Tratado de Livre Comércio México-Colômbia

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular - Tratado de Livre Comércio (TLC) Colômbia-México

  1. Introdução ao Tratado de Livre Comércio (TLC) entre os Estados Unidos Mexicanos e a República de Colômbia
  2. Protocolo de modificação ao acordo México-Colômbia
  3. Vantagens do acordo
  4. Comércio exterior México-Colômbia
A subunidade curricular "Tratado de Livre Comércio (TLC) México-Colômbia" estuda-se:
  1. Mestrados profissionais: América, Países BRICS (México), Negócios Internacionais (à distancia
  2. Doutoramento Negócios na América (EaD)

Idioma de estudo: Es México Colombia En Colombia Mexico Fr Mexique.

Descrição da subunidade curricular - Tratado de Livre Comércio México-Colômbia:

O Grupo dos Três (G-3) foi negociado pela Colômbia, o México e a Venezuela para negociar um Tratado de Livre Comércio. Em 2006, a Venezuela abandonou o projeto. A partir de 19 de novembro de 2006 só participam no tratado de livre comércio do G-3 Colômbia e o México.

A Colômbia e o México finalizaram os trabalhos de adequação do tratado de livre comércio México-Colômbia e subscreveram cinco decisões contidas em um protocolo de modificação referido ao acesso a mercados, as adequações às regras e certificado de origem, o Comité Regional de Insumos, as faculdades adicionais à Comissão Administradora e a mudança de nome do tratado de livre comércio México-Colômbia.

O protocolo de modificação ao tratado de livre comércio México-Colômbia entrou em vigor o 2 de agosto de 2011.

O Tratado de Livre Comércio México-Colômbia incluí um programa de redução em um período de dez anos. O 97% do universo alfandegário combino com 0% de tarifa aduaneira. Para o setor agropecuário, definiu-se uma lista de produtos sensíveis, que ficaram no seu momento excluídos.

No setor industrial, ficou negociado todo o universo alfandegário, com algumas poucas exceções.

Desde a entrada em vigor do tratado de livre comércio México-Colômbia em 1996, as exportações mexicanas para a Colômbia multiplicaram-se por 12, ao passar de 306 a 3.757 milhões de dólares, um crescimento de 1.100%. As importações multiplicaram-se 6,5 vezes, ao passar de 121 a 795 milhões de dólares, um 550% superior.

No novo Acordo entre a Colômbia e o México ficaram excluídos o café, o plátano, o açúcar, o tabaco e o cacau.

As exportações colombianas a México somaram 638, 2 milhões de dólares e estiveram representadas em produtos como hullas, polímeros de propileno, os cosméticos, os medicamentos, os inseticidas, os minerais de cobre, a roupa interior feminina, os livros e os pneus, entre outros.

Exemplo da subunidade curricular - Tratado de Livre Comércio (TLC) México-Colômbia:
Acordo México-Colômbia

Tratados de livre comércio do México - tratados de livre comércio (TLC) da Colômbia.



EENI Escola de Negócios