Escola de Negócios EENI Business School

União Europeia-Argélia Acordo comercial



Compartilhar por Twitter

Conteúdo programático da unidade curricular (UC) da EENI

Acordo de Associação Argélia-União Europeia, exportações

  1. Introdução ao Acordo de Associação União Europeia (Portugal)-Argélia
  2. As medidas de salvaguarda
  3. O Sistema de acumulação de origem pan-euro-mediterrânico
  4. O comércio exterior argélia-União Europeia
Acordo UE-Argélia:
Acordo de Associação União Europeia (Portugal)-Argélia

Estudantes Negócios Internacionais

Acesso preferencial / Acordos comerciais

Acordo de Associação União Europeia (UE)-Argélia.

O Acordo de Associação UE-Argélia foi assinado em 2002.

O Acordo de Associação Argélia-União Europeia não limita-se a criação de uma Área de Livre-Comércio, senão que o acordo incluiu o comércio exterior, a cooperação económica e financeira, os fluxos de investimento estrangeiro direto...

O Acordo de Associação Argélia-União Europeia:

  1. O período de abertura e de liberalização do comércio exterior é assimétrico e iminente pela UE
  2. O Acordo UE-Argélia aplica-se a todas as exportações industriais e a uma lista de produtos de exportação agrícolas
  3. Permitem-se as medidas anti-dumping e de salvaguardas excepcionais para a Argélia para proteger as suas industrias
  4. A UE é o primeiro parceiro da Argélia
  5. A UE representa 55% das importações da Argélia e 50% das exportações
  6. A República da Argélia (Magrebe) representa solo 1,8% das importações da UE e 1,2% das exportações

Mais informação: Argélia (Portal Negócios em África da EENI).

  1. Argel
  2. Orão
  3. Constantina
  4. Transporte na Argélia
  5. Política Europeia de Vizinhança
  6. O Porto de Argel e o Porto de Orão
  7. Ali Haddad
  8. Issad Rebrab

Confiamos em áfrica. Ensino superior a preços acessíveis para os africanos. Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé



(c) EENI Global Business School (1995-2024)
Não usamos cookies
Topo da página

EENI: O Conhecimento leva à unidade, assim como a ignorância à diversidade