Fazendo negócios Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará

EENI- Escola Superior de Negócios Internacionais

Conteúdo programático da subunidade curricular - comércio exterior e negócios no norte do Brasil

  1. Perfil económico da região norte do Brasil (América do Sul)
  2. Estado de Acre. Rio Branco
  3. Estado de Amazonas. Manaus
  4. Estado de Roraima. Boa Vista
  5. Estado de Rondónia. Porto Velho
  6. Estado de Pará. Belém
  7. Estado de Amapá. Macapá
  8. Estado de Tocantins. Palmas
A subunidade curricular "Negócios no norte do Brasil" estuda-se:
  1. Mestrados profissionais à distancia (EaD): América, Países BRICS, Negócios Internacionais
  2. Mestrado para os alunos e alunas da República Federativa do Brasil
  3. Doutoramento Profissional Negócios na América (EaD)

Idioma de estudo: Pt + Es Brasil En Brazil Fr Bresil.

Créditos da unidade curricular "Fazendo negócios na região norte do Brasil": 0,5 ECTS

Descrição da subunidade curricular: Fazendo negócios em Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará (Norte Brasil).

Estado de Acre

  1. O Estado de Acre tem uma população de 632.000 pessoas e tem uma extensão territorial de 153.000 quilómetros quadrados
  2. Sua capital é Rio Branco, está localizada a 3.000 quilómetros de Brasília.
  3. Rio Branco concentra a atividade industrial.
  4. O maior produto de extração é a borracha (50% da produção da região).
  5. A madeira é o principal produto de exportação (85% do total das exportações da região)

Estado de Amazonas

  1. Amazonas limita com Roraima, Pará, Mato Grosso, Rondónia e Acre.
  2. Ademais compartilha fronteiras com a Venezuela, o Peru e a Colômbia.
  3. Sua área é de 1,6 milhões de quilómetros quadrados e tem 3,3 milhões de pessoas.
  4. A capital, Manaus, é o centro económico da região norte da República Federativa do Brasil.
  5. Outras cidades importantes são: Manacapuru, Tefé, Parintins e Itacoatiara.

Manaus exporta sobretudo borracha, nozes do Brasil e a madeira.

  1. Suas maiores atividades económicas são: a refinaria do petróleo, a indústria alimentaria, o turismo e os produtos de exportação químicos.
  2. Os maiores produtos importados são: os artigos eletroeletrónicos, perfumaria e cosméticos, o têxtil, a computação, as indústrias de componentes, motociclos, as bebidas, telefonia, a construção naval...
  3. Em 1967 foi estabelecida a Zona Franca de Manaus, com o objeto de criar um polo de desenvolvimento na região da Amazónia mediante a formação de um parque industrial destinado a transformar a cidade em um centro industrial, comercial e agrícola com as condições económicas necessárias para a promoção e o desenvolvimento da região.

Exemplo da subunidade curricular - Comércio internacional e negócios Acre, Amazonas, Roraima, Rondónia, Pará (Norte Brasil):
Negócios Acre Amazonas Roraima

Estado de Roraima

  1. O estado de Roraima limita ao norte com a Venezuela, Guiana, Pará e Amazonas.
  2. Tem uma área de 225.116 quilómetros quadrados.
  3. Sua capital é Boa Vista.
  4. Roraima tem o produto interno bruto mais pequeno entre os estados da República Federativa do Brasil, apesar das altas taxas de crescimento.
  5. Seu produto interno bruto foi de R$ 4.889.000, representando 0,15% do PIB brasileiro, colocando ao estado na 27ª posição nacional.
  6. O estado de Roraima apresentou um crescimento anual do 7,65%, convertendo no estado de maior crescimento económico no norte da República Federativa do Brasil.
  7. Roraima tem dois Áreas de Livre Comércio: em Bonfim e em Boa Vista. São áreas de importação e exportação que trabalham em um regime fiscal especial.
  8. Os três maiores produtos exportados pelo Roraima, foram o couro, com uma participação de 63,32%, a madeira (28,13%) e a água mineral com 1%.
  9. Os três maiores produtos importados foram o cimento portland, representando o 35,43%, os vidros com um 11,20% e a farinha de trigo com um 9,32%.
  10. Roraima tem um pequeno parque industrial, localizado em Boa Vista, destinado sobretudo à produção de refrigerantes, derivados do leite e derivados de cereais.
  11. São Paulo é o principal destino destes produtos, seguido pelo Estado de Amazonas e a Venezuela.

Brasil Belén Negócios

Estado de Rondónia

  1. Rondónia tem uma população de 1,5 milhões de pessoas e uma área de 238.000 quilómetros quadrados; limita com o Estado de Amazonas, Mato Grosso e Acre; compartilha fronteira com a Bolívia.
  2. A economia do estado de Rondónia tem como maiores atividades a agricultura, a agropecuária, a indústria alimentícia e a extração vegetal e mineral.
  3. O PIB de Rondónia cresceu até R$ 20,2 bilhões, representando o 12,4% do produto interno bruto da região norte e o 0,62% do PIB da República Federativa do Brasil.
  4. Na cidade de Guajará-Mirim foi criada uma área de livre comércio junto à fronteira com a Bolívia, a 333 quilómetros de Porto Velho, a capital do estado de Rondónia, um centro logístico vital na região
  5. Porto Velho é administrado pela Sociedade de Portos e Hidrovías de Rondónia, por delegação ao estado de Rondónia. Suas operações são realizadas em três terminais. Um para operações RO-RO, contendo duas rampas paralelas que se prolongam até um pátio pavimentado de estacionamento descoberto com 10.000 m². Por esse terminal (RO-RO), são carregadas como média cem contentores por semana que transportam, na maioria, os automóveis, e os produtos de exportação agroalimentares para Manaus e outros países do mundo.

Estado de Pará

  1. O Estado de Pará é o segundo maior estado da República Federativa do Brasil (1.248.042,515 quilómetros quadrados) e o mais povoado da região norte (7.321.493 pessoas).
  2. Pará compartilha limites com Suriname, Amapá, Maranhão, Tocantins, Mato Grosso, Amazonas, Roraima e a Guiana.
  3. Sua capital é Belém (1.408.847 pessoas).
  4. Estão-se construindo a terça maior hidrelétrica do mundo: Belo Monte.
  5. Na economia de Pará destaca a extração mineral (ferro, a bauxite, magnésio, pedra calcária, o ouro, estão), a agricultura, o gado e a indústria.
  6. Pará é o maior produtor de pimenta da República Federativa do Brasil e é entre os primeiros na produção de coco e banana.
  7. A economia belenense baseia-se primordialmente nas atividades do comércio exterior, os serviços e o turismo, que seja desenvolvida a atividade industrial com grande número de indústrias alimentícias, navais, metalúrgicas, pesqueiras, químicas e a madeiras.
  8. Belém é a "porta" de acesso ao norte da República Federativa do Brasil, e o principal ponto primeiramente para a Amazónia, já que encontra-se na desembocadura do rio Amazonas. É entre as dez cidades maiores e influentes da República Federativa do Brasil.

Estado de Amapá

  1. O Estado de Amapá, tem uma área de 143.453 quilómetros quadrados e uma população de 668.689 pessoas
  2. A cidade de Macapá é sua capital.
  3. Suas maiores fontes de riqueza são a agricultura, pecuária, mineira, a indústria e os serviços.
  4. A participação de Amapá no produto interno bruto da República Federativa do Brasil, foi de 0,2%.
  5. Para a região norte, sua colaboração é de 4,5%. A economia de Amapá é diretamente relacionada com à preservação ambiental.
  6. O setor mineiro do estado de Amapá possui um grande potencial.
  7. Amapá exporta ouro e manganésio a diversos países do mundo, sobretudo para as nações asiáticas. O ouro semimanufaturado corresponde ao 38% das exportações, o mineral de ferro ao 23% e outros ao 6%. As exportações somam 192 milhões de dólares.
  8. O estado de Amapá é um grande exportador de madeira.
  9. As maiores companhias do Estado de Amapá: Florida e o Equador, Reama (industrializa a Coca-Cola no Estado) e Amcel (responsável pela plantação de pinheiros e eucalipto.

Estado de Tocantins.

  1. O Estado de Tocantins limita com Maranhão, Piauí, Baía, Goiás, Mato Grosso e Pará
  2. Tem uma área de 277 620 quilómetros quadrados e uma população de 1.243.627 pessoas (IBGE).
  3. Tocantins foi estabelecido em 1988, sendo o estado mais novo da República Federativa do Brasil.
  4. Sua capital é a cidade planejada de Palmas.
  5. A economia baseia-se no comércio, na agricultura (arroz, milho, judia, soja) e nas atividades pecuárias.
  6. A economia tocantinense é assentada em um agressivo modelo expansionista de agro- exportações: quase 89% de sua pauta de exportação é soja em grão, 10% é carne bovina e 1% outros, revelando sua forte inclinação agropecuária.
  7. Suas maiores importações são maquinaria, material de construção, ferro e aeronaves de pequeno porte.
  8. Tocantins tem duas usinas de biodiesel em funcionamento (Brasil Ecodiesel e Biotins Energia) e três em instalação.
  9. Palmas foi concebida para ser o centro administrativo e económico de Tocantins, e devido a isso, o setor de serviços é o principal setor da economia palmense. A participação do setor agropecuário na economia palmense é mais pequena que a do setor serviços.

Aduanas, Comércio, tratados de livre comércio, Brasil-BRIC, China-Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Baía, Centro Oeste.



EENI Escola de Negócios