmad Al-Sabah iniciou à terceira cimeira Afro-árabe ao prometer 1 bilhão de dólares em empréstimos a baixo interesse e a mesma quantidade em investimentos para os estados africanos.

A Cooperação Afro-Árabe é composta por:

Os países-membros da Liga Árabe: a Arábia Saudita, a Argélia, o Barém, o Catar, as Comores, Jibuti, do Egito, os Emirados Árabes Unidos, o Iraque, a Jordânia, o Kuwait, o Líbano, a Líbia, a Mauritânia, o Marrocos, o Omã, a Palestina, a Somália, o Sudão, a Síria, a Tunísia e Iémen

Os países-membros da União Africana (UA): a África do Sul, a Argélia, Angola, o Benim, o Botsuana, o Burquina Faso, Burundi, os Camarões, Cabo Verde, a República Centro-Africana, o Chade, as Comores, o Congo, a Costa do Marfim, a República Democrática do Congo, o Jibuti, o Egito, a Eritreia, a Etiópia, a Guiné Equatorial, o Gabão, a Gâmbia, o Gana, a Guiné, a Guiné-Bissau, o Quénia, o Lesoto, a Libéria, a Líbia, Madagáscar, o Maláui, o Mali, a Mauritânia, Maurícia, Moçambique, a Namíbia, o Níger, a Nigéria, Ruanda, São Tomé e Príncipe, o Senegal, as Seicheles, a Serra Leoa, a Somália, o Sudão, o Sudão do Sul, a Suazilândia, a Tanzânia, o Togo, a Tunísia, o Uganda, a Zâmbia e o Zimbábue.

A Cooperação Afro-Árabe pertence à Civilização Islâmica e a Civilização Africana.

  1. A Cúpula América do Sul-Países Árabes (ASPA)
  2. O Diálogo Ásia-Médio Oriente (AMED)
  3. O Acordo de Agadir
  4. África-Turquia

Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico da África (BADEA)


(c) EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais