Responsabilidade Social Corporativa

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular: a responsabilidade social corporativa e a luta contra a corrupção

  1. Introdução a responsabilidade social corporativa (RSC)
  2. Iniciativas Reporte Global e InFocus (Organização Internacional do Trabalho)
  3. Índice de Sustentabilidade Dow Jones
  4. A Responsabilidade Social Corporativa e a União Europeia (UE)
A subunidade curricular "Responsabilidade Social Corporativa" faz parte do curso Não à corrupção nos negócios internacionais, do Doutorado em Ética Global, Religiões e Negócios Internacionais e do Mestrado em Comércio Exterior

Idioma de estudo: Pt (ou Es Responsabilidad Social En Social Responsibility Fr Responsabilité sociale).

Não à corrupção

"As empresas têm uma responsabilidade social profunda que deve ser mostrada dia-a-dia, não só através de práticas comerciais éticas, justas e ecologicamente sustentáveis em todas as feições de uma organização, senão também na participação ativa nas questões fundamentais da sociedade". Azim Premji (doou o 25% de seu património a caridade).

"Criar uma empresa é um dos atos mais importantes da Responsabilidade social. Criando empresa cria-se trabalho" Luís Carlos Sarmiento Angulo

Projeto ética, negócios e religião - Corrupção. Compromisso com a Sociedade da EENI.

Descrição da subunidade curricular - Responsabilidade Social Corporativa (RSC):

A Responsabilidade Social Corporativa (RSC) é um dos termos que mais está crescendo no gerenciamento empresarial. A Responsabilidade Social transmite a visão de uma empresa ante a sociedade e o médio ambiente.

Se a sociedade permitiu à empresa desenvolver seu negócio, a empresa de alguma forma está em dívida com a sociedade, para além dos imperativos legais existentes.

A Responsabilidade Social Corporativa transmite os princípios éticos e valores da empresa. A luta contra a corrupção e a defesa dos direitos humanos deve fazer parte da Responsabilidade Social de uma empresa.

Muitas empresas aplicam a responsabilidade social corporativa como uma mera declaração de intenções, outras porque realmente estão convencidas de que devem devolver à sociedade parte do que esta lhes deu, e há outras, não muitas, que estão incluindo a Responsabilidade Social como parte fundamental de sua estratégia de negócio, influindo diretamente em sua política de produto / serviço e/ou preços.

"Não quero fazer dinheiro com estas doenças que causam tanto dano ao tecido da sociedade". Doutor José Hamied (medicamentos para a sida de baixo custo)

As empresas índias estão liderando esta mudança, como serão analisados nos casos de estudo de empresários índios (Doutor Cyrus Poonawalla, o Grupo Tata...) estas empresas desenham produtos e os serviços com uma visão totalmente baseada na responsabilidade social corporativa, algo que por outra parte é intimamente relacionado com os princípios éticos do hinduísmo, do Jainismo, do Siquismo ou do Islão (Lembremos que o Zakat é um dos cinco pilares do Islão).

Baixo este ponto de vista, a responsabilidade social corporativa pode ser vista em outros mercados, sobretudo nos países asiáticos, mais como uma moda ocidental que como uma verdadeira atitude da empresa ante a sociedade.

Também é importante assinalar os labores filantrópicas que muitas empresas e empresários estão levando a cabo, como parte de sua responsabilidade social Corporativa.

"O negócio não trata-se só de rendimentos e ganhos, senão também de ajudar mantendo nossa terra verde, nossas comunidades saudáveis e ajudar a que os meninos sejam inteligentes". Adi Godrej (o 25% das ações do Grupo Godrej dedicam-se a filantropia).

Seja como seja, é necessário reconhecer o papel que estão desenvolvendo aquelas empresas que realmente aplicam a responsabilidade social.

A EENI deseja render homenagem a vários homens e mulheres de negócios de todo o mundo que estão dedicando enormes suma a atividades filantrópicas Sahu Jain, Gautam Adani, Bhavarlal Hiralal Jain, Grupo hinduja, Birla, Gopalakrishnan, Mukesh Ambani, Kiran Mazumdar, Kith Meng, Kazuo Inamori, Jyoti, Lee Kun-hee, Zhang Ruimin, Chang Yung-fa, Vladimir Potanin, Helena Baturina, Alexandre Lebedev, Onsi Sawiris, Bin Talal, Mohamed Ibrahim, Xeque Mohamed Hussein Ali Al Amoudi, Abdul Aziz Ghurair, Nasser Al Kharafi, Muhammad Yunus, Mian Muhammad Mansha, Salman F Rahman, Dewan Farooqui, Sandiaga Salahuddin Uno, Tarek Talaat Mustafá, Hassan Abdalla, Mohamed Mansour, Osama Abdul Latif, Mohamed Ali Harrath, Othman Benjelloun, Alhaji Aliko Dangote...

Os índices de sustentabilidade de Dow Jones criaram-se em 1999 sendo os primeiros indicadores globais de sustentabilidade. Estes índices mostram o desempenho das ações das empresas líderes no mundo quanto aos critérios económicos, ambientais e sociais. Para o cálculo do índice aplicam-se quase 50 critérios, uns generais e outros específicos dependendo do setor de atuação. Com esta informação criam-se vários índices: Mundial, mundo desenvolvido, Mercados Emergentes, a América do Norte, Estados Unidos, a Ásia-Pacífico, Europeia, Eurozona e a Coreia do Sul.

NOTA: o objetivo desta parte não é analisar em profundidade a Responsabilidade Social Corporativa, cujos objetivos estariam afastados da visão global do projeto "Ética, Religião e negócios internacionais", senão oferecer uma breve introdução à RSC.

Exemplo da subunidade curricular - Responsabilidade Social Corporativa
Responsabilidade Social Corporativa



EENI Escola de Negócios