Tráfico Negreiro Transatlântico (Doutoramento)

Escola de Negócios EENI & Universidade HA



Descrição da unidade curricular (EAD): o Tráfico Negreiro Transatlântico (África, América, Europa)

Segundo a UNESCO, quase 30 milhões de africanos (homens, mulheres e crianças) foram roubados da África durante os 400 anos que durou o tráfico transatlântico de escravos.


A unidade curricular «O Tráfico Negreiro Transatlântico (Europa, África, América)» estuda-se nos seguintes programas de ensino superior à distância (EAD) da Escola de Negócios EENI & Universidade HA:
  1. Doutorados: África, Mercados Muçulmanos, América
  2. Mestrados: Negócios Internacionais, Comércio Exterior, África Subsariana, Países Muçulmanos

Língua de estudo da unidade curricular: Ensino superior à distância em Português Estudar mestrado comércio exterior em Inglês Transatlantic Slave Trade Mestrado negócios comércio EAD em Espanhol Trata Negrera Transatlántica Estudar mestrado negócios internacionais em Francês Traite négrière transatlantique.

Doutoramentos e Mestrados à distância (Comércio Exterior)

Durante 400 anos, mais de 30 milhões de homens, de mulheres e de crianças foram vítimas do trágico tráfico negreiro transatlântico de escravos, um dos episódios mais brutais da história da humanidade.

  1. A mortalidade do tráfico negreiro transatlântico (estimativas): por cada africano que chegou ao Caribe ou as Américas, morriam entre quatro ou cinco pessoas
  2. 200 milhões de americanos (diáspora) consideram-se de origem africano
  3. Fundamento jurídico do tráfico negreiro e da escravatura: O Código Negreiro
  4. O tráfico negreiro transatlântico é considerado como o primeiro sistema de globalização (África-América-Europa)

«Houve um Soldado do Búfalo, no coração da América, roubado da África, trazido para a América...
Se você conhecesse a sua história, então você saberia de onde está vindo» Bob Marley - Soldado do Búfalo

As consequências do tráfico negreiro transatlântico para a África: a desaceleração do crescimento da população africana e do seu desenvolvimento económico.





Tweter.png Tweet 
Envie para um amigo:

/ / Envie-nos um WhatsApp / Contactar Skype / Contato por telefone / Print /
Info EENI Voltar

Exemplo da unidade curricular (EAD): Tráfico Negreiro Transatlântico (África)
Tráfico Negreiro Transatlântico

Portal Africano da Escola de Negócios EENI & Universidade HA
Portal África, Escola de Negócios EENI & Universidade HA

Curso EAD: Comércio de escravos africanos

Os continentes e os países implicados no Tráfico Transatlântico Negreiro de escravos:

As vítimas: os africanos da África ao Sul do Saara (*).

Os países africanos atuais afetados pelo tráfico de escravos (*): o Benim, a Costa do Marfim, a Gâmbia, o Gana, Guiné-Conacri, a Guiné-Bissau, a Libéria, a Nigéria, o Senegal, a Serra Leoa, o Togo, o Burquina Faso, o Níger, o Mali, Cabo Verde, a África do Sul, a Namíbia, o Botsuana, o Lesoto, a Suazilândia, a Zâmbia, Zimbábue, Jibuti, a Eritreia, o Quénia, Moçambique, a Tanzânia, o Sudão, Burundi, a Etiópia, Malaui, Ruanda, o Sudão do Sul, o Uganda, Angola, os Camarões, o Gabão, a Guiné Equatorial, República do Congo, a República Democrática do Congo, a República Centro-africana, o Chade, São Tomé e Príncipe.

Destinos dos escravos africanos (a diáspora africana):

  1. Ilhas do Oceano Índico (quatro milhões): Madagáscar, as Ilhas Maurícia, as Seicheles, as Comores
  2. América
    1. Os Estados Unidos, o Canadá e México
    2. América Central: a Costa Rica, Honduras, o Panamá, Belize, El Salvador, a Guatemala, a Nicarágua
    3. Caribe: Antiga e Barbuda, as Bahamas, Bermuda, Barbados, a Dominica, Granada, a Guiana, a Jamaica, Montserrate, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas como, Trindade e Tobago, o Haiti, Anguila, as Ilhas Turcas e Caicos, as Ilhas Virgens Britânicas, a República Dominicana, Cuba, as Ilhas Cayman...
    4. Os países andinos: a Bolívia, a Colômbia, o Equador, o Peru, Venezuela, o Suriname, a Guiana francesa, o Belize
    5. América do Sul: a Argentina, o Brasil, o Chile, o Uruguai e o Paraguai

2- Países e continentes traficantes:

  1. África (*): o Egito, a Argélia, o Marrocos, a Tunísia, a Mauritânia, a Líbia
  2. Europa: a Espanha, o Portugal, o Reino Unido, a França, os Países Baixos, a Dinamarca, a Suécia, a Prússia
  3. América: os Estados Unidos, o Brasil
  4. Os países árabes: a Arábia Saudita, o Iémen, o Omã, o Catar, os Emirados Árabes Unidos e o Kuwait
  5. Turcos

(*) Em quase todos os países africanos houve africanos que participaram no tráfico de escravos.

O volume V (África do século XVI ao XVIII) da história general da África da UNESCO analisa o tráfico de escravos.

Harriet Tubman.

Harriet Tubman Abolicionista

Civilização Africana.

Mais informação (UNESCO): as rotas do escravo.



(c) Escola de Negócios EENI & Universidade HA (1995-2019). Não usamos cookies.