Investimentos no estrangeiro

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo Conteúdo programático da subunidade curricular: os investimentos no estrangeiro. A otimização dos riscos de expropriação. As filiais.

  1. O investimento direto estrangeiro (IDE) no estrangeiro
  2. As delegações no exterior:
    1. Empresas filiadas
    2. Sucursais
    3. Empresas mistas (Joint Ventures)
  3. A otimização dos riscos de expropriação.
  4. A ecologia e as estratégias das multinacionais.
  5. O Governo corporativo.
  6. Caso de estudo: criando uma empresa nos Estados Unidos.
  7. Gerindo um negócio em um país em via de desenvolvimento.
  8. A casuística da uma transação nos países em desenvolvimento.
  9. Os problemas habituais na gestão.
  10. Programas de apoio ao desenvolvimento.
  11. Casos de estudo:
    1. Situação nas ex-Repúblicas Soviéticas.
    2. Reconstrução da uma indústria em uma ex-República Soviética.

Créditos

A subunidade curricular «Investimentos no estrangeiro (IDE)» estuda-se:
  1. Mestrado em Comércio Exterior
  2. Curso Internacionalização e investimentos (e-learning)

Idioma de estudo: Espanhol Inversiones Inglês Investment Francês Investissement.

Descrição Descrição da subunidade curricular - Investimentos no estrangeiro:

A expansão internacional da uma empresa, pode finalizar com a criação da uma ou várias delegações de venda no exterior, de modo que possa-se alcançar um maior controlo no mercado de destino. O seguinte passo, pode ser a produção local.

Diferentes formas legais existem para o estabelecimento comercial no exterior, dependerá de cada mercado. Em princípio estas formas legais devem assegurar uma sólida presença local, um controlo dos impostos e a proteção para os investidores. Analisaremos as três formas mais habituais (desde o ponto de vista comercial):

  1. As delegações de venda
  2. As filiais
  3. Os Empreendimentos Conjuntos (Joint Ventures).

Será necessário realizar uma rigorosa análise dos fatores de risco que podem afetar este tipo dos investimentos: as privatizações, o risco comercial e político...

Cada vez mais, o balanço social da uma empresa demanda um novo estilo de gestão baseado no governo corporativo, que permita transformar às empresas em motores de desenvolvimento assim como promover o bem-estar nos lugares em que desenvolve suas atividades.

CASO DE ESTUDO: Criando uma empresa nos Estados Unidos.

Em uma empresa trabalham mais de 150 trabalhadores; produz e comercializa estátuas de bronze com suportes de mármore. O design é exclusivo. As produções são relativamente elevadas. Neste caso se analisarão onze decisões tomadas pelo conselho de administração relativas à implantação nos Estados Unidos.

Tendemos a associar aos países em vias de desenvolvimento com a pobreza e o sofrimento. Esta imagem é robustecida pelos meios de comunicação que nos informam quase somente dos desastres destes países e apresentam a suas pessoas como vítimas de circunstâncias além do seu controlo. A realidade do mundo em desenvolvimento é muito mais variada e complexa.

Em primeiro lugar, é preciso ter cuidado com as generalizações. Por exemplo, a situação nos países recentemente industrializados como a Coreia do sul, a Malásia, a China, o México ou o Brasil é muito diferente à dos países menos desenvolvidos como o Bangladeche, o Senegal, o Gana, o Quénia, o Marrocos, a Nicarágua, El Salvador ou o Peru. Além disso, a situação no mundo não é estática, mas sumamente dinâmica. Nas décadas passadas, os países da Ásia do sul oriental experimentaram um progresso considerável na sua qualidade da vida.

O contexto sociocultural de cada país em desenvolvimento tem também uma importância vital respeito à comercialização de um produto o serviço e inclusive em um projeto de investimento direto estrangeiro (IDE). A religião, as tradições, a história, as superstições, tudo isso faz parte de um sistema de valores: a cultura.

O processo de obter permissões para estabelecer-se em um país em desenvolvimento pode ser longo e difícil. Em alguns países, parte dos ingressos dos governos vêm destas ineficiências. O problema da corrupção pode aparecer em qualquer momento em muitos países.

Exemplo da subunidade curricular - Investimentos no estrangeiro:
Investimentos no estrangeiro

A situação das ex-Repúblicas Soviéticas.

Analisando a situação atual na Federação Russa poderemos descobrir uma série de aspetos que não poderíamos identificar com uma simples análise das noticias que dispomos. A partir daí, será analisado o caso da uma reconstrução da uma indústria em uma ex-República Soviética.

Os organismos internacionais como a União Europeia (UE), o Banco Americano de Desenvolvimento, o Banco Africano de Desenvolvimento ou o Fundo Monetário Internacional (FMI), dispõem de importantes recursos financeiros para ajudar à reconstrução e o desenvolvimento das economias e do setor produtivo destes países. Um dos programas de ajuda baseia-se em projetos de transferência de «know-how» para estes países.

Ao finalizar esta parte, o aluno saberá:

  1. As diferentes estratégias que melhor adaptem-se a este tipo dos investimentos
  2. As formas legais de implantação
  3. Os problemas que podem surgir no processo e implantação em um país em vias de desenvolvimento

Universidade U-EENI