Investimentos no estrangeiro

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular: os investimentos no estrangeiro. A otimização dos riscos de expropriação. As filiais.

  1. O investimento direto estrangeiro (IDE) no estrangeiro
  2. As delegações no exterior:
    1. Empresas filiadas
    2. Sucursais
    3. Empresas mistas (Joint Ventures)
  3. Otimização dos riscos de expropriação.
  4. A ecologia e as estratégias das multinacionais.
  5. Governo corporativo.
  6. Caso de estudo: criando uma empresa nos Estados Unidos.
  7. Gerindo um negócio em um país em via de desenvolvimento.
  8. Casuística de uma transação nos países em desenvolvimento.
  9. Problemas habituais na gestão.
  10. Programas de apoio ao desenvolvimento.
  11. Casos de estudo:
    1. Situação nas ex-Repúblicas Soviéticas.
    2. Reconstrução de uma indústria em uma ex-República Soviética.
A subunidade curricular "Investimentos no estrangeiro (IDE)" estuda-se:
  1. Mestrado em Comércio Exterior
  2. Curso Internacionalização e investimentos

Idioma de estudo: Es Inversiones En Investment.

Descrição da subunidade curricular - Investimentos no estrangeiro:

A expansão internacional de uma empresa, pode finalizar com a criação de uma ou várias delegações de venda no exterior, de modo que se possa alcançar um maior controlo no mercado de destino. O seguinte passo, pode ser a produção local.

Diferentes formas legais existem para o estabelecimento comercial no exterior, dependerá de cada mercado. Em princípio estas formas legais devem assegurar uma sólida presença local, um controlo dos impostos e a proteção para os investidores. Analisaremos as três formas mais habituais (desde o ponto de vista comercial):
- As delegações de venda
- As filiais
- Os Empreendimentos Conjuntos (Joint Ventures).

Será necessário realizar uma rigorosa análise dos fatores de risco que podem afetar este tipo de investimentos: as privatizações, o risco comercial e político...

Cada vez mais, o balanço social de uma empresa demanda um novo estilo de gestão baseado no governo corporativo, que permita transformar às empresas em motores de desenvolvimento assim como promover o bem-estar nos lugares em que desenvolve suas atividades.

CASO DE ESTUDO: Criando uma empresa nos Estados Unidos. Em uma empresa trabalham mais de 150 trabalhadores; produz e comercializa estátuas de bronze com suportes de mármore. O design é exclusivo. As produções são relativamente elevadas. Neste caso se analisarão onze decisões tomadas pelo conselho de administração relativas à implantação nos Estados Unidos.

Tendemos a associar aos países em vias de desenvolvimento com a pobreza e o sofrimento. Esta imagem se vê robustecida pelos meios de comunicação que nos informam quase somente dos desastres destes países e apresentam a suas pessoas como vítimas de circunstâncias além de seu controlo. A realidade do mundo em desenvolvimento é muito mais variada e complexa.

Em primeiro lugar, é preciso ter cuidado com as generalizações. Por exemplo, a situação nos países recentemente industrializados como a Coreia do sul, Malásia, China, México ou o Brasil é muito diferente à dos países menos desenvolvidos como o Bangladeche, Senegal, Gana, Quénia, Marrocos, Nicarágua, El Salvador ou o Peru. Além disso, a situação no mundo não é estática, mas sumamente dinâmica. Nas décadas passadas, os países da Ásia do sul oriental experimentaram um progresso considerável na sua qualidade da vida.

O contexto sociocultural de cada país em desenvolvimento tem também uma importância vital respeito à comercialização de um produto o serviço e inclusive em um projeto de investimento direto estrangeiro (IDE). A religião, as tradições, a história, as superstições, tudo isso faz parte de um sistema de valores: a cultura.

O processo de obter permissões para estabelecer-se em um país em desenvolvimento pode ser longo e difícil. Em alguns países, parte dos ingressos dos governos vêm destas ineficiências. O problema da corrupção pode aparecer em qualquer momento em muitos países.

Exemplo da subunidade curricular - Investimentos no estrangeiro:
Investimentos no estrangeiro

A situação das ex-Repúblicas Soviéticas.

Analisando a situação atual na federação Russa poderemos descobrir uma série de aspetos que não poderíamos identificar com uma simples análise das noticias que dispomos. A partir daí, será analisado o caso de uma reconstrução de uma indústria em uma ex-República Soviética.

Os organismos internacionais como a União Europeia (UE), o Banco Americano de Desenvolvimento, o Banco Africano de Desenvolvimento ou o Fundo Monetário Internacional (FMI), dispõem de importantes recursos financeiros para ajudar à reconstrução e o desenvolvimento das economias e do setor produtivo destes países. Um dos programas de ajuda baseia-se em projetos de transferência de "know-how" para estes países.

Ao finalizar esta parte, o aluno saberá:

  1. As diferentes estratégias que melhor se adaptem a este tipo de investimentos
  2. As formas legais de implantação
  3. Os problemas que podem surgir no processo e implantação em um país em vias de desenvolvimento

EENI Escola de Negócios