Escola Negócios EENI Business School
Curso EaD: Integração regional africana

Curso - Integração regional africana. Comunidades económicas regionais (Online, 8 ECTS, Ensino superior à distância (Cursos, Mestrados, Doutoramentos) em Português)

O objetivo principal do Curso de Aperfeiçoamento «Integração regional africana» (educação à distância) ministrado pela EENI Global Business School (Escola de Negócios), é compreender o irreversível processo de integração africana, cujo objetivo final é a criação da «Área de livre-comércio Continental Africana».

O Curso de Aperfeiçoamento «A integração regional africana» compõe-se de dez unidades curriculares:

Integração económica em África (curso) Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau

Educação continuada à distância online (comércio exterior, negócios internacionais)

Informação EENI Se inscrever / Solicitação de informação

  1. Créditos: 8 ECTS
  2. Preço: 192 Euros
  3. Inscrição em linha continuo
  4. Duração: 8
    semanas É aconselhável que o estudante dedique doze horas semanais a critério do seu tempo e da sua eterminação).
  5. Faça o download da estrutura curricular do curso (PDF)

Os objetivos específicos do curso são:

  1. Compreender a função da União Africana (UA), da Comissão Económica para a África (CEA), do Banco Africano de Desenvolvimento e das comunidades económicas regionais (CER) bem como a sobreposição das funções («spaghetti bowl») no processo de integração africana do Espaço Económico da Civilização Africana
  2. Compreender os quatro pilares da integração regional africana
  3. Compreender a Comunidade Económica Africana, a União Aduaneira de África e o futuro «Mercado comum africano»
  4. Conhecer as fortalezas e as debilidades da integração africana
  5. Conhecer o estado da integração regional de África
  6. Identificar as barreiras técnicas ao comércio entre os países africanos
  7. Conhecer o plano de ação para impulsionar o comércio exterior entre os países africanos (para conseguir uma quota de 25% de comércio exterior entre os países africanos)
  8. Valorizar as vantagens das TIC aplicadas ao comércio inter-africano
  9. Compreender a integração do sistema financeiro de África e a função da banca transfronteiriça
  10. Compreender a função fundamental das infraestruturas (um dos motores do crescimento económico de África) e as TIC («A Revolução Móvel africana») no processo de integração africana
  11. Conhecer o PIDA (Programa para o Desenvolvimento da Infraestrutura em África)
  12. Avaliar o custo das operações em África
  13. Conhecer como as empresas podem obter vantagens competitivas das cadeias de valor africanas
  14. Aprender de dois bons exemplos de integração: a OHADA (Organização para a Harmonização em África do Direito dos Negócios) e o Acordo Tripartido (COMESA-EAC-SADC)
  15. Conhecer os possíveis caminhos para a área de livre-comércio continental de África (CFTA), os benefícios para a África e os cenários possíveis para consegui-lo

Este curso destina-se a todos aqueles que desejem compreender o caminho para a Área de livre-comércio Continental Africana e as implicações socioeconómicas para a África.

Língua Ensino superior à distância (Cursos, Mestrados, Doutoramentos) em Português

  1. Também disponível em O estudante tem acesso livre aos materiais nestas línguas; pode realizar os seus exercícios, comunicar-se com os professores, etc. em português. O estudante pode estudar qualquer unidade em qualquer uma dessas quatro línguas. O estudante deve ter um nível suficiente para estudar as matérias nesses idiomas
    Estudar mestrado comércio exterior online em Inglês African Economic Integration Estudar mestrado negócios internacionais em Francês Intégration régionale en Afrique Mestrado negócios comércio exterior EAD em Espanhol Integración regional en África

O curso tem os seus exercícios de modo evolutivo, assim ao terminar os exercícios e a ser aprovados o estudante recebe o Certificado de conclusão do Curso de Aperfeiçoamento «Integração regional em África» emitido pela EENI Global Business School (Escola de Negócios) da Espanha (União Europeia).

Certificado de conclusão de curso, mestrado. doutoramento

O estudante que já realizou o curso poderá validá-lo e se inscrever nos programas de ensino superior da EENI.

O curso é estudada nos seguintes programas de ensino superior online ministrados pela EENI:

  1. Mestrados: Transporte em África, Negócios Africanos, Transporte Internacional
  2. Doutoramentos (Doutorados): Negócios Africanos, Logística Global, Comércio Mundial
  3. Mestrados e Doutoramentos em Negócios Internacionais da EENI adaptados para os estudantes de Angola estudar Mestrado Doutoramento em Negócios, Comércio Exterior Angola, de Cabo Verde estudar Doutoramento Mestrado, Negócios, Comércio Exterior Cabo Verde, da Guiné-Bissau, estudar Mestrado, Doutoramento, Negócios, Comércio Exterior Guiné-Bissau, de Estudar Moçambique (Mestrados, Doutoramentos, negócios, Comércio Exterior) Moçambique e de São Tomé e Príncipe, estudar mestrado doutoramento comércio exterior negócios São Tomé e Príncipe.

Exemplo: a integração regional africana
Área de livre-comércio Continental Africana CFTA. 1 bilhão de pessoas. 1,2 trilhão de dólares





Tweter.png Tweet 
Envie para um amigo:

/ / Envie-nos um WhatsApp / contatar Skype / Contato por telefone / Print /
Info EENI Voltar

Conteúdo programático da unidade curricular (UC) 1- Introdução à integração regional africana. Comunidades Económicas Regionais:

Esta unidade curricular é composta por quatro partes:

1- Introdução à integração africana.

  1. A história do processo de integração regional no continente africano
  2. O Tratado de Abuja
  3. Para uma Comunidade Económica africana (CEA)
  4. Os tratados e protocolos sobre a integração regional

2- As Comunidades Económicas Regionais (CER) em África (Resumo).

  1. CEN-SAD (Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos)
  2. COMESA (Mercado Comum da África Oriental e Austral)
  3. EAC (Comunidade da África Oriental)
  4. CEEAC (Comunidade Económica dos Estados da África Central)
  5. CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental)
  6. IGAD (Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento)
  7. SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral)
  8. UMA (União do Magrebe Árabe)
  9. O Acordo Tripartido COMESA-EAC-SADC

3- Outros grupos económicos africanos de integração (Resumo).

  1. SACU (União Aduaneira da África Austral)
  2. MRU (União do Rio Mano)
  3. IOC (Comissão do Oceano Índico)
  4. UEMOA (União Económica e Monetária do Oeste Africano)
  5. ZMAO (Área Monetária da África Ocidental)
  6. ICGLR (Conferência Internacional sobre a região dos Grandes Lagos)
  7. CEMAC (Comunidade Económica e Monetária da África Central)

4- Os quatro pilares da integração regional africana.

  1. O comércio exterior (exportações, importações) e a integração dos mercados
  2. A harmonização das políticas setoriais
  3. A convergência macroeconómica, política, financeira e a integração monetária
  4. Paz, Segurança, Estabilidade e Governabilidade
  5. Feitos e cifras sobre a integração regional africana

Conteúdo programático da unidade curricular (UC) 2- O estado da integração regional africana.

  1. O Relatório sobre a Avaliação da Integração regional africana (ARIA) (Comissão Económica para a África, Banco Africano de Desenvolvimento, União Africana)
  2. Avanços nas áreas chave nas comunidades económicas regionais
  3. A livre circulação de pessoas e o direito de estabelecimento
  4. A convergência das políticas macroeconómicas
  5. A integração física.
    1. Rodovias
    2. Ferrovias
    3. Transporte aéreo
    4. A energia
  6. Os desenvolvimentos a nível das Comunidades económicas regionais e a nível continental
  7. O fomento da integração regional
  8. A Harmonização das normas de origem em África
  9. O Programa e as medidas de facilitação do comércio exterior
  10. O acesso ao mercado. Os serviços
  11. As iniciativas dos corredores africanos de transporte
  12. As melhores práticas na integração regional africana

Centro Africano Política Comercial

O objetivo final da Comissão Económica para a África (CEA) é criar um mercado comum africano, através do desenvolvimento das comunidades económicas regionais já que observa-se que são o instrumento mais adequado para desenvolver o comércio exterior e a integração do mercado africano.

As comunidades económicas regionais são os principais clientes a nível sub-regional da Comissão Económica para a África.

Como tal a Comissão, e os seus escritórios sub-regionais, trabalham estreitamente com as comunidades económicas regionais para harmonizar as políticas dos diferentes países e reforçar a capacidade técnica para desenvolver a integração regional.

A Ata Constitutiva da União Africana (UA) deixa claro que o principal objetivo da União é estabelecer uma Comunidade Económica africana e atribui às comunidades económicas regionais a responsabilidade primordial de conseguir este objetivo.

Na atualidade existem vários blocos regionais africanos, as chamadas comunidades económicas regionais (CER), muitos deles sobrepõem-se entre se.

Comunidades económicas regionais (CER):

  1. A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental
  2. O Mercado comum da África Oriental e Austral
  3. A Comunidade da África Oriental
  4. A Comunidade dos Estados Sahelo-Saarianos
  5. A União do Magrebe Árabe
  6. A Comunidade Económica dos Estados da África Central

Um passo intermédio neste esforço é a transição das comunidades económicas regionais em uma União Aduaneira; em onde se realizaram avanços significativos.

  1. A Comunidade da África Oriental converteu-se em uma União Aduaneira o 1 de Janeiro de 2005 com a introdução do Protocolo de União Aduaneira da Comunidade da África Oriental
  2. A Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral espera estabelecer uma União Aduaneira
  3. O Mercado Comum da África Oriental e Austral planeja converter em uma União Aduaneira

Estados-membros da União Africana: a Argélia, Angola, o Benim, o Botsuana, o Burquina Faso, Burúndi, os Camarões, Cabo Verde, o Chade, as Comores, o Congo, a Costa do Marfim, Jibuti, Egito, a Eritreia, o Essuatíni (Suazilândia), a Etiópia, a Guiné Equatorial, o Gabão, a Gâmbia, o Gana, a Guiné, a Guiné-Bissau, o Lesoto, a Libéria, a Líbia, Madagáscar, o Maláui, o Mali, o Marrocos, a Mauritânia, Maurícia, Moçambique, a Namíbia, o Níger, a Nigéria, o Quénia, Ruanda, a República Árabe Saharaui Democrática, a República Centro-Africana, a República Democrática do Congo, São Tomé e Príncipe, o Senegal, as Seicheles, a Serra Leoa, a Somália, a África do Sul, o Sudão, o Sudão do Sul, a Tanzânia, o Togo, a Tunísia, o Uganda, a Zâmbia e o Zimbábue.

Encorajar o comércio intra-africano, barreiras comerciais em África

(c) EENI Global Business School (Escola de Negócios, 1995-2021)
Devido à pandemia COVID, a EENI implementou o teletrabalho. Favor entrar em contato somente por e-mail, WhatsApp ou pelo formulário de solicitação de informações.
Não usamos cookies.
Voltar ao topo da página