Fazendo negócios no Paquistão

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da unidade curricular - comércio exterior e negócios no Paquistão: Karachi, Islamabade e Lahore.

  1. Introdução a República Islâmica do Paquistão (Ásia Central)
  2. Economia paquistanesa
  3. Comércio exterior paquistanês.
  4. Principais exportações: produtos e mercados
  5. Autoridade de Desenvolvimento do comércio do Paquistão
  6. Investimento direto estrangeiro (IDE) no Paquistão
  7. Promoção de vendas no Paquistão
  8. Fazendo negócios em Karachi, em Islamabade e em Lahore
  9. Casos de estudo:
      - Tecnologias da informação
      - Setor automóvel. Hinopak Motores
      - Paquistão Telecomunicações.
      - Grupo Chawla
  10. Casos de estudo - Empresários muçulmanos paquistaneses:
      - Shahid Khan
      - Família Saigol
      - Mian Muhammad Mansha
      - Dewan Farooqui
  11. Introdução ao inglês
  12. Acesso ao mercado paquistanês
  13. Plano de negócios para o Paquistão

Objetivos da unidade curricular "Fazendo negócios na República Islâmica do Paquistão":

  1. Analisar a economia e o comércio exterior paquistanês
  2. Avaliar as oportunidades de negócio no Paquistão
  3. Analisar as relações comerciais do Paquistão com o país do aluno
  4. Conhecer os tratados de livre comércio (TLC) do Paquistão
  5. Analisar o perfil de homens de negócios paquistaneses
  6. Desenvolver um plano de negócios para o mercado paquistanês
A unidade curricular "Fazendo negócios no Paquistão" estuda-se:
  1. Mestrados profissionais: Ásia, Países Muçulmanos, Mercados Emergentes, Negócios Internacionais
  2. Doutoramentos (EaD à distancia): Mercados Muçulmanos, Ásia

Idioma de estudo: En Pakistan ou Es Pakistán Fr Pakistan.

  1. Créditos da unidade curricular "Negócios no Paquistão": 2 ECTS
  2. Duração estimada: 2 semanas

Exemplo da unidade curricular - Comércio internacional e negócios no Paquistão:
SAARC Associação Cooperação Ásia Sul

Descrição da unidade curricular - Negócios no Paquistão:

  1. Com uma população de 199 milhões de pessoas e quase 97% de muçulmanos sunitas, o Paquistão é um dos mercados regionais a levar em conta.
  2. Estrategicamente localizado no sul da Ásia, o Paquistão é no cruzamento entre a Europa oriental e a Ásia ocidental.
  3. O Paquistão é uma República federal parlamentar democrática com o Islão como a religião do estado.
  4. Abolição da escravatura no Paquistão: 1992 (o último país do mundo em abolir a escravatura)
  5. Idiomas oficiais: urdu e inglês
  6. Independência: 1947 (Reino Unido)
  7. A sede central da Câmara de Comércio e Indústria Islâmica (ICCI) é no Paquistão
  8. O Paquistão limita com Irão, Afeganistão, China e Índia.

Religião no Paquistão:

  1. Islão Sunita.
  2. A maioria dos muçulmanos do Paquistão segue a escola Hanafí Madhhab de jurisprudência islâmica.
  3. O Governo da República Islâmica do Paquistão estabelece um sistema de bem-estar social e de impostos sobre a base de Zakat (um dos cinco pilares do Islão) e um sistema bancário de ganhos e perdas, de acordo com as proibições islâmicas contra a usura.
  4. A maioria dos 199 milhões de paquistaneses são muçulmanos sunitas, os xiitas representa entre um 5 e um 20% da população, o segundo país após Irão em número de xiitas.
  5. Existem minorias cristãs (3,5 milhões), hinduístas (3,6 milhões) e parsis (Zoroastrismo).
  6. Estima-se que no Paquistão há 1,2 milhões de católicos

O Paquistão pertence ao espaço económico da Eurásia Central da civilização islâmica.

Economia paquistanesa.

  1. Os sinais de recuperação económica e de macroestabilidade são cada vez mais importantes, prova disso é o apoio que está recebendo das principais instituições financeiras internacionais.
  2. O PIB paquistanês em termos reais cresceu 3,3%, comparado com 3,3% no ano anterior.
  3. As maiores contribuições ao crescimento do PIB foram as manufaturas (1,2%) e o setor serviços (2,2%). A contribuição da agricultura foi negativa.
  4. O setor automóvel do Paquistão tem vindo a desempenhar um papel vital no conjunto da economia nacional. O setor é um dos principais contribuintes para o setor industrial no país e está registando um crescimento de mais de 30% ao ano.
  5. Atualmente, existem trinta e duas unidades de fabricação de automóveis no país, com um investimento de capital de 1,5 bilhões de dólares e empregam 5.600 trabalhadores.
  6. A indústria das Auto Peças consiste em 2.000 unidades e emprega a mais de 140.000 trabalhadores.
  7. O Paquistão suprimiu os contingentes respeito dos produtos têxteis, para os quais se tinha obtido uma dispensa especial por motivos de balança de pagamentos, bastante antes da expiração do período autorizado pelo Comité de Balança de pagamentos.
  8. O Programa de reativação da economia que iniciou Paquistão em 1999 após uma deterioração dos resultados económicos, se levou antecipe com determinação, o que permitiu a aplicação satisfatória de um acordo de direito de giro com o Fundo Monetário Internacional e a conseguinte concessão pelo Fundo de uma ajuda substancial no quadro de seu serviço para o crescimento e a luta contra a pobreza, segundo um relatório da Organização Mundial do Comércio sobre as políticas e as práticas comerciais do Paquistão.
  9. No relatório destaca-se que o crescimento económico a longo prazo do Paquistão depende em grande medida que se siga aplicando o Programa de reativação da economia, em particular para reduzir a intervenção direta do Estado na economia e melhorar a base impositiva.
  10. O investimento direto estrangeiro atingiu 3,042 bilhões de dólares, contra 3,3059 bilhões de dólares em relação ao mesmo período do ano passado, assim, representando uma diminuição de 8,0%. O grupo de comunicação liderou os fluxos de investimento direto estrangeiro com participação de 26,5% do investimento direto estrangeiro global, seguido por negócios financeiros (22,1%) e exploração de petróleo e o gás (18,3%).

Empresários muçulmanos

Shahid "Shad" Khan nasceu no Paquistão em 1952. É um importante empresário multimilionário que reside nos Estados Unidos. É o dono dos Jaguares de Jacksonville da Liga Nacional de Futebol Americano e da empresa fabricante de componentes de automóveis Flex-N-Gate. É a pessoa mais rica de origem paquistanesa. Shad Khan realizou importantes doações filantrópicas.

Família Saigol. Em 1948, justo após a partição entre a Índia e Paquistão, os Saigol emigraram de Calcutá (Índia) e iniciaram a sua atividade em Lyallpur (mais tarde chamada Faisalabad), a cidade têxtil do Paquistão, baixo a marca Kohinoor Indústrias Limitada.

Paquistão Telecomunicações Companhia Limitada oferece todos os serviços de telecomunicações, voz, telefonia básica, transmissão dados, Internet, videoconferência... Aos consumidores e empresas em todo o Paquistão.

Acordos de Livre Comércio (TLC) do Paquistão.

  1. Tratado de Livre Comércio (TLC) com MERCOSUL
  2. Acordo China-Paquistão.
  3. Zona de comércio preferencial Maurícia-Paquistão
  4. Acordo Livre Comércio Paquistão-Sri Lanka
  5. Acordo Livre Comércio Paquistão-Índia
  6. Área de livre comércio da ASEAN-Paquistão
  7. Sistema de Comércio Preferencial (TPS-OCI)
  8. Associação para a Cooperação Regional da Ásia do Sul (SAARC)
  9. União de Compensação Asiática (ACU)
  10. Sistema de Comércio Preferencial da Organização para a Cooperação Islâmica (TPS-OCI)
  11. Programa de Cooperação económica Regional da Ásia Central (CAREC)
  12. Organização de Cooperação Económica (ECO)

O Paquistão é membro...

  1. Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)
  2. Banco Islâmico de Desenvolvimento
  3. Sistema Generalizado de Preferências (SGP+)
  4. Banco Asiático de Desenvolvimento
  5. Comissão Económica e Social para a Ásia e o Pacífico...

Dewan Yousuf Farooqui
Dewan Yousuf Farooqui

Mian Muhammad Mansha

Negócios no Paquistão

União de Compensação Asiática

Área de livre comércio da ASEAN-Paquistão:
ASEAN-Paquistão Área de livre comércio


EENI Escola de Negócios