Estudos dos mercados internacionais

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular - O estudo dos mercados internacionais. Análise PEST:

  1. Introdução ao estudo dos mercados internacionais
  2. A pesquisa do mercado internacional
  3. O quê exportar?
  4. Para onde exportar?
  5. Como exportar?
  6. Os métodos de realização de um estudo de mercado internacional
  7. Análise quantitativa
  8. Os métodos qualitativos
  9. Análise PEST (Político-Legal, económico, sociocultural, tecnológico)
  10. Exemplos de pesquisa de um mercado internacional
  11. Casos de estudo:
    1. Análise de estudos dos mercados internacionais
    2. Análise de um mercado usando a ferramenta de acesso aos mercados (MADB) da União Europeia
    3. Rentabilidade do mercado
    4. Potencial de vendas nos mercados exteriores
    5. Empresa Marcopolo (Brasil)

Inclui a ferramenta de acesso aos mercados:
Acesso ao mercado

Os objetivos da unidade curricular «O estudo dos mercados internacionais» são os seguintes:

  1. Entender a importância dos estudos dos mercados internacionais nas estratégias de internacionalização
  2. Saber analisar um estudo de mercado internacional
  3. Saber utilizar a análise PEST (Político, Económico, Social e Tecnológico)
A unidade curricular «O estudo dos mercados internacionais» estuda-se:
  1. Mestrado Profissional em Negócios Internacionais à distância
  2. Mestrado em Comércio e Marketing Internacional
  3. Pós-Graduação em Marketing Internacional
  4. Curso do Marketing

Idioma de estudo: Português ou Espanhol Estudios de mercado Inglês Market Research Francês Études de marché.

  1. Créditos da unidade curricular «O estudo dos mercados internacionais»: 2 ECTS.
  2. Duração estimada: 2 semanas

Área de conhecimento: Marketing internacional.

Exemplo da unidade curricular - O estudo dos mercados internacionais
Estudo de mercados internacionais

Descrição da unidade curricular - O estudo dos mercados internacionais:

O primeiro passo de uma empresa que deseja exportar os seus produtos é avaliar as possibilidades da sua comercialização nos mercados externos. Para isso, tem que levar em conta que são mais de 180 países potenciais procurando exportar, o que implica analisar um fantástico volume de informações.

O desconhecimento desses mercados exteriores obriga a ter o máximo de informações possíveis, a fim de reduzir a perceção do risco da atividade exportadora. Sem dúvida, muitos executivos têm preferências pessoais que, correta ou incorretamente, podem reduzir substancialmente os possíveis países de destino.

O principal inconveniente em escolher os países pelas preferências pessoais ou pelo sentimentalismo é que existem muitas possibilidades de equívoco, o que pode levar a um fracasso da empresa se não seleciona os mercados mais promissores para o seu produto. Para evitar essa probabilidade de erro, a escolha dos mercados deve fazer parte integral do processo de exportação.

Toda empresa que pretenda exportar deve estruturar um sistema de informação (SI) que possa organizar e canalizar as informações constantemente geradas pelo Departamento de exportação.

População africana

Estas informações devem estar prontamente à disposição de todas as pessoas da empresa envolvidas com a tomada de decisões estratégicas. Tal sistema de informações basicamente deverá:

  1. Reunir
  2. Analisar
  3. Classificar
  4. Armazenar
  5. Recuperar
  6. Registrar

Acesso ao mercado

A Análise PEST é um modelo de análise da envolvente externa macro-ambiental da organização:

  1. Político-Legal: estabilidade governativa, legislação, regulamentação, mercados, legislação laboral...
  2. Económica: evolução do produto, inflação, desemprego, níveis salariais, custo da energia...
  3. Sociocultural: hábitos de consumo, tendências demográficas, estilos de vida, o sistema educativo...
  4. Tecnológica: transferência de tecnologia, os investimentos públicos e privados em I+D...

Todas as informações produzidas pelo departamento de exportação coletadas por meio dos estudos de mercado, visitas, viagens, feiras internacionais, Internet, revistas, seminários, etc. A boa organização das informações deve visar a disponibilidade, quando necessária, de todas as que forem úteis para o propósito da empresa e deve coincidir com os objetivos principais que é desejado alcançar.

A Base de dados de acesso ao mercado é uma ferramenta de informação elaborada pela Comissão Europeia cujo objetivo é reduzir no possível os obstáculos aos que enfrentam-se os exportadores europeus de bens e de serviços. Este instrumento proporciona informação sistemática das barreiras primeiramente dos países terceiros.

Marcopolo Brasil

Corredor Africano do norte



Universidade U-EENI