Transparência Internacional (luta corrupção)

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular: o papel da Transparência Internacional na luta contra a corrupção

  1. Introdução à Transparência Internacional
  2. A corrupção e a globalização
  3. O Índice de Perceção da Corrupção
  4. O Barómetro Global da Corrupção
  5. O Índice de fontes de suborno
  6. O Relatório global da corrupção
  7. Os princípios da transparência e da prevenção da corrupção nas empresas
  8. O Índice da Corrupção dos Países Exportadores
  9. Caso de estudo: os riscos da corrupção na Europa
A subunidade curricular «Transparência Internacional» faz parte do curso Não à corrupção nos negócios internacionais, do Doutoramento em Negócios Internacionais e do Mestrado em Comércio Exterior

Idioma de estudo: Português (ou Espanhol Transparencia Internacional Inglês Transparency Francês Transparence).

Exemplo da subunidade curricular - Transparência Internacional
Transparência Internacional

Não à corrupção

Negócios Internacionais com ética.

Descrição da subunidade curricular - Transparência Internacional:

Transparência Internacional desempenha um papel fundamental na luta contra a corrupção global. Esta organização não-governamental foi criada em 1993. A sua missão é combater a corrupção, criando uma aliança global formada pela sociedade civil, pelas empresas e pelos governos.

Transparência Internacional atua tanto contra quem corrompem como quem deixa-se corromper, tanto a nível político como empresarial.

A EENI quer reconhecer publicamente o importante esforço que esta organização está levando a cabo para lutar contra o flagelo da corrupção.

.

Os principais benefícios obtidos pela Transparência Internacional:

  1. Uma das ações mais importantes são as campanhas de informação sobre os negativos efeitos da corrupção
  2. A criação de convenções internacionais anticorrupção, procurando a adesão das empresas, particulares e governos (exemplo: Pacto de Integridade) conseguiu que vários governos adotassem medidas anticorrupção

Transparência Internacional desenvolveu um indicador baseado em perceções para medir a corrupção global no setor público (tanto administrativa como política): o Índice de perceção da corrupção, uma ferramenta indispensável para qualquer empresa operando no mercado global.

  1. Os dez países menos corruptos: Dinamarca, Finlândia, Nova Zelândia, Suécia, Singapura, Suíça, Austrália, Noruega, Canadá, os Países Baixos
  2. Os dez países mais corruptos: Haiti, Venezuela, Iraque, Turquemenistão, Uzbequistão, Mianmar, Sudão, Afeganistão, Coreia do Norte, Somália

66% das 176 economias classificadas no Índice de perceção da corrupção da Transparência Internacional obtiveram uma pontuação por debaixo de cinquenta pontos (0 nível máximo de corrupção, 100 nível mínimo).

A Dinamarca, a Finlândia e a Nova Zelândia ocupam conjuntamente o primeiro lugar (90 pontos) enquanto, o Afeganistão, a Coreia do Norte e a Somália estão no último lugar com oito pontos. A Espanha é em 30º lugar (65 pontos) justo por trás do Botsuana!

Os benefícios obtidos pela Transparência Internacional incidem no comércio exterior fortalecendo o enquadramento legal e político.



Universidade U-EENI