Escola de Negócios EENI Business School

Acordo Económico Chile-Equador


Compartilhar por Twitter

Conteúdo programático da unidade curricular (UC) - O Acordo de Complementação Económica Equador-Chile

  1. Introdução ao Acordo de Complementação Económica Equador-Chile (ACE Nº 65)
  2. O comércio exterior (exportações, importações) entre o Chile e o Equador
A UC «O Acordo Económico Equador-Chile» é estudada nos seguintes programas de ensino superior online ministrados pela EENI Global Business School (Escola de Negócios):
  1. Mestrados: Negócios na América, Negócios Internacionais, Comércio Exterior
  2. Doutoramentos (Doutorados): Negócios Americanos, Comércio Mundial
  3. Cursos: Negócios na América do Sul, Países andinos

Estudantes, Curso Mestrado Doutoramento, Negócios Internacionais, Comércio Exterior

Línguas: Ensino superior à distância (Cursos, Mestrados, Doutoramentos) em Português, comércio exterior + Mestrado negócios internacionais comércio exterior EAD em Espanhol Ecuador-Chile Estudar em Inglês online, curso mestrado doutoramento, comércio exterior, negócios internacionais Chile Estudar mestrado negócios internacionais e comércio exterior em Francês Chili.

Descrição - O Acordo de Complementação Económica Equador-Chile.

O Chile e o Equador assinaram o Acordo de Complementação Económica em 1994, com o objetivo de criar um Espaço Económico expandido entre ambos países.

Em outubro de 2004 ambos países emitiram um comunicado conjunto anunciando que negociariam um Acordo de Livre-Comércio, dita iniciativa concluiu com a assinatura do Acordo de Complementação Económica N˚65 em Março de 2008.

Em 25 de Janeiro de 2010, o Acordo entrou em vigor substituindo ao Acordo de Complementação Económica e ampliando os capítulos relativos ao comércio exterior de serviços, aos investimentos e a modernização do mecanismo de solução de controvérsias.

Os objetivos do presente acordo, desenvolvidos de maneira mais específica através dos seus princípios e das suas regras, incluídos os de tratamento nacional, o tratamento de nação mais favorecida e a transparência, são os seguintes:

  1. Intensificar as relações económicas entre as partes, e estimular a expansão e a diversificação do comércio exterior entre elas
  2. Eliminar as barreiras técnicas ao comércio e facilitar a circulação transfronteiriça de mercadorias e serviços entre as partes
  3. Promover as condições de concorrência leal no comércio bilateral entre as partes
  4. Criar os procedimentos eficazes para a aplicação e o cumprimento do presente Acordo, pela sua administração conjunta, e para prevenir e resolver as controvérsias
  5. Estabelecer os alinhamentos para a ulterior cooperação entre as partes, bem no âmbito regional e multilateral, encaminhados a ampliar e a melhorar os benefícios do presente acordo
  6. Aumentar substancialmente as oportunidades de investimento estrangeiro direto nos territórios das partes, propiciando um intensivo aproveitamento dos seus mercados, e fortalecendo a sua capacidade competitiva nos intercâmbios mundiais

O comércio exterior Chile-Equador

  1. O mercado chileno apresenta crescimentos sustentados nas suas importações, pelo qual o Equador tem um superavit comercial, no entanto uma grande parte das exportações equatorianas é o petróleo, pelo qual persiste um elevado deficit comercial não petroleiro do Equador com dito país
  2. Os produtos equatorianos que tiveram maior participação nas importações realizadas pelo Chile (total das importações) foram: «camarões», «palmito» e «banana».
  3. O comércio exterior Chile-Equador (milhões de dólares).
    1. Exportações: 474
    2. As importações: 765
    3. Balança Comercial: -292
    4. O comércio exterior: 1.239

Acordos de Livre-Comércio do Equador

Acordos de Livre-Comércio (ALC) do Chile: MERCOSUL, ALADI, UNASUL, SELA, Comunidade Andina, Peru, Colômbia, México, América Central, Estados Unidos, Panamá, Canadá, China, Índia, Coreia do Sul, Japão, Austrália, União Europeia, Associação Europeia de Livre-Comércio (AELC), Turquia, APEC, Acordo Abrangente e Progressivo para a Parceria Transpacífica...



(c) Escola de Negócios EENI Global Business School (1995-2021)
Não usamos cookies
Topo da página