Gerenciamento do Ciclo de Projetos

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular - Gerenciamento do Ciclo de Projetos de Desenvolvimento dos organismos internacionais:

  1. Introdução
  2. Gerenciamento do ciclo de projeto. O ciclo de projeto nos diferentes organismos internacionais. As fases do ciclo de projeto:
    1. Programação
    2. Identificação
    3. Formulação
    4. Implementação / Execução
    5. Avaliação
  3. Ferramentas de Gerenciamento do ciclo de projetos:
    1. Etapas de análises
    2. Etapa de planejamento: a Matriz de Marco Lógico
    3. Critérios de avaliação e seu relacionamento com a lógica de intervenção da Focagem do Marco Lógico.

Ciclo de projetos do Banco Asiático de Desenvolvimento
ADB Ciclo de projetos

Objetivos da unidade:

  1. Conhecer o ciclo de gerenciamento dos projetos, suas fases e identificar as ferramentas e os documentos da cada fase
  2. Conhecer os elementos da Focagem do Marco Lógico e da Matriz do Marco Lógico: os indicadores, os meios de verificação, hipótese - riscos

Pós-Graduação em Instituições Multilaterais
Licitações - Preparações prévias - Pré-qualificações - Administração - Direção de projetos
Mestrado em Relações Económicas Internacionais.

Idioma de estudo: Es Instituciones Multilaterales En Multilateral Institutions Fr Institutions Multilatérales.

Descrição da unidade curricular: Gerenciamento do Ciclo de projetos de Desenvolvimento dos organismos internacionais.

Exemplo da unidade curricular - Gerenciamento do Ciclo de projetos de Desenvolvimento
Ciclo de projetos

Estudaremos o Marco Lógico e a gestão do Ciclo de projetos. Analisaremos tudo o referente a estes dois instrumentos de gestão de projetos públicos, fazendo insistência nas diferenças e similaridades nos diferentes Organismos de financiamento Multilaterais, assim como na análise económico-financeiro como complemento a estas duas ferramentas anteriormente descritas.

A União Europeia intervém na Cooperação ao desenvolvimento (Ações externas) mediante três mecanismos: Apoio direto a Projetos, Apoio Orçamentário a Políticas setoriais, e Apoio macroeconómico.

O sistema de Marco Lógico usa-se para a análise de problemas de identificação e formulação de projetos e para consultar e implicar aos envolvidos tanto como seja possível.

Matriz de Marco Lógico

O sistema de Marco Lógico é um processo analítico de análise, assim como uma série de ferramentas para apoiar o planejamento e a gestão de projetos. Permite que a informação seja analisada e organizada segundo sua importância, identificar as alternativas e apoiar a tomada de decisões para a dotação de recursos e atividades.

A Matriz de Marco Lógico é o produto destas análises e consiste em uma matriz de quatro colunas e quatro filas, que resumo os elementos chaves de um projeto: antes, durante e depois do mesmo (se pode variar ou manter a mesma ao longo do projeto).

A primeira coluna da Matriz de Marco Lógico descreve um projeto, também conhece-se como Lógica da Intervenção. A segunda e a terceira coluna são os indicadores e os meios de verificação importantes para o seguimento e a avaliação e respondem à chamada lógica horizontal. A quarta coluna: Hipóteses ou Supostos, são fatores externos que têm o poder de influir no sucesso de um projeto, pior estão fora do controlo direto da gestão do mesmo. Pertencem a chamada lógica vertical.

Para a identificação de um projeto se levará em conta as fases seguintes:

  1. Análise dos Envolvidos
  2. Análise de Problemas
  3. Análise dos objetivos
  4. Análise das Estratégias/Alternativas
  5. Definição dos componentes e dos recursos

Realizar adequadamente, e com a participação dos agentes envolvidos mais relevantes, cada um de passos do sistema de Marco lógico é de grande importância, já que ajudam a definir corretamente um projeto, seu interesse e relevância, sustentabilidade, etc.

O último aspeto e não menos importante, é a análise económico e financeiro. Centra-se no ponto de vista de uma entidade o grupo de instituições (o beneficiário, o Grupo objetivo, etc..). Isto se há com a análise de custos-benefícios ou o método de taxação.

A análise Económico e Financeiro requerem certa imaginação dos parâmetros a analisar, e conhecimento da economia subjacente do setor e dos produtos/serviços, assim como uma compressão do nível desejado de análise e as estimativas de certeza "económica" que os clientes ou beneficiários principais "aceitarão" (com frequência, função de sua bagagem educativo e seus rol como agência executora, Delegação da União Europeia ou Bruxelas, etc.).


EENI Escola de Negócios